Comemore muito, Fiel!

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

Comemore muito, Fiel!

2.6 mil visualizações 39 comentários Comunicar erro

Comemore muito, Fiel!

Esse grupo entregou muito mais do que se esperava dele

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Amigos e amigas fieis:

Comemorem muito.

Começamos o ano quase sem esperanças. Apenas a eterna chama Corinthiana fez com que vislumbrássemos algo bom.

Rivais gastando mundos e fundos. Nossa diretoria, sem dinheiro, foi obrigada a acreditar na base e em jogadores sem griffe. Para treinador, tentaram trazer Rueda. Não deu certo. Efetivaram Fábio Carille.

E veio o primeiro dérbi do ano,no Paulistão.

Aquela vitória, com um jogador a menos após expulsão injusta, foi o primeiro divisor de águas do ano.

E veio o segundo dérbi, na casa do rival, no primeiro turno do Brasileiro.

A vitória deu a certeza de que a sequência de vitórias não aconteceu por acaso.

Mas após aquele primeiro turno histórico, vacilamos no segundo.

Muitos torcedores, mal acostumados com tantos títulos recentes, criticaram o time como se estivéssemos na zona do rebaixamento.

Fui dos que criticaram essa postura. Afinal, desde o início do ano, aquele time nunca havia me decepcionado.

Mas depois da derrota contra a Ponte, eu também perdi a paciência. Muitos outros perderam a calma.

O ídolo Neto acabou sendo porta-voz desse sentimento. E o desabafo dele (eu sei) caiu como uma bomba no elenco.

O que poderia ser apenas cornetagem, foi o gás que faltava para o elenco voltar a ser Corinthians. A acomodação acompanha todo o ser humano e havia atingido esse valoroso grupo. Sim. Valoroso!.

Entregaram muito mais do que se esperava deles. Honraram o manto alvinegro.

Representaram!

E veio o terceiro dérbi. A multidão de fieis no treino de sábado e a união das torcidas no domingo resultou na avalanche vista sobre o adversário.

Foi a senha de que não perderíamos o Brasileiro.

Comemorem muito.

Comemoremos muito.

O primeiro, em 90, foi demais.Senti o Morumbi tremer no gol do Tupãzinho.

Em 98 e 99 tínhamos dois timaços.

2005 foi o campeonato mais justo da história. A única vez que jogos manipulados foram anulados.

2011 foi emocionante. A antessala da Libertadores e do Mundial 2012.

Em 2015, vimos uma equipe que mesclou raça e técnica, mais uma vez sob a batuta de Tite.

Mas esse, de 2017, foi especial, cara.

Ganhamos um campeonato de pontos corridos, com 38 rodadas, sem ter o melhor elenco.

Sabe por quê?

Por que você, por que nós, somos diferentes.

Nós somos, sim, o décimo segundo jogador que decide títulos quando os outros onze suam a nossa camisa.

Comemorem muito.

Comemoremos muito.

Em 2017 foi tudo nosso!

Veja mais em: Heptacampeonato brasileiro.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?