Orçamento 2016: Esclarecimentos com Émerson Piovezan

Teleco

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

ver detalhes

Orçamento 2016: Esclarecimentos com Émerson Piovezan

Coluna do Teleco 1910

Opinião de Teleco

16 mil visualizações 137 comentários Comunicar erro

Orçamento 2016: Esclarecimentos com Émerson Piovezan

Um time campeão custa caro.

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Na última quarta, foi publicado o orçamento do Corinthians para 2016. Estes são os valores principais nos orçamentos de 2015 e 2016.

(em milhões de reais) 2015 2016 %
Receitas 220,3 267,5 21,4%
Despesas 232,8 259,6 11,5%
Superávit Orçamentário 0,5 3,9 727%

Vale sempre salientar que neste orçamento não entram os valores recebidos de bilheteria (43 milhões líquidos em 2015). Receita de bilheteria e todo o restante gerado pelo estádio vão direto para pagar as parcelas do financiamento da Arena.

Alguns destes valores tiveram mudanças significativas. Para entender mais sobre estas diferenças, falei com o Diretor Financeiro do Corinthians, Émerson Piovezan.

Os direitos de TV aumentaram bastante para 2016. Para 2017 devem aumentar mais?

Esperamos que aumentem em 2017, mas pouco, apenas correção monetária. O valor apresentado é o bruto: houve uma pequena antecipação na gestão passada, mas está totalmente sob controle e valores antecipados aparecem na linha de deduções.

(em milhões de reais) 2015 2016
TV 118 141
Patrocínios 74 80
Outras receitas 42 64
Deduções 13,7 18,7
Valor Líquido 220 267

(as deduções não são apenas de antecipações de TV, mas de todas as receitas)

Qual é a razão do aumento no valor de patrocínio da Nike?

Houve uma variação cambial, já que o patrocínio é pago em dólar. Mas o aumento líquido não é tão grande. Este ano 2,6 milhões foram colocados como despesas de material esportivo; este material é fornecido pela Nike e foi atribuído um valor a ele, que se desconta do total recebido. Nos orçamentos anteriores, este valor não era descrito e se mostrava apenas o valor líquido; assim aumentamos a transparência. A diferença líquida é de 3,2 milhões de reais.

(em milhões de reais) 2015 2016
Nike 22 27,7
Despesas com material esportivo 0 2,6
Valor Líquido 22 25,1

Houve um aumento modesto nos demais patrocínios.

Com os novos acordos já fechados pelo marketing, temos este incremento no valor. Eventuais novos patrocínios durante o ano gerarão ajustes no orçamento.

A grande diferença na previsão de faturamento no Fiel Torcedor se deve a que?

Apesar do aumento ter sido significativo, não foi tão grande assim. Explico: nos orçamentos anteriores, era apresentado apenas o valor líquido recebido no FT, sem as despesas. Neste orçamento, estamos colocando o valor bruto e as despesas de administração do plano (com a Omni) em outra linha, para termos mais transparência. Em 2016 esperamos ter despesas de oito milhões de reais (equivalente a 35% do total).

(em milhões de reais) 2015 2016
Fiel Torcedor 6,25 23
Despesas de administração 0 8
Valor Líquido 6,25 15

Além desta mudança na apresentação dos valores, tem que se ressaltar que foram lançados dois novos planos no Fiel Torcedor com grande sucesso e esperamos que o número de sócios continue aumentando em 2016.

Então, na verdade as despesas de assessoria administrativa no total caíram pela metade, quase um milhão no ano.

Exatamente.

Os salários aumentaram bastante para 2016, não? São 21 milhões de diferença entre salários e direito de imagem.

Apenas o porcentual de dissídio (10%) já responde por grande parte deste aumento. A renovação de contratos de jogadores também traz um maior peso a este item. Já contamos com a renovação de Renato Augusto e o retorno de Alexandre Pato à folha de pagamento, caso não seja vendido. (400.000 reais, anteriormente pagos pelo SPFC, voltam para o Corinthians. Com encargos chega a 800.000 reais mensais, fora direitos de imagem.)

Por que as "outras despesas" mais que dobraram?

O último orçamento planejou um valor de R$ 1,4 milhão, mas em setembro já tinhamos gastos reais de R$ 2,5 milhões. Apesar de isso ficar bem no balanço, temos que ser transparentes e mostrar a realidade, por isso o incremento para R$ 3,3 milhões.

Foi noticiado um prejuízo de quarenta milhões de reais este ano. Como se explica isto?

Na reunião com o conselho deliberativo em agosto, apresentamos um déficit de 30 milhões de reais. A expectativa é que terminemos com um déficit de 40 milhões. O que aconteceu é que assumimos com um débito de 97 milhões, neste ano fecharemos o balanço com 40 a 50 milhões negativos.

(editado por clareza, para evidenciar que continua o prejuízo em 2015. Ano passado havia um prejuízo de 7.5 milhões mensais, este ano este prejuízo baixou para por volta de 3.5 milhões mensais. O objetivo é que em 2016 haja equilíbrio entre receita e despesa, indo para "zero prejuízo e lucro")

Trocando em miúdos, se o Corinthians tivesse começado o ano "zerado", no fim do ano o clube teria lucrado 50 milhões?

Correto. Tomamos várias ações para disciplinar a despesas do clube como um todo e hoje trabalhamos no regime de caixa: se temos recursos fazemos, se não temos recursos não fazemos. Isso é uma mudança significativa na gestão do Corinthians.

2016 ainda promete ser com investimentos restritos, mas 2017 será mais folgado. Com pouco ou muito dinheiro, continuo torcendo. Ouça-me no Podcastimão ou me xingue no Twitter. Vai Corinthians!

Coluna do Teleco 1910

Por Teleco 1910

@Teleco1910 é um torcedor comum que gosta de conversar sobre o Corinthians. Ele não conseguirá responder aos comentários aqui, mas está sempre cornetando em 140 caracteres no Twitter.

O que você achou do post do Teleco?