Corinthians x Ferro Carril

Pela Liga Sul-Americana de Basquete, o Corinthians enfrenta agora o Ferro Carril

Acompanhe ao vivo
No quinto jogo sem vitória, Corinthians começa a dar sinais de desespero em campo e fora dele

Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia a dia do clube em busca de informações e números do Timão.

ver detalhes

No quinto jogo sem vitória, Corinthians começa a dar sinais de desespero em campo e fora dele

Coluna do Rafael Bianco

Opinião de Rafael Bianco

2.7 mil visualizações 57 comentários Comunicar erro

No quinto jogo sem vitória, Corinthians começa a dar sinais de desespero em campo e fora dele

O Corinthians de Fábio Carille chegou ao quinto jogo consecutivo sem vitória

Foto: Daniel Au/Agência Corinthians

A noite de sábado do torcedor do Corinthians será mais uma para esquecer em 2019. Depois de nova partida apática, a equipe alvinegra perdeu para o Cruzeiro pelo placar de 2 a 1 e não é capaz de mostrar sinais de recuperação na temporada.

Mais do que isso, todos os envolvidos com o time começam a demonstrar sinais de desespero, que passam a impressão de que não sabem mais o que fazer. Tal postura ficou evidente com a expulsão de Fábio Carille, logo depois do segundo gol da equipe mineira.

Apesar de certa razão na reclamação com a arbitragem, já que o auxiliar não deveria ter levantado a bandeira, o treinador alvinegro se irritou de maneira exacerbada. Partindo para uma discussão forte, Carille recebeu um cartão amarelo e não parou de gritar com o árbitro, recebendo o vermelho logo na sequência.

Carille gritou incrédulo com o árbitro após o segundo gol do Cruzeiro

Carille gritou incrédulo com o árbitro após o segundo gol do Cruzeiro

Danilo Fernandes/Meu Timão

A impressão que ficou logo no momento da expulsão foi de que ele havia desistido. Incrédulo com o que acontecia em campo, somando o desempenho ruim da equipe com os erros da arbitragem, ele não sabia o que fazer.

Mas não só o treinador se afetou com os problemas. Em campo, os jogadores não paravam de errar passes e seguiam incapazes de se organizarem. Para completar, Fagner, um dos líderes da equipe, foi mais um que parecia enraivecido e começou a afrontar o árbitro depois de uma falta marcada.

Certamente mais calmo após a partida, Carille apareceu para conceder entrevista coletiva e voltou a falar da arbitragem. O técnico apontou então os erros, citando o cartão amarelo para Bruno Méndez, um gol anulado do Corinthians e o segundo tento do Cruzeiro. E é óbvio que eles foram decisivos para o placar da partida, mas o resultado final não deveria ser muito diferente.

Ao meu ver, o grande problema nisso está no fato de que a derrota não é fruto apenas de problemas de arbitragem. A questão está no desempenho do Corinthians, que é incapaz de fazer um jogo minimamente decente, no qual mereça sair com a vitória.

E enquanto houverem desculpas, como a falta de um meia armador ou problemas de arbitragem, esse time não vai mudar de postura.

Com 11 jogos restantes em 2019, a impressão que fica é de que os torcedores do Corinthians terão que se contentar com mais 990 minutos de puro tédio. E somando isso ao nítido desespero que começa a tomar conta da equipe, é impossível prever o quão frustrante pode ficar a situação.

Veja mais em: Campeonato Brasileiro e Fábio Carille.

Coluna do Rafael Bianco

Por Rafael Bianco

Rafael Bianco é estudante de jornalismo na Cásper Líbero e apaixonado pelo Corinthians. Com paixão herdada pela família, acompanha o dia-a-dia do clube em busca de informações e números do Timão.

O que você achou do post do Rafael Bianco?