Em jogo dramático, pivô faz três, Corinthians segura empate na prorrogação e vai às quartas da LNF

Corinthians Corinthians 4 x 4 Foz Cataratas Futsal Foz Cataratas Futsal

Liga Nacional de Futsal 2018

Em jogo dramático, pivô faz três, Corinthians segura empate na prorrogação e vai às quartas da LNF

49 mil visualizações 54 comentários Comunicar erro

Duelo ganhou ares dramáticos com prorrogação, mas terminou em alívio e comemoração dos corinthianos

Duelo ganhou ares dramáticos com prorrogação, mas terminou em alívio e comemoração dos corinthianos

Foto: Divulgação/Corinthians

Recém-campeão da Copa do Brasil e semifinalista da Liga Paulista (LPF), o Corinthians/UNIP está entre os oito times classificados às quartas da Liga Nacional (LNF). Mas engana-se quem pensa que a equipe alvinegra não precisou suar (e muito!) a camisa para conquistar a vaga... Em duelo dramático disputado na noite desta segunda-feira, no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, o Timão eliminou o Foz Cataratas-PR depois de empatar no tempo normal (4 a 4) e na prorrogação (0 a 0).

Três dos quatro gols corinthianos foram marcados por Wilde, contratado pelo Timão no início da atual temporada. Um dos atletas mais experientes do elenco, ele anotou o primeiro em forte arremate de fora da área; o segundo, em bela triangulação antes mesmo do fim do primeiro tempo.

Na etapa final, Wilde fez o terceiro e, de quebra, deu assistência para outro, convertido por Renatinho. O Foz Cataratas, fazendo uso do goleiro-linha em determinados momentos, foi valente e fez seus gols com Vini (dois), Trentin e Canabarro.

O Corinthians/UNIP necessitava de uma simples vitória para se classificar das oitavas às quartas de final. Isso porque havia arrancado um empate na casa do Foz Cataratas, em Foz do Iguaçu (PR), na semana passada.

Ainda assim, ao ceder o empate em pleno Parque São Jorge, teve de decidir a classificação na prorrogação – onde possuía a vantagem de nova igualdade. No fim das contas, o esquadrão de Bié ficou no 0 a 0 e celebrou o avanço à próxima fase da principal competição de futsal do país.

“Contra a gente, nessa fase do campeonato, serão jogos desse nível. Muita dificuldade e muita entrega. Futsal você não pode desligar em momento nenhum, você pode ser surpreendido. É muito difícil. Estamos felizes pela entrega, pela dedicação, objetivo alcançado”, discursou Nenê em declaração ao SporTV.

A equipe paulista agora encara o Pato Futsal-PR, que eliminou o Marreco com vitórias fora (4 a 2) e dentro de casa (3 a 2). Os duelos ainda terão datas, locais e horários confirmados.

Leia também:
Corinthians conhece data e horário das semifinais da Liga Paulista de Futsal
Brasileirão, estreia na Superliga e final no feminino: a semana de compromissos do Corinthians

Haaaaaja emoção...

André Bié iniciou o duelo com força máxima no que diz respeito a time: Obina, Daniel, Nenê, Caio e Wilde. A estratégia do técnico era fazer o Corinthians se impor como mandante que era e assim abrir vantagem já no primeiro tempo da partida, evitando que a noite se tornasse dramática para o torcedor que havia comparecido ao Wlamir Marques.

O experiente pivô Wilde, de 37 anos, tratou de facilitar a vida do Timão. Aos dez minutos, ficou com a sobra fora da área e pegou de primeira, forte, no centro do gol. O arqueiro Luan chegou a resvalar na bola, mas não o suficiente para impedir o primeiro tento dos alvinegros no Parque São Jorge.

Faltando sete minutos para o intervalo, Wilde voltou a chamar a responsabilidade. Em bela jogada de Daniel pela esquerda, o pivô se posicionou bem, recebeu passe no lado direito e só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes, aumentando a vantagem do Corinthians/UNIP dentro de seus domínios.

Orientados por Bié, os donos da casa passaram a trocar passes com tranquilidade e priorizar a posse de bola, baixando o ritmo no Parque São Jorge. Tal postura permitiu ao Foz descontar com Trentin, que arriscou chute do meio da rua, sem chances de defesa para Obina.

A noite, contudo, pertencia a Wilde. Aos 12 minutos, o pivô deu linda meia-lua no lado esquerdo e encontrou Renatinho livre no canto oposto para ampliar. Em seguida, em rápido contra-ataque preto e branco, o camisa 13 se livrou da marcação, recebeu em condições e marcou o quarto do Corinthians/UNIP, o terceiro dele no jogo.

A essa altura, a vitória parecia certa. Apenas parecia... O time paranaense estava disposto a botar água no chopp da Fiel. Vini, duas vezes, foi às redes e diminuiu a diferença no placar para um gol somente – um dos lances, aliás, alvo de reclamação dos atletas do Timão, que entenderam que a bola não cruzara a linha completamente. Na sequência, a instantes do apito final, Canabarro superou Obina e deixou tudo igual no Wlamir Marques: 4 a 4.

Prorrogação, amigo!

Com a vantagem do empate, o Corinthians/UNIP começou o tempo extra como deveria ter terminado o tempo normal: sem se expor de maneira desnecessária. A equipe chegou a criar boas chances, uma com Wilde, outra com Matheus, mas parou no goleiro adversário; o Foz respondeu na mesma moeda e viu Obina ser decisivo para a manutenção do placar.

A segunda parte da prorrogação ficou marcada por uma defesa de alto índice de dificuldade protagonizada por Obina já nos segundos finais. O arqueiro alvinegro evitou o gol na última finalização do embate, que poderia dar a vaga ao Foz. Méritos do goleiro e também da equipe, que confirmou a dramática classificação diante de um oponente à altura.

Veja mais em: Futsal do Corinthians e Parque São Jorge.

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes