Ansioso pela final de domingo

Wladimir

Atleta que mais vestiu a camisa do Corinthians e recordista de jogos consecutivos pelo clube, com 163 partidas disputadas sem interrupção.

ver detalhes

Ansioso pela final de domingo

Coluna do Wladimir Rodrigues dos Santos

Opinião de Wladimir

53 mil visualizações 55 comentários Comunicar erro

Ansioso pela final de domingo

Rodriguinho fez dois gols no primeiro jogo da final

Foto: Daniel Augusto Junior/Agência Corinthians

Em minha primeira coluna no Meu Timão, confessei minha apreensão com nosso time. Vínhamos errando muitos passes, lançamentos e conclusões, algo típico de um time em formação, recheado de promessas que vieram da base.

Até a semifinal, considerei que a Ponte Preta tinha um pouco mais de organização tática que o time de Carille.

No domingo, passado, no entanto, meus receios foram se diluindo conforme avançava o jogo em Campinas.

Vi uma Ponte Preta bastante desatenta e que, desde o início do jogo, foi envolvida pelas jogadas rápidas e triangulações do Timão. Creio até que o time de Kleina subestimou o oponente.

Acertamos, sobretudo, naquilo que vínhamos mais falhando: no passe e na transição. No primeiro gol, Romero, Jô e Rodriguinho trataram a bola com carinho, com a precisão que todos esperamos do time.

O Corinthians foi inteligente por jogar sempre no erro do adversário, procurando não desperdiçar as oportunidades.

Em uma saída em massa dos campineiros, Rodriguinho dominou a bola, fez um avanço diagonal e serviu para Jadson fuzilar Aranha. Tudo bem feito, tudo com talento e simplicidade.

No terceiro gol, mais uma vez, aproveitamos a desatenção e talvez o nervosismo do adversário. A jogada começou em um arremesso lateral. E Rodriguinho, mais uma vez, estava muito atento para aproveitar a bobeada da zaga da Ponte.

É realmente uma pena que este jogador, em ascensão, não possa participar da partida decisiva.

Porque a partida decisiva é aquela da foto dos campeões. Em 1977, no último jogo contra o mesmo adversário, nossos companheiros Palhinha e Zé Eduardo não apareceram no retrato, embora tenham contribuído bastante para a conquista.

Aproveito aqui para lamentar o falecimento do Zé Eduardo, esse zagueiro excelente, que tanto colaborou conosco naquela época. Foi um grande atleta, comprometido com o grupo e ótima pessoa.

Dias antes de sua passagem, estive com ele no hospital. Fiquei horas lá. Ele na UTI, em coma, sem poder se comunicar. Foi assim a nossa despedida.

Com relação a domingo, creio que o comportamento da Ponte Preta será diferente. A Macaca terá que se apresentar para o jogo e, pelo menos, terminar o campeonato de maneira digna.

Porém, fragilizada e obrigada a fazer um jogo ofensivo, corre o risco de sofrer uma goleada histórica.

Espero que o Corinthians atue com a mesma garra que caracterizou o time de 1977 e dê mais uma alegria para a nossa torcida.

Assim, nossos jogadores poderão honrar aqueles mais de 30 milhões que fazem a grande Nação Corinthiana. Em particular, estarão prestando uma homenagem ao grande Zé Eduardo, que vai assistir ao espetáculo lá do camarote do céu.

Veja mais em: Campeonato Paulista e Ídolos do Corinthians.

Coluna do Wladimir Rodrigues dos Santos

Por Wladimir Rodrigues dos Santos

Atleta que mais vestiu a camisa do Corinthians e recordista de jogos consecutivos pelo clube, com 163 partidas disputadas sem interrupção.

O que você achou do post do Wladimir?