Coletiva de Jadson: O que rolou?

Coletiva de Jadson: O que rolou?

Jadson dando entrevista no CT Joaquim Grava

Jadson dando entrevista no CT Joaquim Grava

Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O meia Jadson concedeu entrevista coletiva nessa quinta-feira, no CT Dr. Joaquim Grava, para falar sobre a sua permanência no Corinthians. O jogador recusou uma proposta milionária do futebol chinês e cumprirá seu contrato com o Timão até dezembro de 2015.

O camisa 10 do Corinthians garantiu que está feliz no clube, contou sobre a pressão que sofreu dos empresários na hora de decidir sobre a proposta e disse estar tranquilo sobre a renovação com o Timão.

Confira o que mais rolou na entrevista do meia:

Decisão de ficar

Quando a gente voltou para a pré-temporada, eu não estava de titular. Estava na reserva, e o Tite sempre deixou muito claro que eu iria conquistar a vaga nos treinamentos. Tive algumas propostas para sair, corri atrás do meu espaço, estou correndo, tenho feito bons jogos com a ajuda dos meus companheiros, a equipe está bem. Somando tudo isso, foi fundamental para que eu decidisse ficar.

China

O Vágner falou sobre, conheço o Aloísio também. Tem vários jogadores que estão lá e estão se saindo bem. Se eles estão lá, deve ser um lugar bom pra morar e jogar.

Você trocar um campeonato competitivo no Brasil por um oportunidade para ganhar mais, às vezes pode ser mais tranquilo. Eu não conheço nada de lá, não posso falar muita coisa.

Tite

Naquela época, ele falou que gostaria de contar comigo no começo do ano. Sabia da minha qualidade técnica, só que eu tinha que correr atrás, todo mundo ia ter que correr atrás. Dessa vez, ele me mandou uma mensagem falando que a decisão que eu tomasse ele iria respeitar. Que desejava muita sorte, que eu tivesse luz no meu caminho, mas que ele gostaria de contar comigo pela qualidade técnica, pelo meu jeito de trabalhar. Ele me deixou tranqüilo para decidir. Ele é um cara muito honesto, muito bom de trabalhar.

O Tite já deixou claro que aqui o elenco dele não tem titular. Ele preza muito o trabalho, dá oportunidade pra todo mundo, é um cara muito correto. Todos adoram a forma dele de trabalhar. Quando precisa falar, ele fala na cara. Elogiar, elogia. Puxão de orelha, ele puxa. Ele já disse que vai ser através do trabalho. Continuar trabalhando como venho trabalhando e ficar cada vez melhor fisicamente, porque dentro de campo vou conseguir render melhor.

Em nenhum momento o Tite me pressionou, só deixou claro o que ele pensa sobre o meu futebol, sobre a minha importância. Aqui no Corinthians, todo jogador tem que jogar em alto nível todos os jogos. É uma pressão, aqui no elenco tem jogadores de qualidade. Qualquer brecha, o outro vai querer entrar pra mostrar serviço. É do risco, mas como eu disse, estou focado, quero ajudar aqui, quero ser campeão aqui e vou trabalhar para isso.

Titular absoluto?

Eu ouvi muitas coisas, pessoas falando que já estava certa a minha ida para lá. Mas em nenhum momento falei publicamente que queria ir. Continuei trabalhando normalmente, cumprindo minhas obrigações porque não tinha nada decidido. Mesmo às vezes as pessoas falando, eu falei que ia continuar treinando normalmente. Então estou pronto pra ajudar a equipe. A questão de eu ter ficado não quer dizer que eu sou titular absoluto. O Tite já deixou muito claro que todos têm a sua importância, todos têm que trabalhar. Eu vou continuar fazendo isso para ganhar cada vez mais a confiança dele e dos meus companheiros

Despedida

Eu estava bem tranqüilo em casa. Claro que estávamos apreensivos, pensando na situação. Em nenhum momento eu me despedi, sempre falei que tinha essa situação de eu poder ir para lá. Ouvi várias opiniões, quando a pessoa está aqui e acaba falando que vai ser bom. Opinião para falar é fácil. É mais ou menos, não me despedi de ninguém, fiquei tranquilo, esperando eu tomar uma decisão.

Bom ano

Comprometimento com a equipe, com a comissão técnica. Quando o Tite mandou a mensagem para todo mundo focar que a gente tinha o compromisso muito difícil pela Liberadores. Quando a gente foi para os Estados Unidos, peguei firme. Fiz um trabalho com a nutricionista, com todos da comissão, trabalhei forte. O Lodeiro era titular, merecidamente, ele tem uma qualidade técnica muito boa, ótima pessoa e chegou melhor que eu na pré-temporada. Nunca fui de reclamar, de falar pelos cantos. Fiquei esperando a minha hora, meu momento, aconteceu naquele dia que ele foi negociado. Pegou de surpresa, e vi que ali era a minha hora de mostrar que eu tinha condições de mostrar para a equipe. E de lá pra cá, eu tenho mostrado o meu melhor e ajudado a equipe a conquistar as vitórias.

Veja Mais:

  • Corinthians imagina que receberá propostas por Yago e Balbuena

    Corinthians estuda vender zagueiro e intensifica busca por contratação defensiva

    ver detalhes
  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Sub-20 comemorando título do Corinthians/UNIP no futsal

    Sub-20 conquista título estadual e Corinthians fica perto de fim de ano perfeito no futsal

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes