Após criticas diretas à Fiel, Elias sustenta argumentos sobre o caso

Após criticas diretas à Fiel, Elias sustenta argumentos sobre o caso

Por Meu Timão

Porta-voz do elenco, Elias sustentou os argumentos da crítica à Fiel

Porta-voz do elenco, Elias sustentou os argumentos da crítica à Fiel

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Um dos principais jogadores do atual elenco corinthiano, o volante Elias, responsável por fazer críticas à Fiel na última segunda-feira, após o empate por 1 a 1 contra o Cruzeiro, voltou a falar sobre o assunto que deixou a torcida corinthiana dividida. Questionado a respeito das reclamações quanto ao comportamento da Fiel ao longo das últimas partidas, marcado por muitas vaias, o camisa 7 evidenciou sua trajetória no clube e destacou a principal característica da Fiel.

“Tenho 251 jogos, uma marca muito difícil de se alcançar devido ao futebol como está, pelas negociações, mas pude completar no clube que gosto e que torço desde sempre. Posso falar com propriedade. O Corinthians ficou mais de 20 anos na fila, foi o período que a torcida mais cresceu, ela já fez feitos históricos, como invadir Maracanã, invadir o Japão, e foi essa torcida que me acostumei a ver. Uma torcida fiel, presente, que cobra”, declarou, em entrevista ao globoesporte.com.

Consciente da dimensão e dificuldade em vestir a camisa do Corinthians, Elias não minimizou a cobrança por resultados, porém reiterou o pedido pelo apoio durante os 90 minutos, algo que não ocorreu nas últimas partidas, quando as reclamações tiveram início ainda com os jogos em andamento.

“A gente não foge da cobrança, quem vem para cá sabe disso. Mas devido aos acontecimentos em jogos em casa, tive de fazer um pronunciamento desse porque conheço o Corinthians, sei como é o corintiano de verdade e é esse torcedor que a gente quer ver no estádio”, acrescentou.

Com 251 jogos realizados em duas passagens pelo Timão, Elias chegou ao clube em 2008, para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Membro do elenco que conquistou o acesso à elite nacional, o volante ainda marcou presença nos títulos do Campeonato Paulista e Copa do Brasil no ano seguinte. Em 2015, garantiu sua quarta conquista pelo Corinthians, a do Campeonato Brasileiro.

Apesar das inúmeras críticas depois da declaração, Elias não demonstrou preocupação e relembrou a postura de liderança adquirida a partir de sua convivência com Ronaldo. “Eu apanho porque suporto isso, tenho uma história aqui e nada vai apagar o que já fiz. Mas tinha que ser eu, estava incomodando os jogadores, a diretoria e o treinador. E resolvi falar porque eu posso apanhar. Aprendi muito disso com o Ronaldo, que apanhou bastante para que a gente pudesse ter a cabeça tranquila. Claro que não tenho a história dele no mundo do futebol, mas tenho no Corinthians. Se me criticam porque falei, só falei a verdade”, finalizou.

Sem Elias, impossibilitado de entrar em campo, já que está suspenso depois de levar o terceiro cartão amarelo, o Corinthians volta a campo neste domingo. A equipe comandada pelo técnico Cristóvão Borges enfrenta o Grêmio, às 11h, na Arena do Grêmio, em duelo válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. Somando 34 pontos, o Timão ocupa a terceira colocação.

Veja Mais:

  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes