Os 11 de Carille: perto de se tornar os que saíram jogando mais vezes pelo Corinthians

Pergunte ao almanaque

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

ver detalhes

Os 11 de Carille: perto de se tornar os que saíram jogando mais vezes pelo Corinthians

2.6 mil visualizações 36 comentários Comunicar erro

Os 11 de Carille: perto de se tornar os que saíram jogando mais vezes pelo Corinthians

Atuando juntos, esses 11 jogadores nunca perderam

Foto: Reprodução

Quando fez esta pergunta, parece até que o Arthur Tonon estava adivinhando: neste domingo, contra a Ponte Preta, Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero e Jô podem alcançar o time da Democracia Corinthiana, de 1982, na condição de 11 jogadores que mais vezes entraram em campo juntos para defender o Corinthians.

Faça como o Arthur! Nós, aqui, vamos continuar esclarecendo as dúvidas dos internautas do site Meu Timão sobre história, estatísticas ou qualquer outro tipo de curiosidade ligada ao Corinthians, como essa. A base para as respostas será sempre o Almanaque do Timão, trabalho que desenvolvo há mais de 20 anos sobre todos os jogos, jogadores e técnicos do nosso time desde 1910. Ele virou livro em 2000, foi reeditado em 2005 e agora existe na forma do APLICATIVO ALMANAQUE DO TIMÃO, para smartphones e tablets, que pode ser baixado (de graça!!!) via Apple Store ou Google Play. Nos dias (e noites) de jogos, esse aplicativo oficial do Corinthians continua sendo atualizado online.

O APLICATIVO ALMANAQUE DO TIMÃO também traz o GAME DO TIMÃO, uma plataforma de questões de múltipla escolha em que acertos e velocidade de resposta somarão pontos para um ranking geral de usuários cadastrados. Os mais bem ranqueados receberão prêmios periódicos (semanais, mensais, semestrais e anual), como réplicas de camisas antigas, camisas oficiais, camisetas, relógios, bijuterias, bonés e livros, além de visitas acompanhadas ao Memorial do Clube, no Parque São Jorge, e até ingressos de cortesia para jogos na Arena Corinthians.

CELSO UNZELTE

Celso, seria difícil, mas você saberia dizer qual foi o time titular que mais vezes iniciou uma partida? E ainda quais seriam os onze titulares com melhor aproveitamento?

Arthur Tonon
@arthurcorinthiano
Piraju, SP

Sua pergunta veio na hora certa, Arthur. Neste domingo, contra a Ponte Preta, em Campinas, se o técnico Fábio Carille escalar o seu time-base — Cássio, Fágner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô —, esses onze jogadores vão igualar o recorde do time titular que mais vezes iniciou uma partida em 107 anos de história do Corinthians. Eles já são os que mais entraram em campo juntos em um mesmo ano: 12 partidas, neste 2017.

A marca de 13 jogos ainda pertence ao time que foi campeão paulista jogando dez vezes em 1982 e outras três no ano seguinte, 1983: Solito, Alfinete, Mauro, Daniel González e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Ataliba, Casagrande e Biro-Biro.

Abaixo, você confere, pela ordem, os times que entraram em campo juntos pelo Corinthians em pelo menos 10 partidas. É fundamental esclarecer que o Almanaque do Timão só conseguiu apurar esses dados graças a um trabalho especial desenvolvido a partir do programa Excel pelo engenheiro e jornalista Gustavo Longhi de Carvalho.

Os times titulares que saíram jogando mais vezes pelo Corinthians

1º) 1982/83 (13 jogos: 7 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 25 gols marcados, 15 sofridos). Campeão paulista de 1982

Em pé: Solito, Sócrates, Ataliba, Casagrande, Zenon e Biro-Biro. Agachados: Mauro, Daniel González, Alfinete, Paulinho e Wladimir

2º) 2017 (12 jogos: 7 vitórias, 5 empates, 0 derrota, 18 gols marcados, 4 sofridos)*.
Campeão paulista de 2017
*Até o jogo São Paulo 1 x 1 Corinthians, em 24/9/2017
Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille

3º) 1930 (11 jogos: 10 vitórias, 0 empate, 1 derrota, 52 gols marcados, 15 sofridos). Tricampeão paulista em 1930
Tuffy, Grané e Del Debbio; Nerino, Guimarães e Munhoz; Filó, Apparício, Gambinha, Rato e De Maria. Técnico: Virgílio Montarini

Em pé: Nerino, Grané, Tuffy, Del Debbio, Guimarães e Munhoz. Agachados: Filó, Apparício, Gambinha, Rato e De Maria

1947 (11 jogos: 9 vitórias, 1 empate, 1 derrota, 31 gols marcados, 12 sofridos).
Bino, Domingos da Guia e Aldo; Pellicciari, Hélio e Aleixo; Cláudio, Baltazar, Servílio, Nenê e Ruy. Técnico: Armando Del Debbio

1982 (11 jogos: 7 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 24 gols marcados, 10 sofridos). Campeão paulista de 1982
Solito, Alfinete, Mauro, Wágner e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Ataliba, Casagrande e Biro-Biro. Técnico: Mário Travaglini

6º) 1941 (10 jogos: 7 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 32 gols marcados, 10 sofridos). Campeão paulista de 1941
Ciro, Agostinho e Chico Preto; Jango, Brandão e Dino; Tite, Servílio, Teleco, Joane e Carlinhos. Técnico: Armando Del Debbio

1987 (10 jogos: 6 vitórias, 4 empates, 0 derrota, 22 gols marcados, 6 sofridos). Vice-campeão paulista de 1987
Waldir Peres, Édson, Mauro, Jatobá e Dida; Biro-Biro, Eduardo e Éverton; Jorginho, Edmar e João Paulo. Técnico: Formiga

2000 (10 jogos: 7 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 31 gols marcados, 19 sofridos)
Dida, Daniel, Adílson, Fábio Luciano e Kléber; Vampeta, Edu e Ricardinho; Marcelinho, Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira

2002 (10 jogos: 4 vitórias, 5 empates, 1 derrota, 15 gols marcados, 10 sofridos)
Campeão do Rio-São Paulo e da Copa do Brasil
Dida, Rogério, Anderson, Fábio Luciano e Kléber; Fabrício, Vampeta e Ricardinho; Deivid, Leandro e Gil. Técnico: Carlos Alberto Parreira

Veja mais em: História do Corinthians.

Game do Timão

Coluna do Celso Dario Unzelte

Por Celso Dario Unzelte

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

O que você achou do post do Celso Unzelte?