Mesmo sem jogos, MP pede organizadas fora dos estádios de São Paulo

Mesmo sem jogos, MP pede organizadas fora dos estádios de São Paulo

1.5 mil visualizações 39 comentários Comunicar erro

MP quer banir organizadas dos estádios de São Paulo em 2017

MP quer banir organizadas dos estádios de São Paulo em 2017

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

O Ministério Público de São Paulo recomendou a suspensão de todas as torcidas organizadas dos estádios situados no estado. A orientação, oficializada em documento entregue a uniformizadas, foi dada após reunião entre o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, e representantes dos quatro grandes clubes paulistas – Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo –, da Federação Paulista de Futebol (FPF), do Tribunal de Justiça e das Polícias Militar e Civil.

Chama atenção, no entanto, o fato de que não houve uma partida de futebol sequer em 2017. De acordo com o MP, que também pede a manutenção de torcida única nos clássicos disputados na grande São Paulo, a recomendação é uma forma de prevenir a violência no futebol.

“(...) a partir das medidas restritivas implementadas em 2016, houve uma redução de 75% das ocorrências relacionadas a eventos esportivos no Estado de São Paulo, que houve um acréscimo de 20% do público em clássicos de uma torcida, que houve um aumento de 11% de mulheres e crianças no público em geral”, argumenta.

O texto é assinado pelo primeiro promotor de justiça do Juizado Especial Criminal de São Paulo e do Juizado do Torcedor, Paulo Sérgio de Castilho. Além da suspensão das uniformizadas e torcida única, ele também sugere a “venda online de ingressos, com qualificação do adquirente, devendo a relação de compradores ser (...) disponibilizada ao poder público, ficando terminantemente proibido a impressão de ingressos e seu fornecimento ou vendas a integrantes de torcidas organizadas”.

O Meu Timão procurou pessoas ligadas à diretoria da Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, que afirmou ter tomado conhecimento das propostas articuladas pelo Ministério Público. Por ora, o grupo não irá se manifestar.

Segundo o advogado Roberto Piccelli, colunista do Meu Timão, o MP não possui poder para determinar nenhuma providência diretamente. “Na verdade, o órgão emite recomendações. O interessado – no caso a Federação – decide se atende ou não. A consequência de um descumprimento é, em regra, uma ação judicial movida pelo promotor. Só quem poderá decidir sobre a obrigatoriedade da medida é o juiz, depois de ouvidas as partes. Para evitar conflitos, as recomendações são normalmente atendidas espontaneamente”, esclarece Picelli.

A recomendação de torcida única surgiu em abril de 2016, após a briga entre corinthianos e palmeirenses que provocou a morte de um homem em frente à estação São Miguel Paulista, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A confusão, contudo, se deu longe de um estádio de futebol.

Veja mais em: Torcida do Corinthians.

Veja Mais:

  • Atletas também serão envolvidos em ação que visa estimular transplantes de órgãos e tecidos

    Corinthians abraça campanha e apagará próprio escudo em prol da doação de órgãos

    ver detalhes
  • Conheça a incrível história de Jadson, camisa 10 do Corinthians | #85

    VÍDEO: Conheça a incrível história de Jadson, camisa 10 do Corinthians | #85

    ver detalhes
  • Mateus Vital deve ser novidade entre os titulares do Corinthians contra o Internacional

    Jair Ventura testa escalação do Corinthians com Mateus Vital e sem centroavante

    ver detalhes
  • Ex-Corinthians, Maycon marcou golaço em estreia na Liga dos Campeões

    Maycon sai do banco, acerta 'canhão' e vive noite de herói em estreia na Liga dos Campeões

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes