Nos números, nova formação não melhorou desempenho do Corinthians; veja comparação

Nos números, nova formação não melhorou desempenho do Corinthians; veja comparação

1.6 mil visualizações 57 comentários Comunicar erro

Números não mostram evolução do Corinthians em novo esquema

Números não mostram evolução do Corinthians em novo esquema

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Mesmo com a liderança de seu grupo no Campeonato Paulista, o Corinthians não vem tendo desempenho convincente dentro de campo. Depois de duas derrotas, Fábio Carille viu na mudança de esquema uma possibilidade de melhorar sua equipe. Na prática, no entanto, o 4-2-3-1 não surtiu tanto efeito durante.

No empate por 1 a 1 contra o Red Bull Brasil, nesta segunda-feira, o time alvinegro não apresentou evolução notável. Em comparação com a média dos últimos três jogos da equipe, esses no 4-1-4-1, alguns parâmetros até caíram por parte dos comandados de Carille.

Um dos motivos da mudança, segundo o treinador, foi reter mais a posse de bola, melhorando a qualidade de passe e aproximando os setores. Com a partida abaixo da média de Camacho, a saída de Jadson até parece ter tido o efeito contrário. Foram 370 passes certos durante o jogo, número inferior à média de 423 passes corretos dos últimos três jogos, com o antigo esquema.

Leia também:
Pressão não assusta Carille, que projeta Dérbi equilibrado na Arena: 'Que vença o melhor'
Novo-velho esquema agrada, Carille fala em manutenção e cita alternativas no elenco

O número de passes errados, por sua vez, permaneceu exatamente igual - foram 45 durante o duelo no Moisés Lucarelli. Desses, cinco foram do próprio Camacho, que entrou para melhorar o quesito - só Balbuena, com sete, errou mais que o volante.

Nas finalizações, também não houve evolução. Foram 12 chutes ao gol de Julio César, jogador de muita história no Corinthians - apenas seis no alvo. O valor é exatamente o mesmo da média alvinegra nas últimas três partidas.

Ainda sem centroavante, a formação seguiu sem diminuir os excessivos cruzamentos da equipe. Ao contrário dos três compromissos mais recentes, quando cruzou 16 vezes errado em média, o Timão alçou, sem sucesso, a bola 18 vezes na área. Além dos erros, o time cruzou outras cinco vezes corretamente, número bem baixo.

Por fim, vale destacar um critério defensivo, visto que Carille também mudou o esquema para dar mais solidez ao time. A média de desarmes na equipe vinha sendo de 16 desarmes por confronto. Contra o Red Bull, foram 15. Todos os dados foram retirados do Footstats.

Confira comparativo do Corinthians no 4-1-4-1 e no 4-2-3-1

Passes certos
Últimos três jogos do 4-1-4-1: 423 passes certos/jogo;
Jogo contra o Red Bull Brasil: 370 passes certos.

Passes errados
Últimos três jogos do 4-1-4-1: 45 passes errados/jogo;
Jogo contra o Red Bull Brasil: 45 passes errados.

Finalizações
Últimos três jogos do 4-1-4-1: 12 chutes/por jogo;
Jogo contra o Red Bull Brasil: 12 chutes.

Cruzamentos errados
Últimos três jogos do 4-1-4-1: 16 cruzamentos errados/por jogo;
Jogo contra o Red Bull Brasil: 18 cruzamentos errados.

Desarmes
Últimos três jogos do 4-1-4-1: 16 desarmes/por jogo;
Jogo contra o Red Bull Brasil: 15 desarmes.

Veja mais em: Campeonato Paulista.

Veja Mais:

  • 'Nem Pedrinho salva...': Timão não foi páreo para o Grêmio na noite deste sábado

    Pobre tecnicamente, Corinthians é derrotado pelo Grêmio no fim do primeiro turno

    ver detalhes
  • Walter 'voa' para afastar perigo de gol do Grêmio; nem arqueiro evitou revés em casa

    Walter evita o pior, e Loss é eleito 'vilão': as avaliações do revés corinthiano

    ver detalhes
  • Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol do Corinthians, falou sobre a ausência de Fagner

    Na esteira de rivais, Corinthians também reclama da convocação de Fagner: 'Não ficamos satisfeitos'

    ver detalhes
  • Corinthians tem campanha irregular no Brasileiro nas mãos de Loss

    Fiel dispara contra Loss na web após derrota do Corinthians; veja melhores comentários

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes