2005, o ano que não terminou

Teleco

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

ver detalhes

2005, o ano que não terminou

Coluna do Teleco 1910

Opinião de Teleco

12 mil visualizações 116 comentários Comunicar erro

2005, o ano que não terminou

A roupa era diferente, o efeito o mesmo

Foto: Tobias 'ToMar' Maier [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Como estamos habituados, quando o Corinthians ganha qualquer coisa, de torneio de bolinha de gude a Campeonato Mundial de Futebol, sempre aparece alguém tentando desmerecer a conquista. Entre caçadores de audiência, profissionais com pouco conteúdo que buscam aparecer em cima do Corinthians, dirigentes espertalhões e torcedores de outros times iludidos, a bobagem se perpetua. Torcedor que cai nessas de favorecimento, campeonato comprado, etc, merece o time que tem: seu time será sempre o "do ano que vem".

Começando do começo, o Corinthians estava com um timaço em 2005.

MSI e Corinthians

Independente do que aconteceu depois, o time para 2005 era fantástico. A MSI trouxe muitos jogadores, dos quais os mais importantes foram Roger, Carlos Alberto, Mascherano e Tévez.

No Campeonato Paulista, demorou um pouco para se acertar e não conseguiu alcançar o SPFC, que já estava muito à frente. Na Copa do Brasil, suou com o Cianorte e caiu nos pênaltis contra o Figueirense, onde Roger deu o famoso chute-na-lua-derruba-técnico que custou a eliminação.

Já no Brasileiro, começou com um empate contra o Juventude e duas derrotas pesadas contra Botafogo e SPFC. Mesmo com confusão fora e dentro de campo e defesa sofrível, o Corinthians era líder isolado ao fim do primeiro turno, com um ataque fabuloso comandado pela FORÇA DA NATUREZA Carlitos Tévez. Nesta época já pululavam acusações de dinheiro sujo e roubo, nunca provadas.

Juiz Ladrão

Edílson Pereira de Carvalho negociou o resultado de partidas do Paulista e Brasileiro de 2005 com um grupo de apostadores, recebendo por volta de 10 mil reais por jogo fraudado.

Depois de investigação da Polícia Federal sobre outro crime, chegaram a Edílson por acaso e descobriram o esquema de manipulação de resultados.

No fim das contas, o que aconteceu é bem conhecido: os onze jogos apitados por Edílson foram remarcados e jogados novamente.

O Corinthians já estava na frente e com um empate e uma vitória em dois jogos que tinha perdido, disparou. Para os detratores, isto prova cabalmente que o Corinthians comprou o campeonato: assim fica difícil. Veja os jogos abaixo e note que apenas dois tiveram o mesmo vencedor.

Vasco 0 – 1 Botafogo > Vasco 1 – 0 Botafogo

Ponte Preta 1 – 0 São Paulo > Ponte Preta 2 – 0 São Paulo

Paysandu 1 – 2 Cruzeiro > Paysandu 4 – 1 Cruzeiro

Juventude 1 – 4 Figueirense > Juventude 2 – 2 Figueirense

Santos 4 – 2 Corinthians > Santos 2 – 3 Corinthians

Vasco 2 – 1 Figueirense > Vasco 3 – 3 Figueirense

Cruzeiro 4 – 1 Botafogo > Cruzeiro 2 – 2 Botafogo

Juventude 2 – 0 Fluminense > Juventude 3 – 4 Fluminense

Internacional 3 – 0 Coritiba > Internacional 3 – 2 Coritiba

São Paulo 3 – 2 Corinthians > São Paulo 1 – 1 Corinthians

Fluminense 3 – 0 Brasiliense > Fluminense 1 – 1 Brasiliense

A "rivalidade" com o Internacional

O Internacional já reclamava que a remarcação dos jogos foi feita exclusivamente para beneficiar o Corinthians, e tudo piorou quando vieram jogar em São Paulo pelo returno.

Em partida que o Corinthians dominou amplamente, Tinga sofreu falta na área corinthiana, que não foi marcada. A partida terminou empatada em 1x1, e até hoje gente do Internacional reclama desta partida.

Ou não foi pênalti? Veja este cara de vermelho dizendo que não foi.

Mesmo que o Internacional tivesse este pênalti marcado e convertido, o Internacional seria vice-campeão daquele ano, já que perdeu a sua última partida no campeonato para o rebaixado Coritiba. Deram a volta olímpica após o jogo. E só chegaram com chance porque não viram este impedimento aos 46 do segundo tempo contra o Brasiliense. E este lance contra o nosso Rivale, foi pênalti mesmo?

O Corinthians perdeu seu último jogo (contra o Goiás) com um gol muito impedido.

Final da História

2005 terminou sim: Corinthians Campeão Brasileiro com 81 pontos em 42 partidas, aproveitamento de 64%. 87 gols marcados e 59 sofridos; 24 vitórias, 9 empates e 9 derrotas.

Para os que discordam, recomendo o vídeo abaixo.

Na torcida para 2015 terminar como 2005. Ouça-me em Podcastimao e me xingue no Twitter. Vai Corinthians!

Coluna do Teleco 1910

Por Teleco 1910

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

O que você achou do post do Teleco?