Destaque no PSG, Marquinhos relembra início no Timão e revela torcida

Destaque no PSG, Marquinhos relembra início no Timão e revela torcida

Por Meu Timão

Apesar do futebol promissor, Marquinhos recebeu poucas oportunidades de Tite e acabou emprestado ao Roma

Apesar do futebol promissor, Marquinhos recebeu poucas oportunidades de Tite e acabou emprestado ao Roma

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Há três anos na Europa, o zagueiro Marquinhos não nega: o amor pelo Corinthians continua vivo. Adaptado ao estilo de jogo do Paris Saint-Germain, da França, o defensor revelou que não se esqueceu de suas origens e continua acompanhando o dia a dia do Timão, clube que o formou para o mundo do futebol.

“Eu vivi dez anos da minha vida ali no Corinthians, desde 2002 até o ano de 2012, quando acabei me transferindo. Consequentemente eu assimilo o Corinthians, vivi a minha vida inteira ali, ia pra escola perto do Corinthians, ganhava bolsa pelo Corinthians”, contou Marquinhos,em entrevista ao jornalista Andre Henning, do canal Esporte Interativo.

“Eu treinava à tarde campo, e à noite salão. Então eu praticamente vivi a minha vida dentro do Parque São Jorge, depois em Itaquera e no final a gente acabou sendo transferido para Guarulhos. Agradeço ao Corinthians, continuo torcendo e acompanhando até hoje”, acrescentou.

Marquinhos iniciou sua carreira no “terrão” do Parque São Jorge. Após se destacar na base, foi promovido ao elenco profissional do Corinthians no final de 2011. No ano seguinte, retornou à categoria Sub-20 e conquistou a Copa São Paulo de Futebol Júnior. De volta ao time principal, herdou a camisa 10 do atacante Adriano e participou do grupo campeão da Taça Libertadores, em 2012.

Apesar do futebol promissor, recebeu poucas oportunidades do técnico Tite e acabou emprestado por 1,5 milhão de euros ao Roma, da Itália. Em pouco tempo, se adaptou à equipe italiana e passou por uma ascensão meteórica, sendo contratado em definitivo por apenas 3 milhões de euros.

Em julho de 2013, o defensor se transferiu ao Paris Saint-Germain por 35 milhões de euros – R$ 101,5 milhões na cotação da época, valor que fez do corinthiano o zagueiro mais caro da história aos 19 anos. Nome constante nas convocações do técnico Dunga, disputou a última Copa América, no Chile, em julho.

Veja Mais:

  • Crescimento do Fiel Torcedor se reflete nas arquibancadas

    Corinthians ultrapassa rival e assume primeira colocação em ranking de sócios

    ver detalhes
  • Imagem ironizou os que esqueceram da participação alvinegra na Sul-Americana

    Corinthians desenha confrontos da Sul-Americana e volta a ironizar reclamações do calendário

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians evoluiu em 2017 'junto' com o time

    Após início de ano desastroso, Arena Corinthians 'entra na média' e já mira recorde em 2017

    ver detalhes
  • Carille teve problemas para testar elenco nesta quarta; Arana e Léo Santos se ausentaram

    Bruxa solta! Treino do Corinthians é marcado por ausências, sustos e dúvidas

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes