O erro com Cafú já foi provado; Corinthians agora precisa renovar com Jemerson e Cazares

Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

ver detalhes

O erro com Cafú já foi provado; Corinthians agora precisa renovar com Jemerson e Cazares

Coluna do Tomás Rosolino

Opinião de Tomás Rosolino

5.5 mil visualizações 59 comentários Comunicar erro

O erro com Cafú já foi provado; Corinthians agora precisa renovar com Jemerson e Cazares

Jhonatan Cafu em ação durante duelo contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro, última vez que atuou pelo Corinthians

Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Jonathan Cafú, uma aposta com um inexplicável contrato até o final de 2023 já foi descartada do planejamento do Corinthians para a próxima temporada com apenas três jogos pelo clube. Era previsível e até versei sobre no dia da aquisição sobre os motivos do vínculo injustificavelmente longo. Posto isso, o clube precisa amenizar esse prejuízo renovando com Jemerson e Cazares.

Roberto de Andrade tem dado suas primeiras entrevistas sobre o começo do trabalho como diretor de futebol da gestão Duilio Monteiro Alves e, em papo com a ESPN, reconheceu que não tinha muita explicação a dar sobre a aquisição e o baixo aproveitamento do jogador. Indicou que vai esperar uma definição de Mancini sobre o atleta - participar de apenas um dos últimos 16 jogos da equipe me parece um recado claro do comandante.

Como disse em novembro, "não havia nenhuma razão para o Corinthians assinar um contrato de 38 meses com Cafu, que disputaria a segunda divisão da Arábia Saudita e não interessava ao Bordeaux, dono dos seus direitos econômicos. O conceito de oportunidade de mercado é praticamente destroçado quando se firma um compromisso tão longo com um jogador que não dá a menor certeza de retorno técnico".

Roberto ainda justifica que o compromisso foi firmado na gestão de Andrés Sanchez, mas o próprio Duilio fez parte por anos dessa gestão e já afirmou à Rádio Bandeirantes que Cafú chegou a pedido de Vagner Mancini. Inexplicável.

Posto esse grande erro anunciado da diretoria, o que poderia piorar isso seria a não renovação do zagueiro Jemerson e do meia Cazares, dois atletas que, com boa condição física, se mostraram titulares absolutos do clube. Mas por quê? Explico.

Contratados mais ou menos na mesma época que Cafú, Jemerson e Cazares, assim como o Otero, têm contrato apenas até junho, dois anos e meio antes do fim do vínculo do atacante. Perdê-los seria um completo desastre para quem busca a reconstrução de maneira saudável financeiramente.

No cenário montado, o Corinthians precisa de opções confiáveis para ser titular e investir dinheiro (Jemerson e Cazares) não de atletas que pouco oferecem além do que se encontra na base (Jonathan Cafú). Ainda que os contratos tenham sido amarrados na gestão anterior, seria um baque grande na força da diretoria.

Sobre Otero, que também tem seu vínculo de empréstimo se encerrando no meio do ano, acredito que a permanência pode ser repensada. É um jogador que não muda o status do clube nem pode ser titular absoluto. Seria uma baixa plenamente justificável.

Veja mais em: Jonathan Cafu, Jemerson e Cazares.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Tomás Rosolino

Por Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

O que você achou do post do Tomás Rosolino?

x