Sincero, Walter ainda crê em Libertadores para evitar 'pedrada'

Sincero, Walter ainda crê em Libertadores para evitar 'pedrada'

Walter concedeu entrevista após treino desta segunda, que acabou interrompido por um temporal

Walter concedeu entrevista após treino desta segunda, que acabou interrompido por um temporal

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O goleiro Walter foi o escolhido no Corinthians para comentar o empate por 0 a 0 com o Atlético-PR, que tirou da equipe paulista a chance de depender apenas de si para estar na Libertadores da América de 2017. Em entrevista coletiva, o jogador foi sincero e lamentou o tropeço em Itaquera, mas disse confiar na classificação do clube ao principal torneio de clubes do continente.

“Eu acho que estamos vindo de sequências em que estamos precisando vencer e jogar bem. Sabemos que é difícil. Fizemos uma grande partida contra o Atlético-PR, mas a bola teimou em não entrar. Agora é o mesmo foco, errar o menos possível. Precisamos ter um pouco mais para ganhar o próximo jogo e se Deus quiser vamos alcançar esse G6”, afirmou Walter.

O Corinthians volta a campo apenas no próximo domingo, diante do Cruzeiro, no Mineirão. Para conquistar o principal objetivo no ano, o elenco comandado por Oswaldo de Oliveira terá de vencer o rival de Belo Horizonte e torcer pelo tropeço de Atlético-PR e/ou Botafogo, algo encarado como difícil, mas longe de ser impossível.

“Difícil. Se é um resultado bom do adversário, ajuda em campo. Se é ruim, dá uma baixada na gente. Ano passado ficamos sabendo do jogo do Atlético-MG durante nosso jogo contra o Vasco e deu um gás maior. Mas precisamos pensar em jogar bem e vencer, porque a vitória é necessária. Depois vamos conferir os outros resultados”, acrescentou o arqueiro.

“Ficamos fora (da Libertadores) em 2014, eu já estava aqui. Ficar assistindo jogos de casa é difícil, porque é um campeonato que atrai olhares, tanto financeiro quanto para nós, técnico”, declarou.

Durante o bate-papo com jornalistas, que ocorreu após o treino, Walter recordou as nuances do jogo com o Atlético-PR. De acordo com o goleiro, o time, que soube do 1 a 1 entre Botafogo e Ponte Preta no vestiário, apresentou bom desempenho, mas pecou nas finalizações e, agora, paga alto preço.

“Ficamos sabendo no intervalo do jogo do Botafogo e soubemos que precisávamos nos tranquilizar. E fizemos um bom segundo tempo, comentei que a chateação é porque jogamos bem e não fizemos o gol. Podíamos ter passado um domingo legal com a família e não deu. Mas agora é tentar fazer domingo o resultado e seja o que Deus quiser”.

“Se acabar o jogo e não estivermos classificados, vai vir pedrada em cima da gente. Até pelo ano, em que não conseguimos engrenar, empatamos em casa com times pequenos, o que não acontecia. Classificando dá uma baixada na poeira, tranquiliza para o ano que vem”, projetou o jogador, que reconheceu: o domingo será de fortes emoções. “Do jeito que a gente está, estamos precisando torcer para muita gente”, finalizou.

Veja mais em: Walter.

Veja Mais:

  • Fábio Carille está com sua renovação bem encaminhada

    Após conversa no CT, Corinthians trata renovação de Carille como questão de tempo

    ver detalhes
  • Torcedores podem ouvir listas de músicas criadas por jogadores do Timão

    Corinthians anuncia parceria com serviço de streaming de música

    ver detalhes
  • Lucca perdeu espaço em 2017, mas vem se destacando no Brasileirão pela Ponte Preta

    Valor estipulado pelo Corinthians esfria interesse francês no atacante Lucca

    ver detalhes
  • Clayson foi escolhido por Carille para, mais uma vez, substituir Jadson

    Corinthians encerra preparação, e Carille mantém escalação sem Jadson para jogo deste sábado

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes