Cristóvão lamenta desmanche, fala sobre pressão e manda recado a reservas

Cristóvão lamenta desmanche, fala sobre pressão e manda recado a reservas

Por Meu Timão

Cristóvão ganhou 'fôlego novo' com empate no Rio de Janeiro

Cristóvão ganhou 'fôlego novo' com empate no Rio de Janeiro

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Embora o Corinthians tenha conquistado a vantagem de um empate sem gols para o jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, Cristóvão Borges ainda lamenta o desmanche que atingiu o elenco alvinegro nesta janela de transferências para a Europa. No entanto, de acordo com o treinador, as saídas repentinas abrem caminho para jogadores pouco utilizados na temporada.

“Temos os contratados (Jean e Gustavo) e outros jogadores que ainda não tiveram uma chance, mas têm condições e podem ajudar. A conversa que eu tenho com eles é: somos nós agora o Corinthians, temos que mudar isso, dar uma resposta. E eles estão muito a fim disso. Esses que ainda não tiveram oportunidade, é o momento para eles aparecerem”, afirmou Cristóvão Borges em participação no programa Seleção SporTV.

Nesta quarta-feira, o Corinthians foi a Mesquita (RJ) enfrentar o Fluminense, pela partida de abertura das oitavas da Copa do Brasil. Após ver Marquinho abrir o placar para os donos da casa, o Timão mudou de postura na etapa final e chegou ao 1 a 1 com Rodriguinho, garantindo assim a vantagem do 0 a 0 – por conta do critério do gol fora de casa – no embate de volta, marcado para 21 de setembro.

Questionado a respeito das cobranças excessivas de parte da Fiel sobre seu trabalho, Cristóvão relacionou a perda de jogadores nas últimas semanas com a pressão atual, a qual tende a ser menor a partir de agora.

“O jogo é sempre a parte menor. Eu tenho que responder sobre a saída do Tite, dar explicações e não convenço ninguém. No começo, era muito forte a coisa de substituir o Tite. Agora isso passou um pouco, por causa da instabilidade da equipe na competição (...). No futebol também é difícil ser equilibrado. Todos os envolvidos no futebol são extremistas, para o bem ou para o mal”, desabafou o comandante, que perdeu recentemente Bruno Henrique, Elias, Luciano e André para equipes do exterior, além de Danilo, contundido.

“A gente estava sendo muito criticado. Agora, com a saída dos jogadores muito visível, todo mundo passou a perceber que isso é uma coisa importante, que vai ter uma influência maior. Isso também alivia de alguma forma. Aí volta a, aparentemente, ter algum equilíbrio”.

Cristóvão terá cerca de 20 dias para preparar a equipe ideal que buscará a classificação às quartas de final da Copa do Brasil. Até lá, o Timão terá quatro compromissos pelo Brasileirão (Sport, Santos, Coritiba e Palmeiras) antes de voltar suas atenções à competição disputada em formato mata-mata. Para o técnico, nada de poupar.

“Eu vou colocar sempre o time mais forte, sem preocupação. Essa fase, a gente vai jogar para brigar pelo título das duas competições. Quando a Copa do Brasil chegar à fase final, chega também o momento mais difícil do Brasileiro, talvez nesse momento você tenha que repensar algumas coisas. Mas isso ainda está muito longe”, concluiu.

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes