Corinthians é pressionado, mas bate o Ceará e vê Fiel gritar 'é campeão'

Corinthians é pressionado, mas bate o Ceará e vê Fiel gritar 'é campeão'

Por Meu Timão

Júlio César jogou muito, e fez defesas que valeram por gols

Júlio César jogou muito, e fez defesas que valeram por gols

Foto: Futura Press

Assim que o árbitro Elmo Alves Resende Cunha (GO) apitou o fim do jogo no Presidente Vargas, alguns jogadores do Corinthians se ajoelharam em campo. Todos se abraçaram. E viram a torcida - espremida, mas barulhenta - gritar "é campeão".

Não foi uma partida primorosa do Corinthians. Mas, mesmo mostrando muitas deficiências no primeiro tempo, o Timão conseguiu vencer o Ceará por 1 a 0 e assegurar a liderança do Campeonato Brasileiro, na noite desta quarta-feira, em Fortaleza. Ajudado pelo rival Palmeiras, que empatou em 1 a 1 com o Vasco, o Alvinegro conseguiu uma folguinha na ponta da tabela. Chegou aos 64 pontos contra 62 dos cariocas.

Mas chegar ao placar magro não foi fácil. O Corinthians levou um tremendo sufoco na primeira etapa e por pouco não viu Julio Cesar ser vazado. Só conseguiu controlar um pouco a situação quando trocou um atacante, Liedson, por um homem no meio-campo – Morais.

Com o resultado, o Timão afundou ainda mais os cearenses na competição. O Vozão, que lotou o estádio, caiu para a 18ª colocação, com 35 pontos. Na próxima rodada, a equipe viaja para Porto Alegre, para pegar o Grêmio.

O Timão, mais tranquilo, recebe o Atlético-MG, domingo, no Pacaembu. E ganha uma brecha para tentar definir logo o campeonato, que está a três rodadas do fim.

Os papéis invertidos do jogo

O torcedor mais desavisado que ligasse a televisãono jogo entre Ceará e Corinthians poderia não entender a relação entre times e suas posições na tabela de classificação do Brasileiro. Empurrado pela torcida, que lotou as arquibancadas do estádio Presidente Vargas, o Vozão, ameaçado pela degola, não parou de pressionar o Timão, que entrou na rodada como ponteiro do campeonato.

Na empolgação, o Ceará aproveitava a velocidade de Osvaldo e Felipe Azevedo para bagunçar a defesa do time paulista. Não era raro ver o camisa 9 do Vozão chegar na cara de Julio Cesar depois de passar por Fabio Santos. E essas arrancadas assustavam tanto a retaguarda do Corinthians como fazia a torcida se agitar nas cadeiras.

O Corinthians só não levou o primeiro gol no tempo inicial porque Julio Cesar fez milagres. Tirou no cantinho direito uma bola cabeceada por Marcos Paulo e salvou com o pé esquerdo a bola de Osvaldo. Quando não tinha muito o que fazer com as mãos ou os pés, o goleiro do Timão torceu. E deu certo. Em um dos lances mais claros para o Vozão, o arqueiro viu a bola passar por sua cabeça e sair por cima do travessão, depois do chute de Felipe Azevedo.

Sem criatividade no meio-campo, o Corinthians penava para levar algum perigo ao goleiro Fernando Henrique. Liedson parecia amarrado no gramado, sem conseguir arrancar. A bola, é verdade, também não chegava facilmente ao ataque alvinegro. Não era raro ver Emerson Sheik voltando para buscar jogo, na tentativa de atrapalhar a vida do Ceará.

E no final do primeiro tempo ficou clara a superioridade cearense. Foram oito finalizações contra três do Corinthians. E restou ao zagueiro Leandro Cástan a sensação de alívio:

- Pelo menos não levamos o gol.

A situação era ruim porque, enquanto o Timão penava para segurar o empate com o Ceará, o Vasco vencia o Palmeiras em São Paulo, resultado que lhe dava a primeira colocação.

Timão arranca vitória no fim

Na tentativa de sofrer menos com as investidas do Vozão, Tite trocou Liedson por Morais. As chegadas dos cearenses já não foram mais tão frequentes. Mas na frente o Timão ainda penava para se encontrar. Sheik, o melhor do time, se via constantemente isolado pelo lado esquerdo, sem ter com quem tabelar.

E o passar do tempo não favorecia nenhuma das duas equipes. Desperdiçando chances, o Ceará viu o Atlético-PR, que bateu o São Paulo mais cedo, roubar a sua colocação na tabela. Mas, pelo lado corintiano, uma notícia distante trazia certo alívio.

Alguns torcedores corintianos que estavam no estádio sabiam que o seu principal rival, o Palmeiras, acabou dando uma forcinha para o Alvinegro. O gol de Luan, que deu o empate com o Vasco, agitou a Fiel nas arquibancadas. E calava por alguns instantes os cearenses.

Mas o respiro mais fundo de alívio ainda viria para os torcedores que encararam a longa viagem de São Paulo até Fortaleza. Ralf lançou Ramírez na esquerda, que avançou em velocidade. O peruano, que havia entrado pouco tempo antes na vaga de Danilo, fintou o marcador e tocou na saída do goleiro Fernando Henrique. Um silêncio profundo tomou conta do Presidente Vargas e só foi quebrado pela Fiel corintiana.

O Ceará foi com tudo ao ataque, mas o Timão soube segurar o resultado. No final, extenuados, alguns corintianos se jogaram no campo. Com aquela sensação de dever cumprido.

Fonte: Globo Esporte

Veja Mais:

  • Juninho é um dos destaques do Bahia

    Corinthians altera moeda de troca e faz contraproposta por lateral do Bahia

    ver detalhes
  • Gramado da Arena foi retirado e o estádio está sendo montado para o Monster Jam

    Gramado 'irreconhecível' da Arena Corinthians chama atenção em foto que circula nas redes sociais

    ver detalhes
  • Tréllez foi autor do gol da Vitória sobre o Corinthians na Arena no BR-17

    Corinthians nem nenhum outro clube fez proposta por Tréllez, alega novo presidente do Vitória

    ver detalhes
  • Estádio do Pacaembu receberá jogos do Corinthians em janeiro de 2018

    São Caetano altera estádio, e Corinthians atuará os quatro primeiros jogos no Pacaembu

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes