Primeiro título de Sócrates no Corinthians completa 35 anos

Primeiro título de Sócrates no Corinthians completa 35 anos

Por Diego Salgado

910 visualizações 25 comentários Comunicar erro

Sócrates chegou ao Corinthians em agosto de 1978 e sagrou-se campeão 18 meses depois

Sócrates chegou ao Corinthians em agosto de 1978 e sagrou-se campeão 18 meses depois

Foto: Gazeta Press

Um lance incomum marcou o começo da trajetória de conquistas de Sócrates no Corinthians. Há exatos 35 anos, no dia 10 de fevereiro de 1980, o craque corinthiano abriu o placar diante da Ponte Preta no Morumbi, na final do Campeonato Paulista. O gol, marcado de perna esquerda, com a camisa 9 às costas, deu início à festa alvinegra na decisão do estadual de 1979 - Palhinha, 12 minutos depois, daria números finais à partida.

O título de 1979 foi conquistado 18 meses depois de o jogador estrear com a camisa do Corinthians, em agosto de 1978, contra o Santos. Quando chegou ao clube, já aos 24 anos, após brilhar no Botafogo-SP, Sócrates juntou-se aos campeões de 1977, responsáveis pelo fim do jejum de 22 anos e oito meses sem títulos - entre eles, Zé Maria, Wladimir, Basílio, Vaguinho, Romeu e Palhinha.

Com o craque e alguns novos contratados, como Amaral e Biro-Biro, o Corinthians logo mostrou que os tempos difíceis haviam mesmo chegado ao fim. O Paulistão de 1979 começou a ser disputado em julho. O Campeonato Brasileiro, por sua vez, em setembro. Dessa forma, o time corinthiano disputou apenas o estadual.

Na primeira fase, a equipe treinada por Jorge Vieira venceu 15 partidas e empatou 17, de um total de 38 jogos. Na liderança de um dos quatro grupos, o time passou à segunda fase. Na disputa com Ponte Preta, Ferroviária, São Paulo, América e Botafogo, o Corinthians conseguiu avançar à semifinal.

O campeonato, então, ficou 67 dias de interrompido por causa de uma batalha judicial ligada à renda de uma rodada dupla - Vicente Matheus não quis a divisão e o Corinthians não entrou em campo para enfrentar a Ponte Preta no mesmo dia do confronto Palmeiras e Guarani.

Na luta por uma vaga na final, o time alvinegro, já em janeiro de 1980, derrotou a equipe palmeirense após um empate por 1 a 1 e uma vitória por 1 a 0, gol de Biro-Biro, de canela. Na decisão contra a Ponte Preta, que venceu o dérbi de Campinas, o Corinthians sofreu menos em relação à final de 1977.

Como havia ocorrido dois anos antes, o título foi decidido em três partidas. Na primeira decisão, Palhinha reeditou o roteiro de 1977 ao marcar o único gol do confronto. No jogo seguinte, um empate sem gols forçou a disputa do terceiro duelo. Na decisão, o time faturou o 17º título paulista ao fazer 2 a 0, sob os olhares de 90.578 torcedores. Sócrates voltaria a erguer a taça do estadual em 1982 e 1983, já com a mítica camisa 8 corinthiana.

Veja Mais:

  • Corinthians jogou bem, mas não conseguiu sair vitorioso neste domingo

    Corinthians sofre gol impedido, reage no segundo tempo e fica no empate com o Internacional

    ver detalhes
  • Corinthians de Jair Ventura está em oitavo lugar no Brasileirão

    Corinthians 'volta uma casa' na classificação do Brasileirão, mas diminui distância para o G6

    ver detalhes
  • Danilo Avelar foi eleito o pior corinthiano em campo pela Fiel

    Novidade de Jair Ventura é enaltecida pela Fiel; lateral rouba cena e é eleito pior em campo

    ver detalhes
  • Mateus Vital fez bom jogo diante do Internacional neste domingo

    Análise: Corinthians reage após gol impedido e consegue empate contra o Internacional

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes