Lucca abre o jogo sobre saída do Corinthians e brinca por ser rival; confira outras declarações

Lucca abre o jogo sobre saída do Corinthians e brinca por ser rival; confira outras declarações

Por Meu Timão

Lucca tem contrato com o Corinthians até julho de 2019

Lucca tem contrato com o Corinthians até julho de 2019

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Corinthiano desde a infância, Lucca chegou ao Timão por empréstimo do Criciúma em 2015. Na ocasião, fez parte do elenco vencedor do hexacampeonato brasileiro, mas, ao longo da temporada seguinte, diante de aspectos como, por exemplo, as mudanças de técnicos, acabou perdendo espaço no time alvinegro e, assim, foi emprestado no começo deste ano à Ponte Preta. Em entrevista divulgada nesta quinta-feira, o atacante explicou o motivo pelo qual resolveu deixar o Corinthians.

''Ele (Carille) acabou optando por outros jogadores, uma coisa normal no futebol. Só que eu não me senti confortável na situação de ficar fora dos treinos, tendo de aguardar. Como ele mesmo falou para mim: 'Eu quero você aqui, mas você vai ter de aguardar a sua oportunidade'. Eu respeito, não guardo mágoa nenhuma, já falei isso para ele. Quem sabe a gente pode trabalhar de novo juntos'', declarou ao canal do Youtube Desimpedidos.

Leia também: Diretor do Corinthians explica situação de Walter, prevê volta de Douglas e alfineta rival

Questionado se guarda mágoa da equipe do Parque São Jorge por não ter tido uma longa sequência como titular, Lucca afirmou não levar consigo sentimentos ruins, embasando a justificativa na boa fase que vive, sendo, inclusive, vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro, com dez gols. O jogador só fica atrás de Jô, que chegou às redes em 11 oportunidades.

''Não guardo mágoa nenhuma. Se você é jogador vai querer sempre estar jogando. Mas, por dentro, você fica com aquela vontade de querer ajudar. Não costumo pensar assim não, porque futebol é dinâmico, é momento, e o meu momento é bom'', assegurou.

Leia também: 'Alto nível': passagem de Paulinho pelo Corinthians é citada por dirigente do Barcelona

Lucca arrumou tempo, ainda, para responder se acredita que o grupo da capital se arrepende por tê-lo cedido à Ponte Preta: ''Acho que não, os caras estão bem para caramba, tá louco! Jogar contra esse Corinthians é difícil, meu Deus do céu!'', finalizou.

Com contrato firmado junto ao Corinthians até julho de 2019, a princípio, o ponte pretano segue no time de Campinas até o fim desta temporada. Em seus tempos de Timão, vale ressaltar, o atacante participou de 59 partidas, estando presente em 29 vitórias, 17 empates e 12 derrotas - marcou 12 gols.

Confira outras declarações de Lucca no Desimpedidos

Contrato com o Timão

''Não tem como. Foi a oportunidade da minha vida. Você sair de uma série B (no Criciúma) e ter a oportunidade de ir para o Corinthians... Nem pensei. Só pensei rapaz se puder ir agora, estou dentro''.

Razão ou emoção?

''Eu sempre tive uma admiração pelo Corinthians, mas depois que você vira profissional, você tem que ser o mais profissional possível''.

Pai santista? Sem problemas!

''Rolou isso na hora que teve a oportunidade. Eu falei assim para o meu pai: 'lembra disso, a gente brincava quando era criança, assistindo os jogos, você falando que o Corinthians ia perder, e agora eu estou vestindo a camisa do Corinthians'. E ele falava: 'É, pois é, filho, graças a Deus'. Foi muito legal!''

''Ah, ele torcia para o Corinthians, vestia a camisa, o filho dele lá, pô...''.

Tempo em que esteve no Parque São Jorge

''Para mim foi muito bom. Pude aprender muito com grandes jogadores, pude ver que não era aquele bicho de sete cabeças que eu pensava que era. O pessoal era muito tranquilo, normal. Me enturmei e tenho grandes amigos lá''.

Gol sobre o Atlético Mineiro, no Horto

''Foi o primeiro, né? Primeiro a gente nunca esquece! Num jogo tão importante como aquele. Às vezes acho que foi cagada''.

Goleada por 6 a 1 sobre o São Paulo

''A gente dentro de campo não pensou nisso, não. No futebol você respeita o adversário fazendo gol. Tenho certeza que se fosse o contrário eles iam querem fazer mais gols''.

Zagueiros mais difíceis de driblar

''Gil e Felipe, em 2015, e agora Balbuena e Pablo. É difícil! Eu tive a oportunidade de trabalhar e jogar contra. Foi difícil! Nossa Senhora! Como esses caras são bons de bola!''

'Zicada' de ex-companheiro Cássio

''Ele falou: 'Vai bater?' Aí chegou o Rodriguinho e falou: 'Ele vai pegar'. Bati onde costumo treinar, mas agora tenho que mudar, né? Os caras ficam vendo vídeo, tenho que bater de outro jeito''.

Mas é parça do arqueiro ou não é?

''Meu parceirão! Posso dizer que é um amigo que fiz lá''.

Veja mais em: Jogadores emprestados.

Veja Mais:

  • Em vídeo, Gabriel reitera desculpas por gesto obsceno: 'Não faz parte do meu caráter'

    Em vídeo, Gabriel reitera desculpas por gesto obsceno: 'Não faz parte do meu caráter'

    ver detalhes
  • Clayson comemora gol sobre o São Paulo, o primeiro dele pelo Timão

    Na raça! Clayson decide, Corinthians empata no Morumbi e mantém invencibilidade contra rival

    ver detalhes
  • Líder do Brasileirão, Corinthians empatou com o São Paulo por 1 a 1 neste domingo

    Com tropeço do Grêmio, Corinthians vê rivais se aproximarem na tabela; veja classificação

    ver detalhes
  • Clayson assegurou empate fora de casa ao Timão

    Cássio brilha, mas reserva é eleito o melhor do Corinthians no clássico; Jadson destoa

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes