Flamengo 'cutuca' Corinthians, parabeniza polícia e ignora envolvimento de flamenguistas

Flamengo 'cutuca' Corinthians, parabeniza polícia e ignora envolvimento de flamenguistas

Por Meu Timão

Torcedores flamenguistas provocaram Fiel antes do início da confusão

Torcedores flamenguistas provocaram Fiel antes do início da confusão

Foto: Rafael Moraes / Agência O Globo

O Flamengo utilizou seu site oficial, na tarde desta segunda-feira, para publicar uma carta de apoio à ação policial vista na noite desse domingo, nas arquibancadas do Maracanã. O clube "cutucou" o Corinthians, chamou torcedores alvinegros de "marginais" e ignorou o fato de que foram flamenguistas quem iniciaram a confusão pré-jogo nas proximidades do setor de visitantes.

Por meio de seu perfil em redes sociais, o Flamengo escreveu que "vem a público agradecer ao Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), da Polícia Militar do Rio de Janeiro, pelo trabalho realizado na tarde de domingo (23), na partida contra o Corinthians". Na sequência, o clube publicou a nota oficial.

Na visão do clube rubro-negro, o trabalho do GEPE "merece aplausos e deve ser apoiado por todos os clubes brasileiros". Assim, os cariocas dão indireta ao Corinthians, que logo depois da ação policial abusiva publicou uma nota oficial repudiando a repressão a que seus torcedores foram submetidos e cobrando atitudes da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

O que houve - Antes de a bola rolar para o jogo entre Corinthians e Flamengo, torcedores rubro-negros arremessaram objetos contra a torcida alvinegra. Os corinthianos reagiram tentando invadir o setor destinado aos flamenguistas. Em resposta, a polícia militar entrou em confronto com a Fiel e teve alguns de seus soldados agredidos por uma minoria dos torcedores do Timão. Ao término da partida, a polícia carioca exigiu que os quase 3 mil corinthianos presentes no Maracanã tirassem as camisas e passassem mais de três horas sendo revistados e humilhados. Confira aqui um relato detalhado do que aconteceu.

Confira abaixo a nota oficial do Flamengo:

O Clube de Regatas do Flamengo vem a público agradecer ao Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), da Polícia Militar do Rio de Janeiro, pelo trabalho realizado na tarde de domingo (23), na partida contra o Corinthians. Há muito anos, o GEPE vem realizando importante trabalho de prevenção e coibição da violência nas praças esportivas do Rio de Janeiro e tem o seu modelo operacional como referência para grupamentos de policiamento em diversos estados brasileiros. Este é um trabalho que merece aplausos e deve ser apoiado por todos os clubes brasileiros.

Ao lado do Comitê Rio 2016, Governo do Estado e demais orgãos públicos do Rio de Janeiro, o GEPE foi um parceiro importante para que o Flamengo conseguisse organizar a partida deste domingo.

Lamentavelmente, alguns policiais do GEPE foram covardemente agredidos por marginais que não deveriam nem ser chamados de "torcedores do Corinthians" nas arquibancadas do Maracanã pouco antes do início do jogo. A estes profissionais, nosso sincero respeito e solidariedade.

Por sua vez, cabe aos clubes brasileiros também trabalhar ao lado das autoridades e fornecer todas as informações possíveis para reduzir os casos de violência. Desde já o Flamengo se coloca à disposição para ajudar nessa empreitada pela paz no futebol.

Veja Mais:

  • Pablo já disse mais de uma vez que quer permanecer no Corinthians

    Corinthians sobe oferta e espera sim de Pablo: 'Espero que seja suficiente'

    ver detalhes
  • Alvo do Corinthians, Roger deve ser oficializado como reforço do Internacional nos próximos dias

    Decisão de Roger não é repudiada pela diretoria do Corinthians: ‘Faz parte...’

    ver detalhes
  • Ginásio Wlamir Marques recebeu jogo 4 da final do NBB em 2017

    Corinthians faz pré-inscrição na Liga Ouro e reativa basquete após 21 anos

    ver detalhes
  • 32 mil torcedores foram ao estádio em Itaquera no último treino aberto

    Por agradecimento à Fiel, Corinthians deve abrir treino no sábado na Arena

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes