Em comparativo, Jadson é muito mais efetivo do que Pato

Em comparativo, Jadson é muito mais efetivo do que Pato

Por Meu Timão

Jadson é o grande organizador do Timão

Jadson é o grande organizador do Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

No começo do ano, mais exatamente há quatro meses atrás, o futebol paulistano foi balançado pela negociação entre dois rivais: São Paulo e Corinthians. E o motivo dessa tratativa era o mais improvável possível: a troca do bom meia Jadson pelo promissor atacante Alexandre Pato.

Com os dois jogadores em baixa pelos seus clubes, os mandatários, Mário Gobbi (Corinthians) e Juvenal Juvêncio (São Paulo), fecharam a transação. Jadson veio em definitivo para o Timão e Alexandre Pato foi cedido, por empréstimo, ao time do Morumbi.

Realizadas as transações e passado o período de adaptação, é possível começar a ver resultados e estabelecer um comparativo. Quem está melhor?

Se os números forem absolutos e em número de gols, o meia do Corinthians é 100% superior: no Brasileirão, Jadson já marcou quatro vezes e Pato apenas duas. Uma diferença considerável para um meia e um atacante. Além disso, Jadson é fundamental em outro importante fundamento do futebol: as assistências.

Vale destacar que essa comparação é válida apenas para o Brasileirão, onde os dois jogadores puderam jogar desde o começo, já que Alexandre Pato não pôde jogar o Campeonato Paulista por já ter defendido o manto alvinegro.

O início de Jadson foi impressionante. Marcando três gols, contra Oeste e Linense, e dono de quatro assistências nos primeiros cinco jogos, ele ganhou o carinhoso apelido de “Magic Jadson”.

Contudo, seu rendimento caiu um pouco quando Renato Augusto voltou de lesão e começou a cavar um lugar na equipe. Mano Menezes então agiu e optou por um dos meias: Jadson. Assumindo o papel de protagonista, ele não decepcionou. Arranjou mais passes para gols e marcou mais 4, sendo o primeiro, inclusive, da Arena Corinthians.

Alexandre Pato, por outro lado, saiu vaiado do último jogo do São Paulo. Apesar de ter chegado com moral, sua situação começa a oscilar. Com um papel tático diferente do que está habituado a exercer, Pato muitas vezes é armador e não mais o atacante finalizador. Graças a isso, seu desempenho piorou e as substituições viraram rotina para o jogador. A sua situação deve piorar ainda mais com a entrada de Alan Kardec, recém contratado junto ao Palmeiras.

Mas, como Jadson nada tem a ver com isso, seu trabalho deve continuar forte para voltar ainda mais motivado e pronto para a sequência do campeonato brasileiro. O meia, que possui mais de 50% de acerto em suas finalizações, precisa melhorar o passe.

Dos 225 passes efetuados, ele teve um aproveitamento de “apenas” 56,6%. Pouco para um meia organizador e responsável pelas jogadas ofensivas. Com a entrada de Elias, por outro lado, seu rendimento deve melhorar ainda mais, já que poderá dividir com o xodó corinthiano a responsabilidade de criar jogadas e chegar à frente.

Tudo indica que o número de assistências deve aumentar!

Vai Corinthians!

Veja Mais:

  • Universidade Brasil firmou acordo com Corinthians para primeiro jogo da final estadual

    Corinthians anuncia patrocínio pontual para final do Paulistão; veja como fica a camiseta

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não volta ao Corinthians em 2017

    Corinthians empresta Alan Mineiro para quarto clube diferente em menos de um ano

    ver detalhes
  • Corinthians encerrou preparação contra a Ponte Preta

    Clima bom, susto de Pablo e escalação do Corinthians: o último treino antes da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Casuals foi derrotado nos pênaltis neste sábado; próxima temporada só em agosto

    Nos pênaltis, Corinthian-Casuals perde final e adia sonho de subir de divisão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes