Ganhamos do SPFC mais uma vez

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

Ganhamos do SPFC mais uma vez

Ganhamos do SPFC mais uma vez

Mestre Danilo fez mais um gol contra o São Paulo

Foto: Rodrigo Gazzanel /Agência Corinthians

5.1 mil visualizações 70 comentários Comunicar erro

Antes do artigo propriamente dito, deixa eu protestar: Vergonha, Vergonha, Vergonha!

Já que muito pouco se fala quando o Corinthians é garfado, repito, com alto-falantes: Vergonha, Vergonha, Vergonha!

A campanha dos falastrões, despeitados e maldosos da mídia, mais a cúpula tricolor da CBF, mais o desprestígio de Andrés Sanchez levaram a isso. Fomos, de longe, o time mais prejudicado pela arbitragem neste ano.

Calma, precipitados. Nosso time é ruim, mas uma coisa não exclui a outra.

Começo agora o artigo.

O Corinthians e a Fiel sempre me surpreendem.

Tivemos uma semana terrível.

Derrota no Rio, trapalhadas da diretoria, penhora da Taça do bimundial.

Nosso eterno freguês teria uma preciosa chance de parar de tremer na Arena e ganhar. pela primeira vez.

Mas o Timão doutrinou e a Fiel jogou bola. Sim, senhores. Começamos com 12 e terminamos com 11 jogadores.

Quando tínhamos 12, no primeiro tempo, amassamos os caras.

A pergunta é inevitável. Por que não jogamos sempre assim?

Mesmo com time mediano, do Corinthians não se exige futebol vistoso, mas atitude. Raça, pressão, volume.

Foi o que vimos.

Porém, mais uma vez, fomos operados, sem anestesia, pela arbitragem.

Pênalti em Romero e um gol deletado (mais uma vez, Danilo foi na rede contra o São Paulo).

Iríamos com vitória para os vestiários.

Mesmo com a expulsão do estabanado Araos, teríamos encaminhado a vitória.

No segundo tempo, com 11 em campo, já que a Fiel continuou jogando, dominamos o adversário.

Parecia que eles é que tinham um jogador a menos.

Pedrinho pôs a bola debaixo do braço, fez grandes jogadas individuais.

Recebeu cruzamento de Thiaguinho e, de primeira, ajeitou com açúcar para o eterno monstro. Ralf, de três dedos, disparar um torpedo submarino. Rasante, linear em direção ao alvo.

Golaço! Seria o 2 a 0.

Criamos mais chances, não fizemos, sofremos o empate.

Mas sabemos que vencemos. Eles sabem que perderam (até o técnico caiu).

Se abandonarmos a postura covarde fora de casa e jogarmos em casa como jogamos o clássico, não teremos sustos.

Você me surpreendeu de novo, Timão de lutas e glórias!

Veja mais em: Majestoso.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

O que você achou do post do Roberto Zanin?

  • 1000 caracteres restantes