#Fagner300: o maior lateral do Corinthians no Século

Mateus Pinheiro

Jornalista na ESPN, Mateus Pinheiro tem apenas 21 anos e já passou alguns deles escrevendo sobre o Coringão. Contaminado pela Epidemia Corinthiana.

ver detalhes

#Fagner300: o maior lateral do Corinthians no Século

Coluna do Mateus Pinheiro

Opinião de Mateus Pinheiro

780 visualizações 20 comentários Comunicar erro

#Fagner300: o maior lateral do Corinthians no Século

Fagner completou 300 jogos na noite desta quarta-feira

Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Naturalmente, é difícil reconhecer um ídolo em campo no momento em que ele está jogando. Aquele papo de que poucos são aqueles sábios o suficiente para perceberem a história acontecendo em suas frentes. Muito disso é fruto daquele sentimento de que tudo que aconteceu no passado foi melhor - o não tão bom e velho, saudosismo. Tirada essa sensação de lado, 300 jogos depois, vemos o maior lateral direito do Século vestindo a camisa do Corinthians. Cria do Terrão, Fagner representa para muitos um ídolo, e aos poucos vai se colocando na prateleira da idolatria indiscutível.

Hoje, contra o Flamengo, Fagner completou 300 partidas vestindo o nosso manto. Não só usando-o no corpo como representando toda nação corinthiana em cada jogada, em cada dividida, cada lance de qualidade do melhor lateral do país. Poucos jogadores no elenco tem esse status de ídolo, e apenas um tem o diferencial de ter sido formado em casa. Por mais que tenha feito parte de sua carreira fora, foi em 2014 quando voltou ao seu lar, que nosso camisa 23 assumiu a titularidade de uma lacuna na direita e não largou mais.

Desde então, foram 299 jogos, 7 gols, 22 assistências, e muitas - MUITAS - roubadas de bola. Vê-lo jogar na Arena Corinthians é certeza de presenciar um carrinho bem dado, com uma vibração fora do comum e a sintonia perfeita com a Fiel. Muito por causa de seu estilo de jogo agressivo, Fagner foi taxado por torcedores rivais como jogador violento, o que nunca foi verdade. Leal, porém esperto, nosso lateral conquistou a torcida e, como ele mesmo disse: "Não gostam da minha forma de jogar por ser contra o clube deles". Seu esforço e desempenho acima da média foram reconhecidos por Tite, que presenteou nosso lateral com um feito e tanto: titularidade e participação na Copa do Mundo de 2018.

Não discuto idolatria por achar algo pessoal, mas Fagner já se colocou na conversa com Zé Maria e Wladimir. Mesmo que não seja o maior de todos, já é o maior do século, e isso é grandioso além do calculável. Que nosso lateral possa vestir a 23 em solo corinthiano por muitos anos. Como é bom ver a escalação começando com: "Cássio, Fagner..."

Veja mais em: Fagner.

Coluna do Mateus Pinheiro

Por Mateus Pinheiro

Jornalista na ESPN, Mateus Pinheiro tem apenas 21 anos e já passou alguns deles escrevendo sobre o Coringão. Contaminado pela Epidemia Corinthiana.

O que você achou do post do Mateus Pinheiro?