1 em 30 milhões: corinthiano dormiu em praça de Londres e acordou na final da Libertadores-2012

1 em 30 milhões: corinthiano dormiu em praça de Londres e acordou na final da Libertadores-2012

20 mil visualizações 62 comentários Comunicar erro

De uma praça em Londres ao Pacaembu: a história do corinthiano Anderson dos Santos

De uma praça em Londres ao Pacaembu: a história do corinthiano Anderson dos Santos

Arquivo pessoal

A história do torcedor alvinegro Anderson dos Santos é daqueles casos em que uma maluquice feita pelo Corinthians é recompensada pela sorte de ser... maluco pelo Corinthians.

É na mesma terra em que se passam as fantasias britânicas Harry Potter e A Fantástica Fábrica de Chocolate que tem início o romance de Anderson com um dos maiores títulos da história do Timão. A exemplo do que acontece nos best-sellers citados acima, parece que foi num passe de mágica que o corinthiano dormiu numa praça em Londres, capital da Inglaterra, e acordou com um ingresso para a final da Copa Libertadores da América de 2012, no estádio do Pacaembu.

Leia também:
1 em 30 milhões: milho e caminhoneiro são-paulino infiltraram corinthiano na Arena
1 em 30 milhões: corinthiano ofusca bandeirão e flamula muleta improvisada na Arena
1 em 30 milhões: ilustrador alvinegro faz do amor pelo Corinthians sua inspiração

Anderson, desde 2005, mora na Inglaterra, onde trabalha como gerente de contas numa empresa do mercado financeiro. "No meio da campanha do tetracampeonato... Foi difícil largar o time, mas vim", contou, em entrevista concedida ao Meu Timão.

O verbo largar, convenhamos, não foi usado em sua forma literal por Anderson. O corinthiano, afinal de contas, não pensou duas vezes antes de cometer aquilo que considera uma das mais válidas loucuras já feitas pelo Timão: assim que a equipe eliminou o Santos nas semifinais e se classificou para a decisão da Libertadores de 2012, ele comprou passagens de ida e volta para São Paulo, onde queria estar na ocasião da grande final, mesmo sem a menor pretensão de conseguir um ingresso a quase 10 mil quilômetros de distância do Pacaembu.

"Fiquei pagando a passagem por um ano. Queria ir para o Japão (no Mundial de Clubes), mas não dava porque eu ainda estava pagando a passagem para São Paulo", lembrou, entre risos nem um pouco arrependidos.

Anderson, então, deu o famoso "migué" na empresa em que iniciara a trabalhar havia menos de três meses – fingiu que um amigo trabalhava numa empresa aérea e havia descolado passagens a preços imperdíveis para o corinthiano matar a saudade dos parentes no Brasil. A desculpa colou, e a chefia liberou o torcedor para sua viagem de "visita à família".

A relação um tanto quanto astuta com o trabalho, aliás, faz parte do que Anderson chama de adaptação. "Minha vida mudou quando vim para cá, tive que adaptá-la ao Corinthians."

E é justamente por conta de uma dessas adequações que Anderson foi parar na St John’s Garden, praça na região central de Londres, em 28 de junho de 2012. Os leitores mais ligados já perceberam: tal data diz respeito ao dia seguinte do empate de 1 a 1 entre Timão e Boca Juniors, pelo jogo de ida das finais da Libertadores daquele ano.

St John’s Garden: praça onde Anderson tirou a inesquecível soneca em 2012

St John’s Garden: praça onde Anderson tirou o inesquecível cochilo em 2012

Wikimedia Commons

Por conta da diferença de fuso horário, Anderson se acostumou a tirar breve soneca depois do jantar às quartas-feiras e então ser acordado pelo despertador às 2h da manhã no horário local para assistir às partidas do Corinthians. Foi assim na madrugada daquela quinta-feira. O diferencial ficou por conta do pico de adrenalina motivado pelo gol de Romarinho.

"Quando começa aquela fase de jogos muito importantes fica complicado dormir depois. Qual a chance de conseguir dormir, às 4h daqui, depois daquela partida?", indagou.

Naturalmente, naquele dia, Anderson mal conseguia ficar de olhos abertos na empresa. Assim que o sinal acusou o horário do almoço, o corinthiano pegou suas coisas e foi cochilar na tal praça, localizada próximo de onde trabalha. A hora de sono foi interrompida, porém. Era o telefonema de um amigo brasileiro, também torcedor do Timão.

Novamente em alusão às fantasias britânicas já citadas, foi aqui que Anderson entrou na plataforma 9 ¾ (para os fãs de Harry Potter) ou achou o bilhete dourado (para aqueles que conhecem A Fantástica Fábrica de Chocolate):

"Era um brother meu, o Fabinho, falando que tinha ingresso sobrando para a final. O cara me cobrou o valor normal do ingresso, acho que era R$ 36. O cara era um irmão mesmo, né?" falou, antes de emendar: "Puxa, cara! Meu coração disparou. Perguntei para ele se era zoeira umas três vezes. Aí caí no choro ali mesmo."

Anderson garante espalhar o corinthianismo pelas ruas de Londres

Anderson garante espalhar o corinthianismo pelas ruas de Londres

Arquivo pessoal

No fim das contas, o que seria uma despretensiosa viagem, para estar apenas próximo do Corinthians naquele que se desenhava como um dos dias mais importantes da história do clube, se tornou uma "ponte área" St John’s Garden–Pacaembu.

"Logo que cheguei a São Paulo, pude perceber aquele clima pesado, todo mundo só pensava no jogo entre Corinthians e Boca Juniors: corinthianos e anti-corinthianos", descreveu. "Lá no Pacaembu eu nem sabia como comemorar. Você olhava para o lado e era todo mundo com aquela cara de alívio. São Paulo parecia a Faixa de Gaza. Foi inesquecível."

E, se os internautas aqui do Meu Timão tiveram em algum momento da leitura deste texto um solidário momento de preocupação com a situação de Anderson na Inglaterra, podem ficar tranquilos: o máximo que aconteceu com o torcedor em seu retorno à Terra da Rainha foi ser tachado de louco... pelo Corinthians!

"Deu tudo certo aqui. Não falei muito para o pessoal da chefia, né? Mas alguns colegas de trabalho ficaram sabendo, e me acharam maluco. Muita gente daqui, que me conhece, passou a se interessar pelo Corinthians por causa disso. Não tem coisa igual, né?"

É, Anderson... Sem dúvida, não tem coisa igual.

Sua vez

Caro leitor, tem um causo marcante no qual o Corinthians seja protagonista? Já fez alguma loucura pelo Timão? Então entre em contato com a gente e envie sua história! Quem sabe você não se torna o próximo personagem do quadro 1 em 30 milhões aqui do Meu Timão?

Veja mais em: 1 em 30 milhões, Torcida do Corinthians, Libertadores da América, Jogos Históricos, Títulos do Corinthians e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Clayson, Luan, Sornoza, Marciel e Matheus Matias: confira o vaivém no Corinthians neste fim de 2018

    Corinthians no mercado da bola: veja quem chega e quem sai do clube para 2019

    ver detalhes
  • Sergio Díaz é bem cotado no Corinthians para 2019

    Corinthians confia em boom de Sergio Díaz e já projeta mantê-lo; veja operação financeira

    ver detalhes
  • Carille e a direção alvinegra já trabalham em cima de reforços desde o mês passado

    Andrés agradece 'não' de Carille a oferta maior e garante chegada de jogadores pedidos pelo técnico

    ver detalhes
  • Corinthians pode perder Romero de graça para o Internacional em 2019

    Ainda sem acordo por renovação no Timão, Romero negocia pré-contrato com o Internacional

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes