Dirigente do Inter desenterra 2005 e assume 'tapetão' para evitar rebaixamento

Dirigente do Inter desenterra 2005 e assume 'tapetão' para evitar rebaixamento

Por Meu Timão

122 mil visualizações 216 comentários Comunicar erro

Vice de futebol do Internacional, Fernando Carvalho assumiu que recorrerá aos tribunais para ficar na Série A

Vice de futebol do Internacional, Fernando Carvalho assumiu que recorrerá aos tribunais para ficar na Série A

Foto: Divulgação

O Campeonato Brasileiro de 2016 pode não acabar dentro de campo. À beira do rebaixamento à Série B, o Internacional se cerca de informações e estuda recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) contra o Vitória, tentando assim permanecer na elite do futebol nacional na próxima temporada. E para isso, vale também citar o Corinthians.

Na opinião do vice-presidente de futebol Fernando Carvalho, o Internacional deve fazer o que estiver ao seu alcance em termos jurídicos para ficar na primeira divisão. Ainda segundo o dirigente, o clube gaúcho perdeu o Campeonato Brasileiro de 2005 no “tapetão”, ironizando o título erguido pelo Timão.

“Nós tivemos recentemente no Brasil o Fluminense, que recorreu à justiça e acabou permanecendo na primeira divisão. Dois anos depois foi campeão brasileiro. Se existe o direito, acho que tem que ser decidido. Respeito opiniões contrárias, mas volto a repetir, o Internacional perdeu um Campeonato Brasileiro que ganhou dentro de campo por intervenção do Tribunal. E se conformou”, afirmou Carvalho em participação no programa Bate-Bola, da ESPN Brasil.

O Internacional acusa o Vitória, concorrente direto na luta contra o rebaixamento, de não ter regularizado a transferência do zagueiro Victor Ramos – o time baiano não teria seguido as recomendações do Sistema de Mercado de Transferências (TMS, em inglês).

“Não ligo de termos a fama de usar o 'tapetão', principalmente porque nós já perdemos um título no 'tapetão'”, reiterou o dirigente.

Questionado se não acharia injusto com outras equipes se o Internacional conquistasse o direito de disputar a Série A em 2017 nos tribunais, o vice-presidente titubeou: “Olha, eu achei injusto, mas a decisão a gente se conforma. Nós recorremos, não tivemos a condição de ganhar e acabamos perdendo. Na época eu era o presidente do clube”, declarou.

Em 2005, o time à época presidido por Carvalho era o principal adversário do Corinthians na corrida pelo título brasileiro. Após a descoberta de uma máfia na arbitragem e a correta anulação de alguns jogos, o Timão abriu vantagem na ponta e encaminhou o tetracampeonato. Os gaúchos, desde então, passaram a ter birra do clube do Parque São Jorge.

“O que eu acho é o seguinte: o que dá direito ao Internacional de recorrer ao 'tapetão' é ter esse direito. Se tem o direito, nós vamos decidir. Acho que é uma matéria polêmica, a pecha que fica ao clube que recorre ao 'tapetão' geralmente é negativa. Agora, eu não posso abrir mão de um direito só porque ficarei com uma pecha negativa”, finalizou.

Veja mais em: Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Corinthians de Ralf já respira mais tranquilo na luta contra a parte de baixo da classificação

    Jogos de domingo chegam ao fim, e Corinthians dobra distância para o Z4; veja classificação

    ver detalhes
  • Ándrés Sanchez aparece do lado do presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, e Ronaldo

    Presidente do Corinthians se reúne com presidente do Real Madrid em passagem pela Espanha

    ver detalhes
  • Avelar teve atuação contestada pela torcida após jogo desse sábado contra o Vasco

    Avelar admite queda de rendimento, lista possíveis motivos e diz que pode melhorar no Corinthians

    ver detalhes
  • Árbitro Wilton Pereira Sampaio foi bastante requisitado no tenso duelo entre Corinthians e Vasco

    Árbitro relata em súmula tentativa vascaína de intimidação na Arena Corinthians; entenda

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes