Oya superou entrave psicológico para crescer no Corinthians, conta Coelho; entenda

Oya superou entrave psicológico para crescer no Corinthians, conta Coelho; entenda

Por Meu Timão

6.5 mil visualizações 44 comentários Comunicar erro

Oya recebeu apenas uma chance de Fábio Carille no primeiro semestre de 2019

Oya recebeu apenas uma chance de Fábio Carille no primeiro semestre de 2019

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Fabricio Oya já era tratado como uma das maiores promessas das categorias de base do Corinthians quando ainda tinha idade para jogar no Sub-17. Antes mesmo de o nome Pedrinho chegar à boca do povo, era sobre o "japonês" que os torcedores falavam com bastante empolgação. A diretoria também depositou altas expectativa ao protegê-lo com multa rescisória de quase R$ 200 milhões. E tudo isso parece ter pesado psicologicamente.

Em entrevista concedida ao portal GloboEsporte.com, o técnico Dyego Coelho, do Sub-20, contou bastidores de uma espécie de "volta por cima" de Oya ainda nos tempos de base. De família oriental e sempre dedicado não apenas ao futebol mas também aos estudos, o garoto, hoje com 19 anos, travava na própria autocobrança excessiva, segundo o treinador:

"A autocobrança do Fabricio era complicada. Muito grande. E eu falava para ele não se cobrar tanto. Dizia que o acerto era dele e o erro meu. Ele tem uma capacidade que poucos têm, muito acima da média. Não precisa decidir todos os jogos, não precisa ser o melhor em tudo. Ele tem cabeça boa. Quando parou de se cobrar e entender que não tinha obrigação de fazer tudo, o futebol dele cresceu", disse o técnico que o comandou na Copinha de 2018.

Além de Coelho, também trabalharam com Oya no Sub-20 do Corinthians os técnicos Osmar Loss e Eduardo Barroca. A qualidade da finalização e até uma "surpresa" do ponto de vista físico chamaram atenção das comissões técnicas que com o meia trabalharam.

Oya e Pedrinho são as duas principais promessas corinthianas

Oya e Pedrinho são as duas principais promessas corinthianas

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

"Fabricio bate muito bem na bola. Essa batida dele foi onde senti que precisava aproveitá-lo mais. Diziam que ele não tinha intensidade, mas no GPS (após o jogo) aparecia que era sempre quem mais corria. Mesmo sem ser o forte dele, conseguiu dar sprint acima de 23km/h. Eu, Barroca (atual técnico do Botafogo), Osmar Loss, todos contribuímos muito com ele", explicou Dyego Coelho, que agora está em sua segunda passagem pelo Sub-20.

Promovido ao elenco profissional após a última edição da Copa São Paulo, na qual terminou como artilheiro e principal jogador do Corinthians, Oya teve apenas uma chance sob comando de Fábio Carille (21 minutos de um jogo contra o Ituano no Paulistão). No mês passado, foi emprestado ao São Bento, onde jogou quatro vezes e fez um gol pela Série B.

"O jogador pergunta para mim o que fazer e eu digo que quem quer ser jogador de alto nível precisa estar jogando. Acho que fez uma boa escolha, precisa jogar, sofrer, entender o que é o mundo fora do Corinthians e voltar dando mais valor ainda", opinou Coelho.

Com provável retorno ao Corinthians em janeiro do ano que vem, Oya tem contrato com o clube do Parque São Jorge até setembro de 2021.

Veja mais em: Fabricio Oya, Base do Corinthians, Corinthians Sub-20, Dyego Coelho, Jogadores emprestados e Fábio Carille.

Veja Mais:

  • Corinthians jogou bem, mas ficou no empate com o Flamengo em Itaquera

    Corinthians perde uma posição e termina rodada do Brasileirão no meio da tabela

    ver detalhes
  • Jogador assinou contrato nesta segunda

    Corinthians 'vence' River Plate e fecha com meia colombiano comparado a James Rodríguez

    ver detalhes
  • [Marco Bello] Corinthians deve vender jogadores para fechar orçamento de 2019; diretor revela atraso

    ver detalhes
  • Jogador fez exames médicos no Corinthians nesta segunda-feira

    Em live, reforço colombiano interage com a torcida do Corinthians e já provoca arquirrival

    ver detalhes

Comente a notícia: