Negligência nos fundamentos leva a nova derrota

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

Negligência nos fundamentos leva a nova derrota

Negligência nos fundamentos leva a nova derrota

Jô: sob marcação cerrada no Nílton Santos

Foto: Agência Corinthians

1) No futebol moderno, tomar gol de escanteio é algo raro. Mas o Corinthians tomou dois, no mesmo jogo, e perdeu mais uma partida pelo Campeonato Brasileiro.

2) Nos estudos compilados por Chris Anderson e David Sally, no livro Os Números do Jogo, os números são reveladores. Apenas 20,5% dos escanteios geram uma finalização a gol. Desses arremates, apenas um em dez (11%) resulta em gol. Em média, um time só anota um gol originado por escanteio a cada dez partidas.

3) No caso da esquadra de Carille, os escanteios são cedidos em grande quantidade. É o que ocorre com equipes de estilo defensivo que permitem cruzamentos e cujos zagueiros têm de agir quando estão virados para a própria meta.

4) No segundo turno, o Corinthians já foi derrotado, em casa, pelo pior time do campeonato, o Atlético Goianiense, com um gol de escanteio marcado pelo zagueiro Gilvan.

5) Também tomou um de Henrique, do Coritiba, em Itaquera, o que determinou a igualdade no placar. O Timão sofreria para passar à frente no placar novamente.

6) Para se evitar o gol de escanteio é necessário o apoio integral do time, não somente dos zagueiros de área. É lição que qualquer aspirante a técnico precisa estudar nos cursos de preparação.

7) No primeiro gol do Botafogo, depois da falha no jogo aéreo, o lateral Arana assiste à conclusão de Brenner, livre diante do canto direito de Cássio.

8) No segundo gol, vê-se a absoluta liberdade de Igor Rabello, assim como a total passividade de Maycon e Rodriguinho, que assistem tranquilamente à jogada, esperando que Balbuena se vire.

9) Há muitos e gravíssimos erros de fundamento na atual equipe corinthiana. O principal é o passe. No estádio Nilton Santos, Marquinhos Gabriel, Romero, Jadson, Maycon e Rodriguinho entregaram bolas e mais bolas ao alvinegro carioca.

10) Sim, parece mesmo que Jô sofreu pênalti no último lance na partida. Mas seria milagre ver a bola na marca de cal. A ideia do “apito amigo” pegou. E assusta as arbitragens. Sem qualquer ação da frouxa cartolagem corinthiana, o time vem sendo garfado jogo após jogo.

11) O título que estava praticamente ganho pode agora mudar de dono, e, pior, de parque. No segundo turno, o aproveitamento caiu a assustadores 36% do pontos disputados. Quando será que o Corinthians vai acordar?

Veja mais em: Campeonato Brasileiro.

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?

  • 1000 caracteres restantes