Diretor explica veto inicial do Corinthians a Carille como técnico: 'Instinto de preservação'

Diretor explica veto inicial do Corinthians a Carille como técnico: 'Instinto de preservação'

Por Meu Timão

Diretor de futebol, Flávio Adauto explicou o 'não' inicial do Timão ao técnico Fábio Carille

Diretor de futebol, Flávio Adauto explicou o 'não' inicial do Timão ao técnico Fábio Carille

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Visto como um dos maiores responsáveis pela boa campanha do Corinthians neste início de temporada, Fábio Carille já foi vetado pela diretoria como treinador do time. No clube desde 2009, o então auxiliar-técnico foi interino do Timão durante as trocas de comando do elenco e sua manutenção no cargo foi negada pelo presidente Roberto de Andrade. Meses após a efetivação do profissional, o diretor de futebol Flávio Adauto explicou a situação passada.

Depois das saídas dos técnicos Oswaldo de Oliveira e Cristóvão Borges na última temporada, o Corinthians tentou nomes como Reinaldo Rueda, Dorival Júnior e Fernando Diniz para o comando do grupo em 2017. Porém, nenhuma procura vingou. Mesmo após negativas da diretoria, o interino Fábio Carille foi efetivado e hoje, recém-campeão paulista, assume a liderança do Campeonato Brasileiro em sete rodadas disputadas.

"Acredito que tivemos equívocos. Fui um dos que iniciou contatos com o Reinaldo Rueda, mas em seguida desacreditei quando ele disse que tinha problema de coluna. Quero esclarecer um equívoco sobre uma frase do Roberto, que disse 'Carille, não'", declarou Flávio Adauto, em entrevista ao programa Bate-Bola na Veia, da ESPN Brasil, nesta quinta-feira.

"Vi muita gente recolocar, republicar esse assunto. Mas ficou muito claro quando ele disse 'Carille, sim'. Ele disse que não queria o Carille correndo riscos, mas ia correr todos os riscos que um técnico corria, pois não ia ser mais interino", completou.

Treinador do clube alvinegro desde dezembro de 2016, Carille segue com a marca de 20 partidas sem derrotas até o momento, além de um aproveitamento de 90,5% no Brasileirão. Em sete partidas disputadas, foram seis vitórias e um empate, resultando em uma liderança na tabela de classificação com 19 pontos. Segundo Flávio Adauto, o veto inicial a efetivação do técnico veio como um “instinto de preservação”.

"Foi colocado ao Carille isso, que não voltaria mais ao cargo de auxiliar, Roberto disse com todas as letras, eu também, Alessandro estava presente. O instinto de preservação do Roberto, que se Carille não desse certo agora, não daria mais", acrescentou Adauto. "Essa colocação, estou me abrindo, foi isso que aconteceu", finalizou.

Na última temporada, Carille esteve no comando do Corinthians em duas ocasiões: antes da contratação de Cristóvão Borges e antes de Oswaldo de Oliveira. Na segunda, aliás, recebeu a promessa que seria mantido no cargo até o final da temporada, o que não aconteceu com o anúncio da chegada de Oswaldo.

Veja mais em: Flávio Adauto, Fábio Carille, Roberto de Andrade e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Com bandeirões e muita festa, Fiel incentivou Timão no último treino aberto

    Corinthians abre à torcida último treino antes do jogo da taça

    ver detalhes
  • Kazim tatua taça do Brasileirão com provocação a rivais do Corinthians

    Kazim tatua taça do Brasileirão com provocação a rivais do Corinthians

    ver detalhes
  • Jô e Jadson voltaram a treinar no campo nesta quinta-feira

    Treino do Corinthians tem retornos, academia lotada e possível trote de despedida

    ver detalhes
  • Corinthians relembrou os dois títulos conquistados em 2017

    Nas redes sociais, Corinthians relembra dois títulos no ano e provoca antis

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes