Dinélson fala ao Meu Timão sobre ligação atual com o Corinthians e lembra bastidores de 2005

18 mil visualizações 79 comentários Comunicar erro

Revelado pelo Timão, Dinélson ficou cerca de cinco anos no Parque São Jorge

Revelado pelo Timão, Dinélson ficou cerca de cinco anos no Parque São Jorge

Reprodução

A memória de um torcedor de futebol não é feita apenas de conquistas e grandes momentos. Quando o assunto são jogadores, não só os ídolos que ficam marcados na história do clube. Há aquele que não rendeu o esperado, o que tinha um drible característico ou, simplesmente, o que era querido pela torcida. Lançado ao profissional pelo clube do Parque São Jorge, Dinélson é um desses nomes.

Mesmo reconhecendo não ter sido "famosão", o atleta reconhece a boa relação com os torcedores do Timão. Campeão da Copinha e do Brasileirão de 2005 pelo clube, o meio-campista, hoje no Mixto, do Mato Grosso, segue recebendo muito carinho da Fiel.

"Eu tenho uma ligação muito boa. Claro que já faz muito tempo que saí, tenho consciência e não tenho essa pretensão de achar que fui cara famosaço e de que marquei história. Mas o que eu joguei na época, principalmente na Taça São Paulo, foi um marco muito grande para a torcida. Lembram muito disso", relembra o jogador, que marcou duas vezes na final do torneio.

"O torcedor mais antigo com certeza lembra, sempre fala e sempre está mandando mensagem. Tenho bastante amizade, torcida dá bastante carinho. É bem legal. Até hoje, onde eu passo, o pessoal lembra que joguei no Corinthians. É bem legal mesmo", completou.

Quando está em São Paulo, Dinélson não perde a chance de ir ao CT do Timão para ver velhos conhecidos: "Vou falar com os roupeiros, fisioterapeutas. De jogador, acho que só o Fagner da minha época está. Foram cinco anos ali, então o Corinthians marcou realmente minha vida".

O Pedrinho de outrora...

Talentoso desde a base e grande destaque da Copa São Paulo, o jovem Dinélson rapidamente chegou ao time profissional. No plantel principal, mesmo em meio a uma série de jogadores, o atleta era constantemente pedido pela torcida. Aos mais novos, um resumo básico: o meia era como Pedrinho. Se o Corinthians não estivesse ganhando, os gritos do seu nome apareciam na arquibancada.

"Não fui protagonista, mas a torcida sempre pedia quando estava perdendo. Eu entrava, fazia gols, dava assistências. Joguei bastante jogos, ainda mais com 19 anos, naquele timaço", relembra.

Dinélson ao lado de Betão na entrega da taça de 2005

Dinélson ao lado de Betão na entrega da taça de 2005

Reprodução/Instagram

Bastidores da conquista e dura entrada de hermano

Com o super elenco campeão brasileiro de 2005, Dinélson vivenciou muita coisa. Não só a festa do título ou os frutos pelo bom rendimento dentro de campo. No vestiário alvinegro, o clima era outro e brigas chegaram a acontecer por causa do garoto.

"2005 era bem engraçado os bastidores. Teve umas coisas engraçadas, teve umas brigas. Até teve uma do Carlos Alberto que ele expôs, que brigou com o Tevez por causa de uma entrada que deu em mim. Teve várias coisas, mas era um time muito bom. A molecada que subiu da Copinha, que tinha sido campeã, ajudou muito naquele momento. Foi um ano especial. Mantenho contato com alguns, conversamos. Era um grupo sensacional. Tinha brigas e tudo mais, mas dentro de campo se resolvia muito bem", pontuou.

Ida à Europa bateu na trave

Apesar do título, o grande momento de Dinélson com a camisa alvinegra foi outro. Em 2007, o jogador vinha atuando bem em meio a outros jovens, como Willian e Marcelo Oliveira. Prestes a ser vendido, porém, uma lesão mudou tudo.

"Em termos de sequência, era meu melhor momento. Fiz gols contra Flamengo e Sport, mas acabei me machucando sério contra o Athletico Paranaense. Era uma quarta-feira e, no sábado, embarcaria para a Ucrânia, para fazer exames no Shakhtar", conta o atleta, que teve uma série de problemas em sua recuperação e acabou tendo que deixar o Timão, onde ficou por cinco anos.

"Quando voltei, acabei tendo muitas dores no joelho. Tem alguns negócios internos, questões de preparação física, que aumentaram ainda mais minhas dores. Diante dessa situação, resolvi sair do Corinthians. Fui para o Coritiba em busca do meu espaço", concluiu.

Dinélson defendeu as cores do Desportivo Brasil em 2017

Dinélson defendeu as cores do Desportivo Brasil em 2017

Divulgação

Depois da equipe paranaense, Dinélson ainda passou por Paraná e Avaí antes de rumar à Ásia, onde permaneceu por alguns anos. De volta ao Brasil, vestiu uma série de camisas, sempre lutando contra as dores e, nesta temporada, se encontra no Mixto.

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians e Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Equipe teve atuação muito ruim no Morumbi e pouco conseguiu criar

    Corinthians tem nova atuação ruim e perde clássico para o São Paulo no Morumbi

    ver detalhes
  • Clayson foi um dos mais criticados pela Fiel após a partida

    Torcida do Corinthians detona Carille e jogadores após derrota para o São Paulo; veja tuítes

    ver detalhes
  • Árbitro não marcou falta de Lizieiro em Danilo Avelar no início do lance

    Comentarista de arbitragem vê falta para o Timão na origem do gol do São Paulo, mas faz ressalva

    ver detalhes
  • Vital ainda tenta entender os motivos do desempenho ruim do Corinthians

    Mateus Vital admite frustração com desempenho do Corinthians e diz não saber o que está acontecendo

    ver detalhes
  • Pedrinho está na mira de clube francês não revelado por seu empresário

    Empresário de Pedrinho revela negociações em andamento com clube francês; meia sairia em janeiro

    ver detalhes
  • Corinthians perdeu o primeiro jogo da final do Paulista de Basquete

    Corinthians perde em casa para Franca e sai atrás na briga pelo título paulista de basquete

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: