Por que a tendência é Sylvinho não ser demitido mesmo se Corinthians perder o Dérbi

Lucas Faraldo

Editor e apresentador no canal do Meu Timão no YouTube

ver detalhes

Por que a tendência é Sylvinho não ser demitido mesmo se Corinthians perder do Palmeiras

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Análise de Lucas Faraldo

33 mil visualizações 244 comentários Comunicar erro

Por que a tendência é Sylvinho não ser demitido mesmo se Corinthians perder do Palmeiras

Willian deve engatar contra o Palmeiras seu segundo jogo pelo Corinthians de Sylvinho

Foto: Danilo Fernandes / Meu Timão

Dificilmente Sylvinho será demitido neste fim de semana. O atual treinador do Corinthians chega ao Dérbi deste sábado, pelo Campeonato Brasileiro, com um supertrunfo como técnico do Timão em comparação a Tiago Nunes e Vagner Mancini, que caíram após derrotas para o Palmeiras.

Os antecessores de Sylvinho no Corinthians já chegaram ao derradeiros Dérbis na corda bamba. Faltavam apenas os sacodes finais para a diretoria justificar as demissões.

O que colocou Tiago Nunes, ainda no 1º turno do Campeonato Brasileiro de 2020, e Vagner Mancini, na semifinal do Campeonato Paulista de 2021, na corda bamba? Os dois técnicos chegaram aos tais clássicos contra o Palmeiras já sem a confiança de boa parte do elenco, por mais que dirigentes os bancassem interna e até externamente.

Esse é o diferencial de Sylvinho em comparação aos últimos técnicos do Timão. O atual treinador, além de bancado internamente pelo presidente Duilio Monteiro Alves e diretor de futebol Roberto de Andrade, segue com o grupo de jogadores nas mãos - inclusive os reforços recém-chegados.

Aliás, é principalmente o pacote de contratações da última janela que dá confiança ao elenco. A qualidade dos treinos no CT se elevou desde a primeira semana de trabalhos de Giuliano com bola, por exemplo. O mesmo tem se repetido nas últimas semanas com Renato Augusto, Roger Guedes e Willian.

Claro que não é impossível Sylvinho ser mandado embora depois do clássico contra o Palmeiras. Sofrer uma goleada ou um "baile tático" pode tornar a pressão externa insustentável para a diretoria. A queda, porém, seria a contragosto de praticamente todos dentro do CT. A tendência é o trabalho seguir enquanto acreditarem haver margem pra melhora.

Veja mais em: Sylvinho, Duílio Monteiro Alves, Elenco do Corinthians, Campeonato Brasileiro e Dérbi.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?

x