'De folga', Caíque comenta convocação às pressas e brinca sobre telefonema

'De folga', Caíque comenta convocação às pressas e brinca sobre telefonema

Por Meu Timão

Caíque França é apenas o quarto goleiro do Timão; neste domingo, precisou ir às pressas para a Arena para ser suplente imediato de Walter

Caíque França é apenas o quarto goleiro do Timão; neste domingo, precisou ir às pressas para a Arena para ser suplente imediato de Walter

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

O dia 15 de maio de 2016 não deixará tão cedo a memória de Caíque França, quarto goleiro do Corinthians. Inicialmente fora da lista de relacionados para a partida contra o Grêmio, neste domingo, pela estreia do Campeonato Brasileiro, o jovem jogador foi convocado às pressas para o lugar de Matheus Vidotto, que se lesionou momentos antes do apito inicial.

Em entrevista após o empate por 0 a 0, Caíque contou como recebeu a notícia de que teria de ir à Arena Corinthians. “Eu moro aqui na zona leste, sempre morei. Eu estava com a minha namorada, estava saindo, aí me ligaram e eu vim às pressas. Acabei chegando no horário”, relatou Caíque.

O chamado por Caíque ocorreu justamente quanto o primeiro e o terceiro goleiros do Timão estavam fora de combate. Titular da posição, Cássio precisou ir a Veranópolis, no Rio Grande do Sul, devido ao sepultamento da avó. Já Matheus Vidotto, então convocado para ser o único suplente de Walter, se machucou durante o aquecimento no gramado. O atleta, aliás, deverá ser operado nesta segunda-feira.

“Recebi a ligação falando que tinha que vir para cá porque o Matheus tinha se machucado e era grave. Cheguei em uns 25 minutos. O pessoal já estava no campo. Me troquei e subi rapidinho”, falou. “É que geralmente vão três goleiros para o jogo, mas o Cássio teve a infelicidade com família e acabaram indo só os dois. Praticamente estava de folga, mas ainda bem que estava esperto”.

Cria das categorias de base do Parque São Jorge, Caíque França, de 20 anos, foi titular na campanha vitoriosa do Brasileirão Sub-20 de 2014. Em sete partidas disputadas, o arqueiro sofreu apenas dois gols, marca que lhe rendeu o prêmio de melhor goleiro da competição. No ano passado, chegou a defender a meta do time então comandado por Caco Espinoza (atualmente, o Sub-20 é treinado por Osmar Loss), mas, em boa parte da temporada, alternou entre as divisões amadora e profissional.

A pronta resposta de Caíque ao chamado da comissão técnica surpreendeu os companheiros de clube. O motivo? O garoto não costuma atender chamadas telefônicas com frequência. “Ah, quando vi de quem era tive que atender. Ligação importante (risos)”, brincou o jogador, que ainda recordou os apuros pelos quais sua namorada passou para chegar à Arena.

“Ela não chegou a ser barrada, eu cheguei, ela ficou esperando no estacionamento e eu falei pro segurança: ‘Minha namorada está ali, sobe ela pra numerada que ela está sem ingresso’”. Curiosamente, como foi pego de surpresa, Caíque teve usar as vestimentas de Matheus Vidotto. “A (camisa) número 1 é do Matheus, eu sou o numero 40 agora. Nem o 24, nem o 40 (risos). Tudo emprestado, luva, caneleira (risos)”, acrescentou o tímido França, que pretende alçar voos maiores dentro do Timão. “A gente treina diariamente pra isso, ser relacionado, continuar trabalhando e conquistar as coisas ao longo dos anos”, concluiu.

Veja Mais:

  • Willians tinha contrato por empréstimo até o fim da temporada

    Willians se despede de companheiros e não joga mais pelo Corinthians

    ver detalhes
  • Chapecoense está na Libertadores de 2017; Corinthians segue lutando por vaga

    Conmebol confirma título à Chape, e Libertadores-2017 terá ao menos oito brasileiros

    ver detalhes
  • Muricy atualmente trabalha como comentarista no SporTV

    Corinthians convidou Muricy Ramalho para ocupar cargo na base

    ver detalhes
  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes