Com dores no quadril, Renato Augusto vira dúvida para o Majestoso

Com dores no quadril, Renato Augusto vira dúvida para o Majestoso

Por Meu Timão

Renato Augusto pode ser problema no Timão

Renato Augusto pode ser problema no Timão

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O meio-campista Renato Augusto tornou-se dúvida para o clássico deste domingo, contra o São Paulo. Após relatar fortes dores no quadril na noite desta terça-feira, o jogador não participou dos treinamentos dessa manhã no CT Dr. Joaquim Grava e foi encaminhado ao Hospital São Luiz, onde passará por exames.

Nesta terça-feira, no treino realizado também às 9h30, Renato Augusto participou das atividades normalmente. À noite, foi o convidado do programa "Cartão Verde", da TV Cultura, não relatou nada incomum, e somente nesta manhã que o médico Joaquim Grava foi informado.

Destaque no meio de campo do Corinthians nessa temporada, o jogador não sofria com lesões graves há aproximadamente dois anos e, para isso, mantém um acompanhamento diferenciado por parte do departamento médico e físico do clube, assistido principalmente pelo fisioterapeuta Bruno Mazziotti.

Durante o treinamento desta manhã, para ocupar sua posição, o técnico Tite optou por Danilo. Por enquanto, o clube aguarda pelos resultados dos exames para saber se há lesão e a consequente gravidade do problema do atleta, definindo se ele entrará, ou não, em campo pelo Majestoso.

Veja Mais:

  • Corinthiano Luidy é o novo reforço do Figueirense

    Anunciado por clube da Série B, Luidy agradece Corinthians

    ver detalhes
  • Timão e Caixa não chegaram a acordo pela renovação

    Corinthians recebe ofertas, mas pode permanecer sem patrocínio master na decisão; veja imposições

    ver detalhes
  • Fagner não corre risco de perder finais do Paulistão

    Julgamento de Fagner por suposta agressão no Majestoso acontecerá só após finais do Paulistão

    ver detalhes
  • Jadson, com a 10, fez um dos gols contra a Universidad de Chile na Arena

    Corinthians vai devolver camisa 10 a Jadson; utilização na decisão ainda é incógnita

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes