Em avaliação, Caixa deixa claro temor com calote do Corinthians por parcelas da Arena

6.8 mil visualizações 94 comentários Comunicar erro

Por Meu Timão

Corinthians voltou a pagar empréstimo da Caixa em 2017

Corinthians voltou a pagar empréstimo da Caixa em 2017

Bruno Teixeira Rolo

Corinthians e Caixa selaram um novo acordo, em dezembro do ano passado, para retomar o pagamento das parcelas do financiamento da Arena. O clube não vinha arcando com os valores há mais de um ano e meio. Apesar do novo trato, o banco estatal vê, segundo avaliação interna, a chance de calote alvinegro como muito grande. As informações são da Folha de S. Paulo.

O temor do banco ficou claro após o portal ter acesso a e-mails confidenciais sobre a auditoria. Na avaliação, o Timão foi classificado com a nota "E", que diz que o clube tem "capacidade para arcar com o compromisso bastante limitada". Diante disso, a Caixa tentou garantir repasses do Fiel Torcedor e do contrato com a Nike - ambos negados pelo clube.

A troca de mensagens é justamente sobre o novo acordo com o Corinthians pelo pagamento das parcelas do empréstimo, que totalizam R$ 400 milhões. Além de alertar para o risco de calote, o banco também deixa claro que essa renegociação só ocorreu por falta de pagamentos.

"A proposta advém de um cenário de constantes frustrações e descumprimentos no âmbito da operação (...), não estão sendo atendido as premissas de receitas, custas e despesas (...), fica evidente que o fluxo de caixa atual do projeto será incapaz de honrar com os compromissos financeiros da Arena", diz uma das mensagens.

Leia também:
Mesmo sem clube quando contratado, Renê Júnior custará R$ 5 milhões aos cofres do Corinthians
Destaque do Corinthians na Copinha, atacante William completa 19 anos
Titular do Corinthians em 2018, Clayson anuncia que será pai pela primeira vez

Apesar de tantas ressalvas, a Caixa aceitou a nova proposta como uma última chance de banco, Corinthians e Odebrecht cumprirem o contrato de pagamento do estádio em Itaquera. A expectativa é que as parcelas sejam quitadas agora, evitando qualquer tipo de processo judiciário.

Entre as atitudes para evitar problemas de inadimplência, a empresa estatal tentou, além dos já citados Fiel Torcedor e contrato com a Nike, a alienação fiduciária (uma espécie de "empréstimo de propriedade" ) do Parque São Jorge e a hipoteca secundária do local - avaliada em R$ 207 milhões.

Vale destacar que, na retomada do pagamento, o Corinthians tem depositado pouco mais da metade das parcelas mensalmente ao banco. Pelo menos é isso que garante Emerson Piovezan, ex-diretor financeiro do Corinthians. O profissional também deixa claro que as garantias ainda estão sendo negociadas e devem ser definidas pelo próximo presidente - a eleição acontece no dia 3 de fevereiro.

Veja mais em: Arena Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians encara o São Paulo nesta quarta-feira pelo jogo de ida das quartas do Brasileirão

    Corinthians visita São Paulo pelo duelo de ida das quartas do Brasileirão Sub-20; saiba detalhes

    ver detalhes
  • Duílio voltou a bancar a permanência de Carille no Corinthians

    Carille tem multa regressiva e segue bancado no Corinthians mesmo em má fase

    ver detalhes
  • Corinthians irá enfrentar o América de Cali na semifinal da Libertadores

    Corinthians conhece adversário da semifinal da Libertadores Feminina

    ver detalhes
  • Boselli é um golfinho no Corinthians

    [Lucas Faraldo] Boselli é um golfinho no Corinthians

    ver detalhes
  • Sorteio de grupos do Paulistão 2020 aconteceu nessa terça-feira

    FPF sorteia, e Corinthians conhece seu grupo e adversários do Paulistão 2020; veja como ficaram

    ver detalhes
  • Crivelari marcou o primeiro gol do Timão no jogo

    Corinthians supera desfalques, vence chilenas e garante vaga na semifinal da Libertadores Feminina

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: