Se entrar em campo contra o Botafogo-SP, Felipe alcança marca histórica no Timão

Se entrar em campo contra o Botafogo-SP, Felipe alcança marca histórica no Timão

Por Meu Timão

Após início complicado no futebol, Felipe vive a melhor fase de sua carreira no Corinthians

Após início complicado no futebol, Felipe vive a melhor fase de sua carreira no Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians

Titular incontestável no atual time de Tite, Felipe alcançará a marca de 100 jogos pelo Corinthians na próxima vez que entrar em campo. O jogador, que chegou à equipe apenas para compor o elenco, mostrou paciência e trabalho para alcançar a titularidade e ser um dos pilares da equipe na campanha do hexacampeonato brasileiro em 2015.

O atleta pode alcançar o feito já no jogo deste domingo, contra o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto, válido pelo Campeonato Paulista. No entanto, caso seja poupado por Tite, ele completará os 100 duelos no confronto contra o Cerro Porteño, na Arena Corinthians, pela Copa Libertadores.

O zagueiro não chegou onde está à toa e tem uma história diferente de grande parte dos jogadores. Ele até chegou a jogar por pouco tempo no Timão aos 14 anos, porém se distanciou das categorias de base e passou a disputar campeonatos amadores.

Aos 20 anos, foi chamado para jogar pelo sub-20 do União Mogi, porém interrompeu a carreira para começar a trabalhar com a sogra entregando cogumelos. Apesar da chance de continuar no trabalho familiar, o sonho falou mais alto e o jogador voltou a jogar pelo União em 2010, tornando-se profissional, porém tendo a primeira grande decepção por ter de abandonar o clube devido à falta de pagamento.

No entanto, mesmo deixando o União Mogi, Felipe já tinha feito o certo: um DVD com seus lances chamaram a atenção do Bragantino. De repente, lá estava o jogador na primeira divisão do Campeonato Paulista.

Um ano defendendo o time de Bragança foi o suficiente para despertar o interesse do Corinthians e o zagueiro acertou sua ida ao clube do Parque São Jorge já em 2012. Aquele ano, no entanto, não foi fácil para ele.

Com apenas quatro partidas disputadas, sendo que em três delas ele entrou nos cinco minutos finais, o zagueiro tinha pouco espaço na equipe, quase foi emprestado, mas acabou entre os 23 escolhidos para a disputa do Mundial de Clubes, após a conquista da Libertadores daquele ano.

Mesmo sem ser um dos protagonistas, Felipe já era vencedor, mas também tinha o desejo de escrever sua história no clube. Em 2013 e 2014 continuou sem espaço. Já em 2015, com a volta de Tite, o atleta passou a ser opção e viu sua vida mudar ainda mais.

Ao lado de Gil, o jogador conseguiu reverter a desconfiança da torcida em pouco tempo para se tornar um importante nome na equipe de 2015, que conquistou o sexto título do Campeonato Brasileiro. Com a ida de Gil ao futebol chinês, a responsabilidade de Felipe aumentou ainda mais e ele é hoje um dos pilares da equipe que se reconstrói após grandes mudanças sofridas no início deste ano.

Veja Mais:

  • É clássico! Corinthians enfrenta o São Paulo no Morumbi em mais um desafio pelo Paulista

    É clássico! Corinthians enfrenta o São Paulo no Morumbi em mais um desafio pelo Paulista

    ver detalhes
  • Pedrinho está mantido na equipe para o confronto com o São Paulo

    Corinthians divulga escalação com mudanças para clássico no Morumbi

    ver detalhes
  • Com ídolos como Vampeta e Marcelinho Carioca, Corinthians foi campeão mundial em 2000

    Em parabéns a Vampeta, FIFA reafirma: Mundial de clubes só começou em 2000

    ver detalhes
  • Auricchio (à dir.) passou a integrar diretoria da base do Corinthians

    Corinthians nomeia ex-diretor de futebol para cargo na base

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes