Torcedores são-paulinos acendem sinalizadores e paralisam clássico

Torcedores são-paulinos acendem sinalizadores e paralisam clássico

Por Meu Timão

Torcedores do clube da Barra Funda acenderam sinalizadores durante o clássico

Torcedores do clube da Barra Funda acenderam sinalizadores durante o clássico

Foto: Reprodução/Premiere

Torcedores do São Paulo causaram a paralisação do Majestoso deste sábado à noite, no Morumbi, pela 34ª rodada do Brasileirão, em duas ocasiões somente no primeiro tempo. O motivo? O uso de sinalizadores nas arquibancadas do estádio, palco do último clássico do Timão na temporada.

Os artefatos foram acesos pela primeira vez aos 16 minutos da etapa inicial. O árbitro Claudio Francisco Lima e Silva, então, interrompeu o andamento da partida até que os mesmos fossem apagados pelos são-paulinos. No entanto, aos 22 minutos, novos sinalizadores provocaram bastante fumaça no campo, causando assim nova parada.

A tendência é que os incidentes sejam relatados na súmula da partida. Apesar do espetáculo, o uso de sinalizadores dentro de estádios de futebol no Brasil é proibido. Recentemente, o Corinthians foi multado em R$ 36 mil pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta do problema na partida diante do Cruzeiro, no dia 8 de agosto, no Pacaembu. O clube, porém, informou que iria recorrer da decisão.

Veja Mais:

  • Clayson é o novo reforço do Timão

    Clayson aparece no BID e pode estrar pelo Corinthians contra o Atlético-GO

    ver detalhes
  • Fubá inicia carreira de observador técnico da base do Corinthians nesta terça-feira

    Com problema de saúde, ex-jogador do Corinthians ganha cargo na base

    ver detalhes
  • Romão foi um dos destaques do Corinthians na última edição da Copinha

    Otimista por permanência de Arana, Corinthians empresta lateral a clube da Série B

    ver detalhes
  • Alessandro (à esq.) tem a missão de fechar reforços para Fábio Carille

    Viagem de Alessandro causa desconforto no Corinthians, diz jornalista

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes