Torcedores do Corinthians fazem campanha após repressão no Rio: 'Não somos bandidos'

Torcedores do Corinthians fazem campanha após repressão no Rio: 'Não somos bandidos'

Por Meu Timão

Torcedores do Corinthians iniciaram campanha nas redes sociais

Torcedores do Corinthians iniciaram campanha nas redes sociais

Foto: Reprodução

Independentemente de estarem ou não no Maracanã no jogo desse domingo, contra o Flamengo, os torcedores do Corinthians não gostaram nem um pouco da atitude repressora da polícia militar carioca ao término da partida. Não à toa, a Fiel utilizou as redes sociais para protestar contra a generalização de que "são todos bandidos".

No Twitter, inúmeros torcedores do Corinthians publicaram fotos suas em estádios acompanhadas da legenda "sou torcedor, frequento arquibancada e não sou bandido". O Meu Timão separou alguns dos tweets abaixo.

A campanha da Fiel diz respeito à revista humilhante a que 3 mil corinthianos tiveram de se submeter nas arquibancadas do Maracanã ao término do jogo desse domingo. No fim das contas, apenas 31 torcedores foram detidos acusados de agredir policiais - alguns dos que estão na Cidade da Polícia, no entanto, nem mesmo participaram da briga que antecedeu a partida e foi iniciada por torcedores do Flamengo.

Confira abaixo alguns tweets:

Veja Mais:

  • Carille viu seu time tropeçar de novo no segundo turno do Campeonato Brasileiro

    Chances de título do Corinthians seguem caindo; matemáticos colocam arquirrival de vez na briga

    ver detalhes
  • Livro dá chance para torcedores participarem de aula de fotografia na Arena Corinthians

    Workshop de fotografia na Arena é uma das recompensas para quem apoiar o livro do estádio

    ver detalhes
  • Cássio foi mais uma vez chamado por Tite

    Cássio é convocado por Tite e desfalca Corinthians em até três jogos no Brasileirão

    ver detalhes
  • Pablo segue com a situação indefinida para 2018

    Bordeaux endurece com agente de Pablo e avisa: para outro clube o valor é dobrado

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes