Mudar títulos do passado é crime contra a história

Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria, Bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito aos irmãos

ver detalhes

Mudar títulos do passado é crime contra a história

6.6 mil visualizações 115 comentários Comunicar erro

Mudar títulos do passado é crime contra a história

Esse título já foi reconhecido no ato

Foto: Danilo Augusto Jr. Agência Corinthians.

O final do mundial de clubes é ocasião para eu abordar um tema que me irrita profundamente: o estupro da história para dar títulos de presente a quem não os ganhou em campo.

Ora, a questão é muito séria. Em nome de interesses escusos, APENAS NO BRASIL, se passa “um branquinho” no passado e se modifica a verdade.

O pior é que a falta de bom senso e o fanatismo clubista é tão grande que tenho que explicar o óbvio.

Mas vamos lá.

A Copa Rio de 51 pode ter sido importante, com grandes equipes, o Palmeiras ganhou, deve figurar entre os títulos de relevo do verde, mas NÃO FOI CAMPEONATO MUNDIAL.

Agora, tudo vira dossier. Juntam-se recortes de jornais, mostram-se fotos de multidões comemorando, declarações de jornalistas, etc., mas o simples fato de se pedir reconhecimento DEMONSTRA e COMPROVA que o tal torneio não foi MUNDIAL. Essa é a chave do enigma. O Corinthians não precisou, precisa ou precisará recorrer à FIFA para que ela reconheça os mundiais de 2000 e 2012, porque, afinal, a própria entidade, à época das competições, as tratou como mundiais. É elementar.

Outro crime histórico é o “reconhecimento” dos títulos brasileiros antes de 1971.

A CBD anunciou naquele ano, a realização do primeiro campeonato brasileiro. O Atlético mineiro foi o campeão e ostentou por anos o titulo de “Primeiro Campeão Brasileiro”.Muitos torcedores do Galo viveram e morreram com essa certeza. Ninguém questionou isso. Nem os rivais cruzeirenses. Todos sabiam que os torneios pré-71 foram importantes, mas nunca tiveram a abrangência e a dimensão de campeonatos brasileiros.

Taça Brasil e Roberto Gomes Pedrosa foram grandes competições, mas não foram campeonatos brasileiros. A primeira equivaleria a uma Copa do Brasil. O segundo seria mais parecido com o Brasileirão, só que não foi um.

Essa estória, com "e", mesmo, começou com o Santos, graças ao complexo que atinge os seus adeptos. Eles seguem o mesmo padrão "ganhamos-o-mundo-tivemos-Pelé-e continuamos-sem-a-expressão-que-o-Corinthians-tem". Isso não tem cura!

Contrataram um "historiador", que preparou um “dossier” com o apoio dos cartolas santistas (claro que os outros 5 clubes interessados também entraram de carona nessa).

Apresentaram a papelada ao honesto e isento Ricardo Teixeira. Resultado: o time da Vila dormiu com 2 títulos e acordou co 8 brasileiros. O Palmeiras ganhou mais 4. Dois deles referentes ao mesmo ano!

O Flu, o Cruzeiro, o Botafogo e o Bahia também deixaram de ser o que foram e passaram a ser o que não foram.

O que esses clubes não sabem é que a canetada pode servir para inflar o ego de torcedores, jornalistas e cartolas beneficiados, mas não tem o poder de mudar a realidade. Afinal, o presente e até o futuro podem ser mudados. O passado, não.

Veja mais em: Títulos do Corinthians.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Roberto Gomes Zanin

Por Roberto Gomes Zanin

Jornalista, diretor da RZ Assessoria de imprensa, bicampeão do mundo. Não sou ligado a nenhuma corrente política do clube. Quero apenas o melhor para o Timão. Discorde à vontade, mas com o respeito.

O que você achou do post do Roberto Zanin?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de cristiano

    Ranking: 2792º

    Cristiano 517 comentários

    por @cristiano001

    Verdade! Por isso uso a filosofia do cavalo de desfile de 7 de setembro.."andando e cagando" pra opinião dos antis, da imprensa e por ai vai que defendem essas alterações "aberrações " na história.
    Campeonato Brasileiro: Timão único Hepta do Brasil
    Mundial da Fifa: Timão único bicampeão (América do Sul)
    O resto é resto...

  • Foto do perfil de Eliane

    Ranking: 367ª

    Eliane 102 comentários

    por @eliane.travassos

    A melhor análise sobre o assunto. Muito bom! Parabéns, Zanin!
    Se a FIFA promove o campeonato, o troféu leva seu nome; se é a Toyota, idem. A Taça Rio, de 1951 foi um torneio internacional, jamais um mundial.
    O passionalismo impede que as pessoas raciocinem. Basta passear pelas páginas dos principais clubes europeus, procurar a galeria de troféus, que lá estará diferenciado: torneio intercontinental e mundial. Simples!
    A Taça Brasil foi criada no fim dos anos 1950 para indicar o clube brasileiro que representaria o país na recém criada Libertadores. Só participavam os clubes campeões de cada estado; parecia mais com os moldes do início da Copa do Brasil.
    Nessa época não havia participação de clubes de todos os estados devido à dificuldade de locomoção por falta de meios de transporte adequados às equipes.
    Antes de 1971 havia competições nacionais, mas não o Campeonato Brasileiro, com primeira divisão e as outras...
    Mas tem gente que não entende, clubismo ou falta de inteligência...

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de fernando

    Ranking: 6229º

    Fernando 198 comentários

    70º. por @mr.fsac

    Texto exemplar.

  • Publicidade

  • Foto do perfil de Tati

    Ranking: 351ª

    Tati 107 comentários

    69º. por @loco.31

    Um dos melhores texto sobre o tema que já li.

  • Foto do perfil de marcos

    Ranking: 4426º

    Marcos 307 comentários

    68º. por @brehmer

    O Corinthians disputou a Flórida Cup e vacilou colocando reservas e acabou perdendo a chance ser campeão desta competição, tanto o ano passado como esse ano. Daqui a pouco o palmerias vai disputar esse troço de torneio na Flórida e pede para a FIFA o considerar campeão mundial.
    É só o que falta!
    kkkkkkkkkk

  • Foto do perfil de Josias

    Ranking: 70º

    Josias 7964 comentários

    67º. por @josias.bach

    Parabéns, melhor explicação que já li sobre o assunto. Os anti piram.

  • Foto do perfil de Renato

    Ranking: 1878º

    Renato 762 comentários

    66º. por @otaner.oliveira

    Esse Roberto manda muinto bem nas matérias. Cara parabéns isso realmente foi muinto bom de ler. Mais pra mim 51 ainda continua sendo cachaça kkkkkkk.

  • Foto do perfil de Tiago

    Tiago 17 comentários

    65º. por @tico187

    Na boa...os "outros" clubes, que reivindicam tais títulos apenas refirmam o que eles têm de melhor, o espírito de vira-latas...mundial é mundial, brasileiro é brasileiro, o resto é piada mal feita...kkkkkkkkkkkkkkk

  • Foto do perfil de José

    Ranking: 1022º

    José 1239 comentários

    64º. por @casagrande83

    Falou tudo!
    Excelente matéria

  • Foto do perfil de Rodrigo

    Ranking: 6514º

    Rodrigo 186 comentários

    63º. por @rodrigo.emboava.orti

    Cada campeonato é um elemento importante da história.

    Esses torneios não eram oficiais da FIFA, ou qualquer federação internacional. Era um amistoso, com um nome e com sua história.

    Não podemos julgar ele como o Mundial de hoje, pois não era. Se uma copa jogada por diferentes clubes do mundo for mundial, todo e qualquer campeonato, tipo a Flórida Cup tem que ser mundial. Porém a Flórida Cup é ela e não um mundial.

    Precisão ter coerência.

    Da mesma forma que Robertão não era o Campeonato Brasileiro, mas pode ser equivalente por se tratar do maior campeonato nacional da época.

    Depois o Campeonato oficial é o que deve valer acima de qualquer outro. Significa que o organizado pela CBF é o que vale, ou seja o Sport é o verdadeiro campeão brasileiro e não o Flamengo. O Flamengo ganhou um título que foi importante, mas não era o oficial. Ponto. Senão, daqui 50 anos vão falar que a primeira liga deveria ser considerada um campeonato Brasileiro.