1 a 1: um roteiro virando tradição

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

1 a 1: um roteiro virando tradição

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

4.3 mil visualizações 88 comentários Comunicar erro

1 a 1: um roteiro virando tradição

Rodriguinho: ainda devendo na criação

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

1) Festa bonita, como sempre, na noite quente de quase primavera. Quem prestigiou merecia mais do que se viu em campo.

2) Primeiro tempo de ação e criação, com variação de repertório. O gol surgiu de jogada do menino Marciel e parecia estímulo ao volante Maycon, que havia caído de produção nos últimos jogos.

3) Como de costume, no entanto, a esquadra mosqueteira reduziu o ritmo depois de conquistada a vantagem mínima. E voltou a abusar dos passes errados.

4) Recordemos, somente em jogos deste ano, em Itaquera, empatamos em 1 a 1 oito vezes depois de abrir o placar, contra Luverdense, Red Bull, Inter, São Paulo, Ponte Preta, Chapecoense, Flamengo e, agora, Racing.

5) Pelo Brasileiro, cedemos outro empate, depois de estabelecer 2 a 1 no placar, contra o Atlético Paranaense, jogo que sucedeu a vitória contra o Palmeiras.

6) São 9 jogos em que deixamos de faturar 18 pontos. No caso do empate cedido ao Racing, coloca-se em risco a classificação à fase seguinte da Sul-Americana.

7) Os 30 minutos finais do Corinthians foram de relativa passividade e do mesmo futebol enrolado que caracterizou o time nos jogos do segundo turno do Brasileirão. À imprecisão, especialmente dos meias, somou-se a previsibilidade da ação ofensiva.

8) Há quem culpe Cassio pelo tento argentino. Ora, era bola possível de encaixe? E quem deveria aguardar o eventual rebote e opor-se a Triverio? E mais: que liberdade se concedeu ao autor do tiro, Lisandro López?

9) O que mais preocupa nesta fase corinthiana é a naturalização do mau resultado. Nas entrevistas, tudo parece normal e nada assusta, nem mesmo a terceira pior campanha no returno do Brasileiro.

10) O Vasco é um freguês histórico.

11) Daí, maior responsabilidade para o próximo jogo.

Veja mais em: Copa Sul-Americana.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?