Oswaldo de Oliveira comenta eliminação e evita falar de arbitragem

Oswaldo de Oliveira comenta eliminação e evita falar de arbitragem

Por Meu Timão

Oswaldo de Oliveira não reclamou das críticas à arbitragem feitas por seus jogadores

Oswaldo de Oliveira não reclamou das críticas à arbitragem feitas por seus jogadores

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

O técnico Oswaldo de Oliveira preferiu não centralizar na arbitragem, ao contrário do que foi feito pelos jogadores, a eliminação do Corinthians para o Cruzeiro na Copa do Brasil. Após a derrota por 4 a 2, na noite desta quarta-feira, o treinador conversou com a imprensa no Mineirão.

Apresentado como novo treinador do Corinthians na última sexta-feira, Oswaldo reconheceu que a equipe alvinegra errou e, por isso, acabou derrotada. Um post de um torcedor no fórum do Meu Timão descreve com mais precisão as falhas da defesa do Timão.

"Infelizmente, a gente ainda não conseguiu o tempo pra trabalhar com mais intensidade e tentar reparar (os erros)", declarou o treinador.

Fato é que o Corinthians foi para o intervalo empatando em 1 a 1. Tal resultado dava a classificação ao Timão, graças à vitória construída no duelo de ida, na Arena. Ao ser questionado sobre as instruções que havia passado aos atletas no vestiário antes do segundo tempo, Oswaldo negou ter pedido para a equipe recuar.

"Muito simples, continuar jogando. A gente não prevê que os gols que nós levamos iriam acontecer. Nós tínhamos chegado muito bem, com duas chances muito claras de fazer o segundo gol e criar uma situação mais favorável. Mas isso é uma coisa que não tem previsão. Nós procuramos instruir o time pra continuar jogando, e normalmente tentar o segundo gol", argumentou.

No que diz respeito à arbitragem, Oswaldo preferiu focar apenas no lance do suposto pênalti cometido por Pedro Henrique e que originou o segundo gol do Cruzeiro no jogo. O treinador não cravou reclamação sobre o a marcação do juiz, mas também não criticou a postura de seus atletas por terem criticado os responsáveis pelo apito.

"É, porque muitas vezes esse tipo de pênalti não é marcado. É uma disputa de bola que tem encontro dos jogadores, mas eles têm muito mais argumento que eu pra isso, eu não vi com muito detalhes. De longe, de onde eu estava parecia mais uma disputa corpo a corpo. Mas, infelizmente, a gente compreende (as reclamações), porque nós perdemos uma classificação que estávamos muito perto de conseguir e o jogador não gosta. Isso é o que é mais palpável nesse momento", comentou.

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes