Pablo diz que voltou a conversar com o Corinthians e mantém confiança: 'Quero ficar'

Pablo diz que voltou a conversar com o Corinthians e mantém confiança: 'Quero ficar'

Por Meu Timão

Pablo durante entrevista coletiva no CT do Corinthians

Pablo durante entrevista coletiva no CT do Corinthians

Foto: Reprodução / GloboEsporte.com

As negociações entre a diretoria do Corinthians e agente de Pablo seguem nos bastidores, mas em um ritmo mais lento do que as duas partes imaginavam depois de darem como certa a permanência do zagueiro. Na manhã desta quinta-feira, o zagueiro voltou a falar sobre o assunto.

Ao lado de Balbuena, o camisa 3 concedeu entrevista coletiva no CT Joaquim Grava e demonstrou confiança em dar continuidade ao seu trabalho no clube.

"A chance é enorme, todo mundo sabe que eu quero ficar e voltamos a conversar, isso é importante. Sempre teve a possibilidade, nunca deixou de ter. A possibilidade sempre esteve aí. Quero ficar no Corinthians, essa minha opção, a chance é grande como eu sempre falei", afirmou.

Leia também:
Recuperado, Pablo se coloca à disposição e Balbuena valoriza retorno de 'dupla ideal'
Carille esboça escalação do Corinthians contra a Ponte Preta com dúvida na zaga

Na sequência, Pablo foi questionado sobre a parte psicológica diante de todo o imbróglio que se tornou a aquisição de seus diretos econômicos - pelo acordo com o Bordeax (FRA), o Timão tem de pagar 3 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões). O jogador garantiu que consegue separar as conversas do lado externo, como comentários e críticas em redes sociais, com o andamento do Brasileirão.

"Por incrível que pareça, não. Sou um cara muito concentrado. Quando entro em campo, tento fazer com que nada me atrapalhe. Não vai ser um detalhe que vai tirar meu profissionalismo ou fazer com que eu não renda em campo. São quase oito meses de negociação, joguei vários jogos. Futebol é assim. No Corinthians é tudo em dobro", lembrou.

A demora para confirmar a permanência fez com que o camisa 3 virasse alvo de alguns torcedores nas redes sociais. Revoltados coma maneira que seu empresário Fernando César conduziu as negociações, parte da torcida se revoltou com o próprio jogador, que minimizou a cobrança virtual.

"Se você for comparar a torcida do Corinthians... 500 mensagens perto de 30 milhões de torcedores não é nada. Encaro com naturalidade. Fica até estranho relacionar minha postura como atleta com isso, comparar minha lesão por não estar jogando. Mas no Corinthians a torcida é assim, a pressão é normal, tem que saber lidar com isso", ponderou.

Por fim, Pablo fez um exercício de futurologia. Perguntado sobre o que pensaria caso clube e empresário não chegasse a um acordo, o camisa 3 do Timão garantiu que seria uma situação ruim para ele e sua família.

"São coisas do futebol. Às vezes a gente escolhe, outras não. Espero que isso não aconteça. Se acontecer, vai ficar um sentimento de tristeza. Estou identificado com o clube, com essa torcida maravilhosa, que tem pressão, mas também amor. Ficaria triste, mas futebol tem dessas", finalizou.

Veja mais em: Pablo, Mercado da bola e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Jô e Jadson voltaram a treinar no campo nesta quinta-feira

    Treino do Corinthians tem retornos, academia lotada e possível trote de despedida

    ver detalhes
  • Corinthians relembrou os dois títulos conquistados em 2017

    Nas redes sociais, Corinthians relembra dois títulos no ano e provoca antis

    ver detalhes
  • Meia cumpriria função que Carille deseja no Corinthians

    Segundo portal, Andrés negocia possível ida de Gustavo Scarpa ao Corinthians; candidato nega

    ver detalhes
  • Jadson viveu temporada de altos e baixos no Corinthians

    Negativa de Jadson a proposta da China lhe rendeu promessa de renovação no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes