Garra paraguaia na noite longa e difícil

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Garra paraguaia na noite longa e difícil

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

3.6 mil visualizações 51 comentários Comunicar erro

Garra paraguaia na noite longa e difícil

Romero: esforço e entrega durante toda a partida

Foto: Agência Corinthians

1) O dedicado Balbuena encarnou a garra paraguaia no estádio La Independencia, em Tunja, na Colômbia. No cerrar das cortinas, anotou um gol autenticamente corinthianista que premiou seu esforço e empenho durante toda a partida.

2) O outro destaque no Corinthians? O também paraguaio Romero. Não pareceu sentir a altitude. Correu o tempo todo, na esquerda ou na direita, na defesa ou no ataque, mostrando que é fundamental ao time de Carille.

3) Chegar a Tunja foi uma aventura. O time já vinha exausto da renhida disputa contra o Grêmio, no domingo. O gramado travava a troca de passes. Há, portanto, atenuantes para o desempenho insatisfatório da equipe mosqueteira.

4) Rodriguinho saiu de campo exaurido. Faltou-lhe pulmão. Parece ter sido a altitude. O mesmo sucedeu a Marquinhos Gabriel e, possivelmente, a Camacho.

5) Moisés fez uma partida assustadoramente ruim. Tentou marcar sem sucesso o mais qualificado adversário, o lépido Mosquera. Levou um baile. A ausência de Arana desarrumou a retaguarda alvinegra.

6) A marcação corinthiana foi larga, espaçada e frouxa na maior parte do tempo. O gol dos donos da casa, no entanto, surgiu de uma jogada em que o bandeira deixou de anotar o impedimento de Mosquera.

7) As virtudes de Kazim parecem insuficientes para lhe garantir um lugar no elenco corinthiano. Lento, amarrado e pesado.

8) Giovanni Augusto, que compôs o time no segundo tempo, teve o desempenho costumeiro. Clayton retornou ao seu, depois da boa atuação contra o Vasco.

9) O time do Patriotas não parece, no quesito técnico, superior ao Paysandu ou ao Boa Esporte, clubes que disputam a Série B brasileira. No entanto, jogou com seriedade, compactado e empenhado em honrar sua participação nesta Copa Sul-Americana.

10) Em noite difícil, de futebol limitado, valeu a manutenção da invencibilidade. Agora, são 24 jogos. A partida de volta, em Itaquera, deve sacramentar a classificação.

11) O foco agora é a partida contra o Botafogo. Em 2017, a prioridade é o hepta brasileiro. Vai, Corinthians!

Veja mais em: Copa Sul-Americana.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?