André Santos: 'Sou corintiano, minha família é corintiana, sou um grande torcedor'

Fórum do Corinthians
Tópico popular Entenda as regras

Walter #180 @walter.magal em 13/02/2015 às 20:46

Confira a entrevista com o meia do Botafogo:

GloboEsporte.com - Como você acha que será jogar na arena contra o Corinthians, que se reestruturou nos últimos anos?
André Santos - Quando cheguei ao Corinthians, o clube estava se reconstruindo para voltar à Série A. Não tinha estádio, centro de treinamento, nada. Treinávamos muito tempo na Fazendinha (Parque São Jorge) e poucas atividades no atual CT, que era um campo abandonado e dois containers para tomar banho e trocar de roupa. Era complicado. Ao mesmo tempo em que o clube crescia fora de campo, nós conquistávamos títulos no gramado. O Andrés (Sanchez, ex-presidente) é um cara muito inteligente. Trouxe o Ronaldo e, com toda sua imagem, resultou em ganhos ao clube. Ele, Ronaldo, acostumado com Real Madrid, Milan e seleção brasileira, estranhou os containers, mas pode ter certeza que foi uma passagem marcante. Jamais vamos esquecer.

E o torcedor corintiano? Depois de passar por Flamengo, Arsenal, Fenerbach, Grêmio... é mais exigente? Mais chato?
- O torcedor do Corinthians exerce uma pressão muito forte. Ele apoia o tempo todo, mas se o time perde duas ou três, ele vai cobrar.

Sua relação com a torcida do Corinthians sempre foi tranquila?
Nunca tive problemas com a torcida. Uma vez estávamos, no Mato Grosso. Empatamos o jogo e depois saímos para nos divertir, comer e beber alguma coisa. Foi uma galera. Eu, Chicão, William, Dentinho, Douglas, Perdigão, todos. Aí encontramos alguns torcedores no meio da rua e eles começaram a falar 'aqui é Corinthians, tá ligado?' e nos cobraram o empate. O Chicão respondeu 'pô, empatamos o jogo, mas também temos vida social. Nós jogamos, fizemos o nosso compromisso e agora estamos nos divertindo um pouco'. Aí o torcedor não gostou, começou a bater boca e soltou 'é, aqui é vida louca'. E o Chicão respondeu 'aqui também é vida louca'. O torcedor não gostou e jurou o Chicão: 'Vamos ver lá em São Paulo se você é vida louca mesmo'. No primeiro treino na Fazendinha, na saída, tinha uns 200 lá fora esperando o Chicão sair. Eles olhavam todos os carros que estavam saindo. Eu abaixei o vidro e eles perguntaram: 'Cade o Chicão?'. Eu disse que ele estava lá dentro e eles retrucaram: 'É, ele falou que era vida louca? Então, vamos ver se agora, aqui em São Paulo, ele é vida louca mesmo'. São coisas que acontecem com o torcedor. Você age na emoção. O torcedor do Corinthians cobra, pressiona, mas jamais deixa de apoiar.

É muito diferente a relação do torcedor brasileiro com o jogador de futebol se compararmos com o que acontece na Europa?
- Sim. No Brasil, tudo está legal, tudo está gostoso quando o time está ganhando. Você pode sair, jantar, ir para a balada, mas quando empata ou perde, não pode fazer mais nada. Na Europa, a cobrança é grande, mas no momento de lazer com a família, quando você quer sair pra balada, eles respeitam, querem tirar foto, chegar perto. No Brasil, só respeitam quando o time está ganhando. Não teria de ser assim. Todas as pessoas, em todas as funções, têm vida social. Por que o jogador de futebol não pode ter?

Eu tenho e sempre tive minha vida social independente disso. Sei dos meus momentos, quando posso e quando não posso sair. Se o time estiver mal, não vou dar mole, ir num bar, numa discoteca, porque não vou dar a cara à tapa de bobeira, brigar com torcedor. Evito, mas não deixo de fazer minhas coisas André Santos

Você nunca abriu mão da sua vida social?
- Eu tenho e sempre tive minha vida social. Sei dos meus momentos, quando posso e quando não posso sair. Se o time estiver mal, não vou dar mole, ir a um bar, a uma discoteca, pois não vou dar a cara à tapa de bobeira, brigar com torcedor. Evito, mas não deixo de fazer minhas coisas. Minha mulher gosta de ir na balada, gosto de sair com a minha família e não vou deixar de curtir minha vida social porque sou atleta. Tem o momento certo. Quando tem uma folga, depois de um jogo...

Mas expor essa opinião não pode te atrapalhar?
- Diretores e presidentes estão mais abertos. Eles entendem que o jogador também precisa ter vida social. Estão quebrando esse preconceito. Quando digo isso, é minha opinião. Não que eu faça, que eu quero que outros façam. É minha opinião sobre a diferença entre Brasil e Europa. Se eu achar que devo sair, eu vou sair, sem atrapalhar meu desempenho dentro de campo. Sei me cuidar fora de campo como atleta.

Voltando a falar sobre Corinthians... Você não sonha voltar a jogar pelo Corinthians?

- Eu tinha o sonho de jogar no Corinthians e realizei. Joguei lá, conquistei títulos, conquistei o torcedor, tirei o time da Série B e coloquei onde ele realmente merece estar. Acho que a minha passagem no Corinthians foi muito boa. Jogar no Corinthians é muito difícil. O que fiz lá, vai ficar marcado na história. Sou o segundo lateral-esquerdo que mais fez gols com a camisa do Corinthians, só atrás do Wladimir. O torcedor do Corinthians reconhece o que você faz pelo clube, mas quando a fase não é boa, ele te critica, quer resuiltado. Foi assim com Ronaldo, Roberto Carlos, com Edu. São caras que ganharam muitos títulos, tiveram boas fases, mas saíram de uma forma não muito agradável. Não tenho o sonho de voltar ao Corinthians. Se acontecer, seria uma felicidade imensa. Sou corintiano, minha família é corintiana, sou um grande torcedor e fiz grandes amigos. Uma vez Corinthians, sempre Corinthians. O Ronaldo foi campeão e em alguns momentos que ele não estava rendendo, a torcida foi em cima dele. É difícil jogar no Corinthians e tenho uma história que não gostaria de estragar.

Qual foi o momento mais marcante na sua passagem pelo Corinthians?

- Tem o gol contra o Santos, no Pacaembu (final do Paulistão 2009), o gol contra o Inter, em Porto Alegre (final da Copa do Brasil 2009), a minha primeira convocação (para a Seleção) foi com a camisa do Corinthians. Sempre vou lembrar de tudo isso, mas jamais vou esquecer de um gol que fiz no Pacaembu, contra o Barueri. Era um jogo difícil, precisávamos ganhar e eles tinham um goleiro que pegava muito contra o Corinthians. No último lance, marquei o gol. Foi uma emoção muito grande que vou guardar para sempre, assim como os prêmios de melhor lateral do Brasileiro, do Campeonato Paulista.

E se fizer um gol contra o Corinthians neste sábado? Vai comemorar?

Acho que não. Minha família é corintiana, eu sou corintiano, respeito demais o clube. Por tudo o que passei e vivi lá dentro, acho que não. Hoje eu represento outra instituição e defendo as cores do Botafogo. Bom, vamos ver o que acontece na hora, se eu fizer um gol...

1.149 visualizações e 29 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Patricia Falcao #5 @patriciafalcao em 13/02/2015 às 20:58

então o cara chama 200 pra bater no chicao? Kkkkkk muito vida loca esse pamonha. Deve ser da organizada ne?

Ritchie Pop #327 @ritchie.sccp em 13/02/2015 às 21:49

Que bom...manda ele comprar FT pra cada um da família dele.

Últimas respostas

Bruno Matheus F. E Silva #31 @brunomatheeus em 14/02/2015 às 14:18

Eu particularmente acho que ele joga mais que o Uendel. Em questão de idade, sabemos que a longevidade do futebol está maior, ou seja, atletas estão tendo carreiras cada vez mais longas, como Danilo, Emerson, Zé Roberto e tantos outros.

Publicidade

Renê Saba E Silva #2.127 @rsaba em 14/02/2015 às 11:52

Jogou muito aqui... Merece todo o nosso respeito, passagem realmente marcante

Igor Moreno #1.280 @igor.moreno1 em 14/02/2015 às 11:48

Ele só jogou bem em dois times, no Timão e no Fenerbahce. Quando fo para o Arsenal acabou caindo muito. Ele faz bem em não voltar e estragar a bonita história que construiu aqui.

Korujinha 1000° #46 @elaine.vitor1 em 14/02/2015 às 11:38

Chicão não tremeu...agora o outro que chamou '200'...

Willian Gadiel Caxangá #7.798 @willian.gadiel1 em 14/02/2015 às 11:26

Aqui é Corinthians...

Jose I #653 @stormnuken em 14/02/2015 às 11:21

Como sempre né.. Corajosos em gangues..

Patricia #5 @patriciafalcao em 13/02/2015 às 20:58

" " então o cara chama 200 pra bater no chicao? Kkkkkk muito vida loca esse pamonha. Deve ser da organizada ne?

Bruno Matheus F. E Silva #31 @brunomatheeus em 14/02/2015 às 02:20

Estranho ele se dizer corinthiano e ao mesmo tempo dizer que não tem o sonho de voltar.

Jeferson Souza #84 @jefferson.rulez em 14/02/2015 às 01:15

Foi o melhor lateral esquerdo do Timão nos últimos anos...

Gosto muito do Fabio Santos, lateral muito competente, mais o Fabio faz o feijao com arroz...

O André Santos em 2009 era um lateral de muitos recursos, driblava fácil, tinha um grande apoio, fazia muitos gols a media e longa distância, finalizava bem...

Pena que ele caiu muito de nível...

Bruno S. Nascimento #1.990 @brn90 em 14/02/2015 às 00:43

O cara pode ter sido chinelinho em outros lugares, mas no Timão sempre representou.

Vinicius Leal #2.861 @vinineto em 14/02/2015 às 00:38

Esse tá tentando arrumar um espacinho no Timão. Kkk

Jogou muito na sua passagem.