Ídolo do Timão fala de reforço no Corinthians

Ídolo do Timão fala de reforço no Corinthians

Sair de um time para defender o rival nunca é uma mudança tranquila

Sair de um time para defender o rival nunca é uma mudança tranquila

Foto: D.A.Jr./Agência Corinthians

POR: Lucas Bettine

Sair de um time para defender o rival nunca é uma mudança tranquila. A desconfiança da torcida coloca uma pressão muito grande sobre o jogador e vários casos na história mostram que o fracasso é mais frequente do que o sucesso. Mas quem triunfou sabe o caminho das pedras. E nada melhor do que passar essa trilha adiante.

Neto, um dos maiores ídolos do Corinthians, veio do rival Palmeiras em uma troca com Ribamar, em 1989. À época, Emerson Leão, então técnico do Palmeiras, deixava o meia no banco por causa de seu peso. O mesmo argumento utilizado por Muricy Ramalho para escantear Jadson no São Paulo.

O Xodó da Fiel brilhou no Timão. Ganhou o Brasileirão de 1990 e caiu nas graças da Fiel. Agora, acredita que Jadson pode trilhar caminho parecido.  

'Tenho certeza de que ele vai dar certo. O Jadson é uma peça de que o time precisava. Acredito que ele tem tudo para dar certo, sim. Mesmo vindo de um rival', disse Neto ao DIÁRIO.

O ídolo só faz uma ponderação: a torcida precisa ter calma para não atrapalhar o rendimento do reforço. 'Tem de abraçar o Jadson de maneira diferente da que fez com o Pato. Não adianta ficar comparando um ao outro', completou o antigo dono da camisa 10, que deverá ser de Jadson.

Treino/ Jadson ainda não foi apresentado -; isso deve acontecer hoje -;, mas já vestiu o uniforme de treino e foi a campo. Ontem, o meia participou normalmente da atividade com os outros jogadores. Ele mostrou boa movimentação no trabalho de dois toques e errou poucos passes.

Mano Menezes vai deixar Jadson o banco contra o Palmeiras, no domingo. Ele deve entrar na vaga de Renato Augusto, que ainda não tem pique para aguentar o jogo todo.

entrevista: Neto - Ex-jogador do Timão e comentarista de TV

‘Meu meio ideal é com Ralf, Guilherme, Renato e Jadson’

DIÁRIO: Você conhece o Corinthians como poucos. O Jadson tem o que é preciso para se dar bem no clube?

NETO: Ele joga muito, é um meia de qualidade, um articulador das jogadas. Vir de um rival pode ser uma pressão, mas, quando se é bom, pode dar certo. O Jadson é bom.

Quem vai fazer mais falta para seu time: Jadson ou Pato?

No São Paulo, não vão ter outro com as características dele. É uma peça de reposição difícil. Para falar a verdade, o São Paulo fez um péssimo negócio. 

O Corinthians vai sair ganhando nessa, então?

Financeiramente, acho um absurdo o Corinthians pagar metade do salário para o cara jogar no rival. Ainda mais um cara que custou R$ 40 milhões. É brincadeira! Mas ninguém queria mais ele no clube e o Jadson é bom. Então, em campo, a troca foi boa para o Corinthians.

Quem seria o parceiro ideal para o Jadson no meio? 

Com todo mundo à disposição do Mano, o meu meio de campo ideal para o Corinthians é Ralf, Guilherme, Renato Augusto e Jadson. Com os jogadores do elenco, acho que esses quatro formariam o melhor meio.

Você também fez essa passagem de um time rival para o Corinthians. Que dicas dá para ele passar por cima dessa desconfiança da torcida? 

Só tem uma dica: jogar bola. Quando o cara joga bem, não importa se ele veio do São Paulo ou do Barcelona. É jogar bola e honrar a camisa. Com isso, a torcida vai abraçá-lo. 

Fonte: Diário de São Paulo

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Craque do futsal do Corinthians, Leandro Lino deve jogar pelo Sorocaba em 2017

    Quatro campeões do Corinthians recebem proposta do Sorocaba e devem 'virar casaca' em 2017

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes