Às véspera de Dérbi, presidente detona torcida única e cita emboscada de santistas

Às véspera de Dérbi, presidente detona torcida única e cita emboscada de santistas

Por Lucas Mariano

61 mil visualizações 152 comentários Comunicar erro

Roberto de Andrade disse que violência não acontece dentro dos estádios

Roberto de Andrade disse que violência não acontece dentro dos estádios

Foto: Agência Corinthians

A entrevista coletiva após o treino desta sexta-feira foi diferente. Além de Tite, que costuma conversar com os jornalistas antes das partidas, quem também compareceu à sala de imprensa do CT Joaquim Grava foi Roberto de Andrade. Pronto para “esclarecer algumas coisas”, o presidente fez duras críticas à decisão de que os clássicos sejam disputados com torcida única.

“Se tivesse poder para mudar, mudaria ontem. Queria passar para o torcedor que o Corinthians fez todos os esforços para que isso não acontecesse. Conversamos com todas instâncias do judiciário para que isso fosse revertido. Eu, particularmente, acho uma medida descabida. Acho desnecessário para o futebol e um desrespeito ao cidadão. O torcedor do Corinthians nunca ficou ausente em um jogo. Acho um absurdo. Se isso fosse resolver a violência do pais, eu daria nossa contribuição, Mas não vai resolver e não está resolvendo”, disse o dirigente, garantindo que a violência acontece fora dos estádios e não dentro dele.

“Não foi noticiado, mas no jogo do Santos teve emboscada dos torcedores do Santos e teve seis corinthianos hospitalizados. Não está resolvendo. A confusão que presenciamos está acontecendo fora do estádio. Dentro não tem problema nenhum, a policia sabe trabalhar, tem a divisão das torcidas... Na minha visão é uma medida muito drástica, não esta resolvendo e não vai resolver. Fizemos o possível e o impossível e o futebol está caminhando para o fim”, completou.

Além de garantir que o Corinthians fez o máximo para reverter a decisão, que foi imposta pela Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo após o conflito entre palmeirenses e corinthianos no primeiro dérbi do ano, Roberto de Andrade ressaltou o quanto isso é prejudicial para o clube e para o futebol.

“Acho que não dá para quantificar. Primeiro que é uma situação inusitada. Isso para o corinthiano é a morte. Lamentamos. Eu sei que o prejuízo é grande. A gente sabe disso. Torcedor empurra o time em qualquer lugar do mundo. Vamos jogar aqui do lado e o torcedor não pode comparecer porque alguém achou prejudicial. É uma tristeza, mas temos que acolher”, finalizou o presidente.

Ao lado do dirigente, Tite também lamentou a decisão, mas foi mais discreto ao comentar sobre a situação que viverá na partida deste domindo.

“Sem julgar, mas me posicionando. A primeira coisa que eu tenho é lamentar. Lembro que aqui mesmo nessa sala veio um procurador do Ministério Público e nos orientou para não falar nada, cuidar dos gestos. Ai eu ficava pensando, como posso pensar em um espetáculo e contribuir para que as coisas não acontecessem dessa forma? Aí vemos que a coisa é muito mais ampla, de corrupção, violência, desigualdade social. E o futebol é mais um dos elementos que participam disso tudo”, analisou o treinador.

Veja Mais:

  • Top fregueses do Corinthians | #43

    SAUDAÇÕES CORINTHIANAS: Os maiores fregueses do Corinthians

    ver detalhes
  • Roger foi apresentado como novo centroavante do Corinthians nesta sexta-feira

    Roger é apresentado no Corinthians e lembra de passado torcedor na cidade de Campinas

    ver detalhes
  • Recém-chegado, Roger participou do treino do Corinthians nesta sexta-feira

    Volta de emprestado, presidente na área e Roger em campo... a sexta-feira do Corinthians

    ver detalhes
  • Sheik não enfrenta Paraná Clube neste domingo

    Sem Roger nem Sheik: Carille relaciona 22 para jogo contra Paraná

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes