Começo ótimo, mas ainda só um começo!

Mateus Pinheiro

Jornalista na ESPN, Mateus Pinheiro tem apenas 21 anos e já passou alguns deles escrevendo sobre o Coringão. Contaminado pela Epidemia Corinthiana.

ver detalhes

Começo ótimo, mas ainda só um começo!

Coluna do Mateus Pinheiro

Opinião de Mateus Pinheiro

4.8 mil visualizações 23 comentários Comunicar erro

Começo ótimo, mas ainda só um começo!

Luan chega ao Corinthians em 2020

Foto: Montagem Otávio Ariano/ Meu Timão

2020 já começou. Ao menos esse é o sentimento para o corinthiano, que se animou com a vinda do comandante Tiago Nunes, e do meio-campista Luan. Ambos campeões recentes, que chegam ao Corinthians com a expectativa de reerguer o moral da torcida, após um 2019 medíocre – no sentido literal da palavra.

Como o próprio presidente Andrés Sanchez ressaltou após a derrota para o Fluminense na última rodada do Brasileirão, é pouco. Pouco para um clube com expectativa tão alta terminar o ano com uma mera classificação a fase prévia da Libertadores. O tricampeonato Paulista, é claro, foi ótimo para um primeiro semestre que soava animador.

A mudança no comando técnico só pode surtir efeito se o Corinthians se reforçar onde mais precisa: no material humano. Tiago, é claro, empolga. Mas seu plano A é um nome crucial para início de trabalho de 2020. Luan pisa no CT Joaquim Grava com a missão de comandar o time. De servir o atacante como nenhum meia conseguiu fazer em 2019.

Agora, acreditar que a vinda do meia sana todos problemas do elenco é tapar o sol com a peneira. É um começo muito positivo, mas precisamos de mais:

A lateral esquerda

Se pela direita o Corinthians conta com o melhor jogador da posição no país, a situação não é a mesma pela esquerda.

Danilo Avelar, dono da posição no ano, é o pior titular que dispõe no momento Tiago Nunes. Apesar de se destacar com gols decisivos em jogadas aéreas, peca na defesa, sempre obrigando Gil a defender no 1x1 e corrigir as bolas que leva nas costas. No ataque, é nulo, já que não faz a triangulação esperada e não consegue chegar ao fundo de campo e cruzar com consciência para área. Afinal, deu duas assistências no ano, a última em maio, enquanto Fagner – num ano abaixo – distribuiu seis.

Carlos Augusto também contribui para o desespero da torcida, já que não conseguiu fazer um jogo sequer em alto nível para convencer uma possível titularidade. Deveria ser emprestado para ganhar experiência. Na posição, Lucas Piton jogou apenas minutos no último jogo, mas já deu assistência e animou a Fiel.

Assim, nomes começam a pipocar como opções. Os ucranianos do Dínamo fazem jogo duro pois querem a venda do jogador, mas Sidcley lidera a corrida da contratação. Dodô aparece como opção, mas o cria da base será bem disputado nesta janela de transferências. O melhor da lista tem a situação mais complicada: Jorge não deve ser emprestado mais uma vez pelo Mônaco, e o Corinthians não pretende fazer uma compra tão robusta para a posição.

O ideal: sai Avelar (venda) e Carlos (empréstimo). Chega Sidcley ou Dodô e Piton ganha espaço.

Volância?

O começo de ano de Júnior Urso foi espetacular. O volante chegou e caiu como uma luva. Lembrando bem o que faziam Elias e Paulinho, se colocou como o segundo volante de “efeito surpresa”. Ou seja, entrava na área constantemente e marcava seus gols. Assim, parecia que o problema da posição estava completamente solucionado.

Na volta da Copa América, Urso se machucou. Nem Jesus, nem Ramiro improvisado conseguiram ocupar bem a posição. Na volta do camisa 11, ele esteve irreconhecível.

Não se manteve fisicamente, logo seu jogo de intensidade caiu por terra e seu desempenho também. Logo a Fiel passou a pedir reforço para posição.

Como entusiasta do volante que chega na área, me animei com a chegada de Tiago Nunes em relação ao que poderia o treinador extrair do atleta que não pode ter desaprendido a jogar. Mesmo assim, o comandante pediu a contratação de Cantillo, nome que vem observando no Junior Barranquilla desde os confrontos pelo Athletico Paranaense na competição continental.

Victor Cantillo é o volante de troca de passe acima da média. Busca seus companheiros sempre à frente de sua linha. Foge do clássico “meia passe de lado”. Desta maneira, caso seja contratado, promete bela competição com Urso.

As pontas

A bola da vez é Michael. O ponta que fez até Gil sambar e foi eleito a revelação do campeonato pelo prêmio Bola de Prata ESPN é desejo de alguns clubes brasileiros. Para o Corinthians, alguns fatores podem contar a favor.

A informação é o desejo do Goiás em ter André Luís, que jogou emprestado ao Fortaleza em 2019. Assim, a proposta que tem em mãos a equipe esmeraldina é de R$22 milhões, o zagueiro Marllon e o atacante André Luís. Se não chegar algo melhor, Michael deve ser do Corinthians em 2020.

O que anima a Fiel em relação ao “chegar algo melhor” é a ida de Pedro Rocha ao Flamengo, que diminui a necessidade do clube carioca – poderoso financeiramente – em um ponta.

Outros nomes que já foram ventilados foram os de Nikão e Rony, do Athletico-PR. Nome esses que foram deixados de lado no momento para foco total em Michael.

Todos nomes são vitais para completar um elenco que seja mais condizente com a maneira que joga Tiago Nunes. Além disso, são necessários para poder se cobrar do treinador um trabalho com bons resultados.

Veja mais em: Mercado da bola e Diretoria do Corinthians.

Coluna do Mateus Pinheiro

Por Mateus Pinheiro

Jornalista na ESPN, Mateus Pinheiro tem apenas 21 anos e já passou alguns deles escrevendo sobre o Coringão. Contaminado pela Epidemia Corinthiana.

O que você achou do post do Mateus Pinheiro?