Goleiro ex-Timão sonha em voltar ao clube, mas não como jogador

Goleiro ex-Timão sonha em voltar ao clube, mas não como jogador

Por Meu Timão

Julio Cesar deixou o Corinthians em 2014

Julio Cesar deixou o Corinthians em 2014

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O goleiro Julio Cesar, formado nas categorias de base do Corinthians, passou grande parte de sua vida no clube do Parque São Jorge. No futebol profissional, ganhou títulos entre 2005 e 2014, já contando com a base, soma 15 anos de Timão.

Há um ano, foi emprestado ao Náutico até o fim de seu vínculo com o Corinthians. Em janeiro de 2015, acertou em definitivo com a equipe pernambucana. Com boas lembranças, Julio Cesar não esconde o carinho que guarda do clube alvinegro, revelando até o desejo de retornar ao lugar onde sua carreira começou.

"É triste (sair) porque foi onde vivi minha vida inteira, foi quem me projetou e por quem tenho o maior carinho possível. Mas vivi e passei tudo que tinha que viver. Tudo começa e termina. Espero que um dia possa voltar, talvez como dirigente, treinador, auxiliar. Não sei se treinador de goleiros. Mas o Mauri Lima seria um grande espelho", relembrou o jogador em entrevista ao LANCENET!.

Sobre os 11 títulos que conquistou pelo Corinthians desde 1999, ano em que ingressou na base, que vão de Copa São Paulo de Futebol Júnior ao Mundial de Clubes, o goleiro diz ainda não ter noção da grandeza das conquistas.

"Isso é uma coisa muito boa. É certeza que vou contar para filhos e netos. Mas, cara... A dimensão de tudo isso não sei ainda. São lembranças muitos boas que guardo na minha vida, o Corinthians está sempre nela. Só vou entender mesmo este feito acho que depois de me aposentar", contou.

"Sem a Copa São Paulo eu não conseguiria chegar ao profissional. São títulos fundamentais para o início da minha carreira. O Brasileiro de 2011 e a Libertadores são os mais especiais no profissional. A Libertadores é o mais especial, porque comecei jogando e foi um título que eu vivi aquele momento de torcedor de nunca ter uma Libertadores, ser zoado por torcedores. O Brasileiro foi bom também por eu ter ido bem, jogando o campeonato todo como titular", completou, revelando quais foram os títulos mais especias da carreira.

Relembrando os colegas de equipe na época do alvinegro, revelou algumas amizades especiais. "Tem o Dentinho, que é meu irmão até hoje. Cássio... O Danilo Fernandes agora é rival no Sport, o Diego Sacoman também, no Santa Cruz. Lulinha, Fábio Santos, Emerson... São muitas pessoas queridas. É difícil listar".

Atualmente no Náutico, com contrato válido até o final deste ano, mostrou-se adaptado a Recife, onde ainda encontra muitos torcedores corinthianos. "O carinho aqui é grande. Tem bastante corintiano aqui, me param nas ruas", concluiu.

Veja Mais:

  • Carille comandou o treino do Corinthians deste sábado, no CT Joaquim Grava

    Pablo treina, e Carille define escalação do Corinthians contra o Atlético-GO

    ver detalhes
  • Clayson foi relacionado pela primeira vez no Corinthians

    Com estreia de Clayson e Pablo, Corinthians relaciona 22 contra Atlético-GO

    ver detalhes
  • Roberto (à esq.) está pessimista por negócio com Cicinho

    Roberto de Andrade esclarece especulações, vê Cicinho distante e abre o jogo sobre Nenê

    ver detalhes
  • Nenê foi oferecido nos últimos dias para a diretoria do Corinthians

    Nenê é oferecido ao Corinthians; até troca com dois jogadores alvinegros é sugerida

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes