Em comparativo, Jadson é muito mais efetivo do que Pato

Em comparativo, Jadson é muito mais efetivo do que Pato

Por Meu Timão

Jadson é o grande organizador do Timão

Jadson é o grande organizador do Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

No começo do ano, mais exatamente há quatro meses atrás, o futebol paulistano foi balançado pela negociação entre dois rivais: São Paulo e Corinthians. E o motivo dessa tratativa era o mais improvável possível: a troca do bom meia Jadson pelo promissor atacante Alexandre Pato.

Com os dois jogadores em baixa pelos seus clubes, os mandatários, Mário Gobbi (Corinthians) e Juvenal Juvêncio (São Paulo), fecharam a transação. Jadson veio em definitivo para o Timão e Alexandre Pato foi cedido, por empréstimo, ao time do Morumbi.

Realizadas as transações e passado o período de adaptação, é possível começar a ver resultados e estabelecer um comparativo. Quem está melhor?

Se os números forem absolutos e em número de gols, o meia do Corinthians é 100% superior: no Brasileirão, Jadson já marcou quatro vezes e Pato apenas duas. Uma diferença considerável para um meia e um atacante. Além disso, Jadson é fundamental em outro importante fundamento do futebol: as assistências.

Vale destacar que essa comparação é válida apenas para o Brasileirão, onde os dois jogadores puderam jogar desde o começo, já que Alexandre Pato não pôde jogar o Campeonato Paulista por já ter defendido o manto alvinegro.

O início de Jadson foi impressionante. Marcando três gols, contra Oeste e Linense, e dono de quatro assistências nos primeiros cinco jogos, ele ganhou o carinhoso apelido de “Magic Jadson”.

Contudo, seu rendimento caiu um pouco quando Renato Augusto voltou de lesão e começou a cavar um lugar na equipe. Mano Menezes então agiu e optou por um dos meias: Jadson. Assumindo o papel de protagonista, ele não decepcionou. Arranjou mais passes para gols e marcou mais 4, sendo o primeiro, inclusive, da Arena Corinthians.

Alexandre Pato, por outro lado, saiu vaiado do último jogo do São Paulo. Apesar de ter chegado com moral, sua situação começa a oscilar. Com um papel tático diferente do que está habituado a exercer, Pato muitas vezes é armador e não mais o atacante finalizador. Graças a isso, seu desempenho piorou e as substituições viraram rotina para o jogador. A sua situação deve piorar ainda mais com a entrada de Alan Kardec, recém contratado junto ao Palmeiras.

Mas, como Jadson nada tem a ver com isso, seu trabalho deve continuar forte para voltar ainda mais motivado e pronto para a sequência do campeonato brasileiro. O meia, que possui mais de 50% de acerto em suas finalizações, precisa melhorar o passe.

Dos 225 passes efetuados, ele teve um aproveitamento de “apenas” 56,6%. Pouco para um meia organizador e responsável pelas jogadas ofensivas. Com a entrada de Elias, por outro lado, seu rendimento deve melhorar ainda mais, já que poderá dividir com o xodó corinthiano a responsabilidade de criar jogadas e chegar à frente.

Tudo indica que o número de assistências deve aumentar!

Vai Corinthians!

Veja Mais:

  • Guilherme Arana é um dos principais jogadores do país em 2017

    Time espanhol trata Arana como prioridade e deve apresentar nova oferta para o Corinthians

    ver detalhes
  • Romero e Balbuena foram convocados pelo técnico Arce

    Lesão não impede convocação de Balbuena; Paraguai libera lista com os jogadores do Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians não vê jogo da equipe na TV aberta há quase um mês

    Fiel só tem uma opção para assistir na TV ao jogo do Corinthians contra Chapecoense

    ver detalhes
  • Elias deixou o Corinthians há um ano para reforçar o Sporting, de Portugal

    Por momento ruim do Atlético-MG, Elias cogita retorno ao Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes