Por que o Corinthians deve dar espaço para a volta de Léo Santos em 2021

Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

ver detalhes

Por que o Corinthians deve dar espaço para a volta de Léo Santos em 2021

Coluna do Tomás Rosolino

Opinião de Tomás Rosolino

6.9 mil visualizações 80 comentários Comunicar erro

Por que o Corinthians deve dar espaço para a volta de Léo Santos em 2021

Zagueiro Léo Santos durante treino no CT Joaquim Grava

Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians

O Corinthians tem um jovem jogador de capacidade técnica acima da média, moderno e que pode lhe render um bom dinheiro no futuro se bem aproveitado em 2021. Não me refiro a ninguém das categorias de base nem aos recém-promovidos ao profissional: o nome dessa peça é Léo Santos, zagueiro que se recuperou de vários problemas graves de lesão e treina com o restante do elenco profissional.

Eu sei, você ja conhece o Léo desde 2016, quando estreou no profissional, e pode ter na memória a péssima atuação na final da Copa do Brasil de 2018, influenciando negativamente nos dois gols do Cruzeiro. Apesar das primeiras memórias dele datarem de cinco anos atrás, porém, Léo tem muito futuro pela frente.

Ele acabou de passar por duas grandes cirurgias no joelho direito, a primeira para curar uma tendinite patelar e a outra para corrigir uma fratura no local. No meio deste ano, fez um procedimento menor para limpar o local e agora, depois de quase dois anos parado, treina normalmente com o elenco. Recuperado física e psicologicamente de baques tão duros, para mim, merece receber chances em 2021.

Dono de contrato por mais três anos com o Timão, ele acabou de completar 22 anos, tranquilamente com mais uma década e meia pela frente na profissão. Colocando em perspectiva, Léo é mais novo, por exemplo, que João Victor, zagueiro emprestado ao Atlético-GO, e apenas meses mais velho que Raul Gustavo e Bruno Méndez. Todos são vistos como nomes ainda no começo da carreira.

Além disso, o defensor corinthiano possui uma versatilidade que não se encontra em praticamente nenhuma outra peça do elenco - e rara no mundo. Só no Timão, ele já começou como titular nos dois lados da zaga, na lateral direita, na lateral esquerda e de primeiro volante, com três treinadores diferentes.

Ou seja, vários profissionais já enxergaram nele a capacidade de exercer cinco funções diferentes dentro de campo, um sonho para qualquer treinador. Uma peça que pode servir de opção em diversas situações e poupa um "empilhamento" de reforços para esses setores.

Titular da Seleção sub-20 com apenas 18 anos, em 2017, Léo precisa apenas mostrar que conseguiu retomar a sua forma física. Mesmo parado há dois anos, o site Transfermarkt coloca seu valor de transferência na casa dos 3,5 milhões de euros (cerca de R$ 22 mi).

No momento, é claro, as opções na zaga estão bem definidas e os outros setores vão se acertando. Ter Léo Santos como quarta possibilidade no miolo e um segundo/terceiro reserva nas laterais, porém, me parece um caminho bom para o sucesso - o bastante para, em uma temporada toda encavalada, ele atuar entre 20 e 30 vezes.

Veja mais em: Léo Santos, Base do Corinthians e Campeonato Brasileiro.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Tomás Rosolino

Por Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

O que você achou do post do Tomás Rosolino?

x