Guerrero levou "enquadro" da torcida. Saiba detalhes da invasão ao CT

Guerrero levou "enquadro" da torcida. Saiba detalhes da invasão ao CT

Guerrero levou enquadro

Guerrero levou enquadro

Um grupo de mais de cem torcedores revoltados invadiu o CT Joaquim Grava e fez o Corinthians viver um dia de pânico neste sábado. Durante mais de três horas, o elenco ficou trancafiado no vestiário com acesso restrito a comida e bebida. Guerrero demorou a entrar na sala com os companheiros e chegou a ser hostilizado e ameaçado pelos vândalos. Depois de horas de muita pressão e violência, funcionários, jogadores e dirigentes do clube saíram com a sensação de que nunca tinham visto algo parecido com o ocorrido do último sábado.

A opinião foi repetida por todas as pessoas ouvidas pela reportagem. O elenco, grande alvo do protesto, escapou por pouco de um contato direto com os vândalos. Quando o grupo entrou no CT, pulando muros e cortando as cercas, quase todos os jogadores ainda estavam no vestiário.

As exceções eram os goleiros, que iniciavam o trabalho no último campo do local, que fica próximo ao hotel. Foi para lá que Walter, Danilo Fernandes e Julio Cesar correram quando avistaram os primeiros torcedores. A movimentação fez os vândalos acharem que os jogadores estavam nos quartos.

Irritados e munidos de pedaços de pau, bambus e até facas, eles foram ao hotel, ameaçaram a recepcionista a chegaram a entrar em alguns quartos. Quando viram que tudo estava vazio, eles partiram para o outro prédio, onde ficam as salas da comissão técnica, a academia e o vestiário, que já abrigava os jogadores, cientes da invasão.

Para evitar o conflito, os atletas fizeram uma barricada na porta com os armários. Mano Menezes e o diretor Ronaldo Ximenes ficaram na sala do treinador, onde conversavam quando a confusão começou. Quase todos os potenciais alvos estavam protegidos. A exceção foi Paolo Guerrero, que ainda não tinha entrado no vestiário e encontrou alguns vândalos.

O peruano, que nem estava na mira dos torcedores, foi pressionado, hostilizado e ameaçado. Quando os seguranças e policiais livraram o atacante, ele correu para se juntar aos colegas, que conversavam com as pessoas pela porta fechada.

O elenco permaneceu no local por mais de três horas, sem acesso a comida ou bebida. Quando a confusão abrandou, funcionários do clube chegaram a passar garrafas de água e isotônicos escondidos para dentro da sala.

Do lado de fora, a confusão só começou a se dissipar quando Ronaldo Ximenes saiu para tentar estabelecer um diálogo. Para isso, pediu que os torcedores montassem uma espécie de comissão. Mesmo em menor número, eles insistiam em falar com o elenco, o que era negado pelo diretor. Foi então que Mano deixou sua sala e foi de encontro ao grupo.

"O Mano se dispôs voluntariamente a recebê-los. Ele até identificou alguns deles de um protesto que ele sofreu em 2008. Contou detalhes de como foi. Falou: 'Lembram o que eu falei naquela época? Que íamos trabalhar. Agora é a mesma coisa, vocês precisam me deixar trabalhar'. Com isso, eles se sentiram atendidos e se retiraram", disse Ximenes.

O saldo, porém, foi duro. Três funcionários tiveram seus celulares roubados, vidros, portas e até a fachada do CT foram depredados e um segurança e uma faxineira do clube ficaram feridos. Joaquim Grava, consultor médico do clube, se assustou, teve uma crise hipertensa e chegou a sofrer um corte no tornozelo ao cair. Em entrevista ao ESPN.com.br, ele relatou um pouco do choque.

O baque psicológico talvez tenha sido ainda pior. A reação inicial dos jogadores foi pedir o adiamento da partida contra a Ponte Preta, deste domingo. A direção do Corinthians, que já tinha pensado na hipótese, consultou o seu próprio departamento jurídico para saber as consequências. Mário Gobbi, presidente do clube, entrou em contato com a FPF (Federação Paulista de Futebol) para fazer uma consulta informal.

No papo com Marco Polo del Nero e Reinaldo Carneiro Bastos, presidente e vice da entidade, respectivamente, ouviu que compromissos com a TV e os patrocinadores não permitiam a mudança de calendário. O recado foi passado ao elenco. Os jogadores foram liberados da concentração para passarem a noite com as famílias e se apresentarão neste domingo, às 11h, para irem a Campinas.

Segundo o blog do Juca Kfouri, porém, os jogadores ainda não se decidiram sobre o que fazer. Guerrero, especificamente, não estaria disposto a entrar em campo. O Corinthians não deve forçar nenhum atleta a jogar, mas pretende mandar seu time para o gramado de qualquer forma. No entendimento do clube, boicotar a partida traria prejuízos financeiros e políticos. Uma das possíveis consequências é a eliminação da competição, hipótese prevista no regulamento do Paulista.

Se tudo ocorrer da maneira como a direção planeja, no entanto, o elenco estará em Campinas no começo da tarde e em campo às 17h. O confronto contra a Ponte pode ser decisivo para a manutenção, ou não, da crise, já que o time não vence há duas partidas e vem da goleada por 5 a 1 para o Santos.

Fonte: Uol portal

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Filha dá resposta sensacional ao pai palmeirense: 'Vai, Corinthians'

    Pai força garotinha a cantar música do Palmeiras, e ela surpreende com um 'Vai, Corinthians!'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes
  • Melhores comentários

    Foto do perfil de Marcelo

    Marcelo 4 comentários

    por @marcelo.diop

    Com todo respeito a quem pensa diferente, mas pra mim isso não são torcedores de verdade, isso são vândalos disfarçados de torcedores. Será que estes indivíduos não percebem o prejuízo que causam ao clube?
    Concordo com protesto, com pressão, afinal o time não vêm jogando nada a um tempo, mas esse protesto tem que ser ordeiro, não desse jeito.
    O time conseguiu se levantar do pior momento de sua história, se tornou um dos maiores do mundo, imagens como esse só desperta o receio de jogadores e de patrocinadores. Quem quer sua marca vinculada a uma situação como essa? E isso também é importante na montagem de um bom elenco. Vejamos o que aconteceu com o Vascú após a briga da torcida no Paraná, contrato de patrocínio cancelado.
    O Corinthians está em busca de um interessado pelo Naming right para o estádio, será que é interessante para uma empresa ter seu nome relacionado a um estádio com uma torcida dessas?
    Nós já mostramos para o mundo diversas vezes o que é ser fiel, sem precisar de violência.

  • Foto do perfil de Corinthians

    Corinthians 3055 comentários

    por @colosso

    O que dizer desses marginais difarçados de corinthianos, quebram roubam funcionários e ainda quer ter razão por favor quanta hipocresia nesse pais, nada vai acontecer eles vão ser ouvidos e pronto, agora por que pergar pertences de funcionários

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Cleidson

    Cleidson 27530 comentários

    88º. por @cleidson

    Bando de marginais.

  • Foto do perfil de Amanda

    Amanda 474 comentários

    87º. por @amanda.silva12

    Facas, pau, bambu, invadiram quartos, agrediram as pessoas..! Onde isso vai chegar? Vão esperar matar um jogador, ou funcionário de lá, para só então tomar uma atitude? Plmds, lamentável.

  • Foto do perfil de Rick

    Rick 625 comentários

    86º. por @rick.scungiski

    Isso é muito vergonhoso! E injusto com o Guerreiro, um dos poucos que tem jogado bem neste time e principalmente, um cara que pelo gol, como disse o Neto, 'provávelmente o gol mais importante da história do clube, merce muito, mas muito mais respeito...

  • Foto do perfil de Ferrodax

    Ferrodax 3383 comentários

    85º. por @ferrodax

    Bandidos isso sim...

  • Foto do perfil de Lelloo

    Lelloo 184 comentários

    84º. por @lellootattoo

    Os cara fico 3 hrs lá dentro e ninguém nem chamo a policia/?

  • Foto do perfil de Cecel

    Cecel 2902 comentários

    83º. por @cecelzinho

    Desculpas, mais quem invadiu não foram torcedores, mas sim BANDIDOS... Isso mesmo BANDIDOS, pois os caras roubaram funcionários do Clube, isso foi rídiculo

  • Foto do perfil de Bruno

    Bruno 685 comentários

    82º. por @bruno.suba1

    Sabemos que mtos ali não fazem parte de organizadas e vão no embalo dos outros..quem tem tempo p ir protestar (criar baderna) p mim são vagabundos, já prejudicaram o time e vão prejudicar novamente...será que eles fazem protestos quando não tem uma boa atuação no carnaval?

  • Foto do perfil de Malu

    Malu 252 comentários

    81º. por @malu.more

    O Corinthians é maior que isto. A torcida do Corinthians é maior que esta corja que se dizem torcedores. Isto só atrai prejuízos e mais clima ruim para o clube e os lobos da imprensa que estão adorando. Protesto sim, bandidagem não. O que fizeram no ct não é coisa de torcedor não. É coisa de bandido mesmo. Só denigrem a imagem do clube e do verdadeiro torcedor

  • Foto do perfil de André

    André 428 comentários

    80º. por @andre.santos49

    Ah se eu fosse o Guerrero ia embora kra, não pode fazer com um ídolo, isso não pode acontecer, esse kra tem o Corinthians no sangue um dos únicos que corre e tem raça.

  • Foto do perfil de Paulo

    Paulo 3726 comentários

    79º. por @paulo.sampe

    Os que aprontaram no CT são verdadeiros vândalos, não são Corinthianos, só prejudicam o time, abalaram os jogadores, até Gil, estava nervoso hoje, no final duas expulsões, e mais uma derrota. Estes vândalos só atrapalham, bagunçam e roubam. Cadeia neles. O Mano tem que denunciar quem foram esses lideres vagabundos.