Tite isenta Cristian: 'Não é culpa dele. É culpa do técnico'

Tite isenta Cristian: 'Não é culpa dele. É culpa do técnico'

Cristian não foi bem e foi substituído no intervalo do empate com o Red Bull Brasil

Cristian não foi bem e foi substituído no intervalo do empate com o Red Bull Brasil

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

O desempenho do Corinthians no empate sem gols com o Red Bull Brasil foi abaixo do apresentado durante a temporada. Mesmo com a equipe titular em campo, o Timão não conseguiu impôr seu ritmo e arrancar três pontos na tarde desse sábado. Uma das alterações na equipe era Cristian. O volante assumiu a posição de Renato Augusto, lesionado, mas não fez uma boa partida e acabou sendo substituído ainda no intervalo do jogo.

Para o técnico Tite, a escalação do jogador em uma função de criação foi uma experiência válida.

"Nós não podemos utilizar um outro articulador, outro pensador. Por causa da sequência, dos jogos, eu vou tendo que fazer experiências dentro da competição, do próprio jogo. A utilização do Cristian em uma função de criação, eu não consigo treinar, o jogo me permite. Esse é um dos motivos que não teve aquela triangulação. Não é culpa do Cristian, mas de uma engrenagem toda que não tinha ninguém para dividir a criação com o Jadson", explicou em coletiva de imprensa após o empate.

A primeira etapa do confronto foi morna e sem muitas oportunidades para ambas as equipes. O Red Bull Brasil foi quem mais criou. Segundo o comandante, o desempenho fraco o meio de campo alvinegro não foi culpa do camisa 16.

"Ele tem uma empatia com o grupo, uma consciência muito grande. Porém, ele foi utilizado em uma função diferente, que eu precisava olhar. Ele se mostrou bem, nas poucas vezes utilizado. Não é culpa dele. É culpa do técnico, mas eu preciso ver. Não posso ficar na teoria. Quando divide funções de articulações, o adversário não fica marcando um jogador apenas. Procurei alternativas, jogar com dois atacantes enfiados, poder de conclusão maior, ai tirei o meio, para colocar dois homens, a equipe cresceu, fez pressão", completou.

Para concluir o pensamento sobre o assunto Cristian, o técnico destacou o poder defensivo que o três atletas (Cristian, Ralf e Elias) jogando juntos impuseram dentro do jogo.

"A mecânica se perder na agressividade. Principalmente com uma equipe que espera. Se ela (Red Bull Brasil) agredisse mais, talvez abriria mais espaço. Mas dessa maneira, com essa mecânica, se mostrou com os três defensivamente forte, mas com um poder de criação que ficou a parte", finalizou.

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes