Cria da base, zagueiro celebra estreia profissional e cita principal característica

2.9 mil visualizações 44 comentários Comunicar erro

Léo Santos será uma das novidades de Oswaldo diante do Figueirense

Léo Santos será uma das novidades de Oswaldo diante do Figueirense

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O jogo do Corinthians contra o Figueirense, no próximo dia 16, em Florianópolis, marcará a estreia profissional do zagueiro Léo Santos, de 17 anos, cria das categorias de base do clube. Ao lado do lateral-direito Léo Príncipe e do zagueiro Pedro Henrique, também revelados pelo Timão, o defensor comemorou a tão esperada chance.

“Ainda não caiu muito a ficha, mas estou preparador, a expectativa é a melhor possível para estrear com a camisa do Corinthians fazer uma grande partida”, disse Léo Santos em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava.

Léo Santos foi criado em Itaquera, na zona leste de São Paulo, e deu os primeiros passos num campo de futebol na escolinha Chute Inicial. Aos nove anos, passou num teste da Portuguesa, mas acabou dispensado após o técnico que lhe havia aprovado ser demitido. Antes de chegar ao Parque São Jorge, tentou a sorte em escolinhas da capital paulista por longos três anos.

Logo em sua primeira temporada no Corinthians, o beque teve problemas com o treinador da época e pensou até em desistir da carreira nos gramados. Foi quando Birô, comandante que o indicou para o clube, o levou para outro time e, posteriormente, para o futebol de salão do Timão, onde o garoto passou a atuar como pivô.

“Minha primeira passagem foi sub-13, cheguei como zagueiro, mas não fui muito aproveitado, não passei no teste. Fui mandado embora, mudei de posição e fui jogar no meio. Treinei na Vila Maria, no salão. Voltei de meia, mas não tive evolução e voltei para a defesa”, relembrou o atleta, relacionado para uma partida pela primeira vez em junho, ainda sob o comando de Tite.

Embora jovem, Léo Santos demonstrou personalidade na primeira entrevista da carreira como profissional do Corinthians. Consciente, ele ainda falou revelou seu ponto forte: a velocidade. “Uma das minhas principais características é a velocidade, que me diferencia dos outros, e a técnica, como na saída de bola”, frisou.

Sem Balbuena, convocado para a seleção do Paraguai, e Vilson, suspenso em razão do terceiro cartão amarelo, Oswaldo de Oliveira terá de escalar Pedro Henrique e Léo Santos diante do Figueirense. Nada que tire o sono da dupla.

“Nossa meta é a Libertadores. Essa pressão toda que rola por fora, extracampo, não devemos pensar. Precisamos focar no nosso time e em fazer nosso melhor”, finalizou.

Veja Mais:

  • Corinthians perdeu para o Cruzeiro por 2 a 1 neste sábado

    Corinthians deixa G4 e pode perder posição até o fim da rodada do Brasileirão; veja tabela

    ver detalhes
  • Em meio a crise, Fábio Carille seguirá no comando do Corinthians

    Diretor do Corinthians garante permanência de Fábio Carille

    ver detalhes
  • Tiago Nunes negou um suposto interesse do Corinthians para a próxima temporada

    Tiago Nunes ressalta respeito a Carille e nega contato com o Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians nunca havia perdido um jogo em que saiu na frente do adversário na Arena

    Após 184 jogos, Corinthians leva a primeira virada jogando na Arena

    ver detalhes
  • Corinthians foi superior, mas não soube converter suas chances em gol em Joinville

    Com briga no fim e vacilos, Corinthians sai atrás nas quartas da Liga Futsal

    ver detalhes
  • [Vitor Chicarolli] Há quanto tempo o Corinthians não joga bem?

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: