Adilson Batista diz se arrepender da contratação de zagueiro, mas nega boicote no Corinthians

27 mil visualizações 66 comentários

Por Meu Timão

Thiago Heleno foi contratado pelo Corinthians por indicação do então técnico Adilson Batista

Thiago Heleno foi contratado pelo Corinthians por indicação do então técnico Adilson Batista

Daniel Augusto Jr./Fotoarena

Um dos treinadores com mais breve passagem pelo Corinthians nos últimos tempos, Adilson Batista guarda ao menos dois arrependimentos relacionados ao seu trabalho como técnico do Timão. E a revelação surgiu quase oito anos após sua demissão do clube.

Em entrevista concedida ao portal Globoesporte.com e publicada nesta terça-feira, o hoje treinador do América-MG falou, entre outros assuntos, sobre sua passagem pelo Corinthians. Um dos erros admitidos por Adilson diz respeito à contratação do zagueiro Thiago Heleno, com quem ele havia trabalhado no Cruzeiro e assim indicou à direção corinthiana.

"Eu perdi o Ralf em um jogo contra o Grêmio, perdi o Jorge Henrique e o Jucilei. Errei em levar o Thiago Heleno. Eu tinha Chicão, Castán, Paulo André e William (zagueiros do Corinthians à época). Queria um enfrentamento, um time mais rápido. Isso você erra", comentou, se referindo ao zagueiro que não ficou nem quatro meses no clube.

Um outro ponto abordado na entrevista foi o suposto boicote de jogadores contra Adilson que muito se falou na época. O treinador negou, fez questão de esclarecer que tinha um bom relacionamento com craques como Ronaldo e Roberto Carlos e aproveitou a oportunidade para explicar o porquê de sua passagem pelo Timão não ter rendido bons resultados.

"Não fui boicotado no Corinthians. O meu erro foi carga de trabalho. Estava há três anos trabalhando com a linha de quatro, três e mais três ou um meia, um ponta e um centroavante. Eu gosto disso e peço isso com intensidade. O time não respondeu. Nisso, eu errei. Eu poderia dar a manutenção de duas linhas de quatro, dar a bola para os outros e jogar no contra-ataque. Mas eu não gosto. Tem que entender isso. Eu erro, e o clube que me contrata erra também", comentou, se referindo ao então presidente Andrés Sanchez.

"Eu gosto de trabalhar de manhã, acordo 6h e gosto de dar treino 9h. Tem estado que gosta de trabalhar à tarde, então não vou para lá. Não foi boicote. Foi erro de carga no Corinthians. O Ronaldo me tratou bem, o Roberto Carlos tranquilo", finalizou, refutando outro boato, de que os jogadores o boicotaram pois não gostavam dos treinos matinais.

Adilson Batista comandou o Corinthians em 11 partidas entre os meses de julho e outubro de 2010, somando cinco derrotas, três empates e três vitórias.

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians.

Veja Mais:

  • Luiz Flávio Oliveira será o responsável pelo apito no Dérbi

    Luiz Flávio de Oliveira apita segundo jogo da final do Paulistão entre Corinthians e Palmeiras

    ver detalhes
  • Elenco do Corinthians realiza novos exames de Covid-19 no CT Joaquim Grava

    Elenco do Corinthians realiza novos testes de Covid-19 no CT antes da final do Paulistão

    ver detalhes
  • Cássio recebe a maior nota dos leitores do Meu Timão após Dérbi sem gols

    Cássio 'se salva' e é o melhor do Corinthians em noite de avaliações ruins; meia é o pior

    ver detalhes
  • Está na hora de falarmos do Luan

    [Marco Bello] Está na hora de falarmos do Luan

    ver detalhes
  • Duelo teve muita luta e poucas chances de gol

    Corinthians cria pouco e fica no empate sem gols na primeira final do Campeonato Paulista

    ver detalhes
  • Thiaguinho vibrou com conquista do Campeonato Alagoano

    Volante que pertence ao Corinthians comemora título estadual durante empréstimo

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: